Reitor recebe secretário-geral da Corte Permanente de Arbitragem

Encontro teve como objetivo discutir cooperação mútua para criação de novo centro na Universidade

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn36Print this pageEmail
O reitor Marco Antonio Zago (à esquerda, de gravata azul) e o secretário-geral da Corte Permanente de Arbitragem, Hugo Hans Siblesz (à direita) se reuniram com dirigentes e professores da Universidade (Foto: Cecília Bastos/USP Imagens)

O reitor Marco Antonio Zago recebeu, no dia 21 de agosto, a visita do secretário-geral da Corte Permanente de Arbitragem, Hugo Hans Siblesz, no prédio da Reitoria, em São Paulo.

A visita teve como objetivo uma possível cooperação acadêmica entre as duas Instituições no âmbito da criação do Centro de Resolução de Conflitos (CRC-USP), um núcleo de apoio à cultura e à extensão (Nace), na USP.

A PCA [Permanent Court of Arbitration, na sigla em inglês] foi estabelecida pela Convenção para a Resolução Pacífica de Disputas Internacionais, em 1899, durante a primeira Conferência da Paz, realizada na cidade de Haia, na Holanda. A conferência foi convocada por iniciativa do czar Nicolau II da Rússia “com o objetivo de buscar o meio mais objetivo de garantir a todos os povos os benefícios de uma paz real e duradoura e, acima de tudo, de limitar o desenvolvimento progressivo dos armamentos existentes”.

Trata-se de uma organização intergovernamental, localizada na cidade holandesa, que fornece uma variedade de serviços de resolução de litígios para a comunidade internacional.

“Nos últimos três anos, o estreitamento das relações com instituições estrangeiras tem sido uma política importante da Universidade”, destacou o reitor da USP, durante o encontro. Segundo Zago, a USP é uma das mais proeminentes Instituições de ensino superior do mundo e deve se consolidar, cada vez mais, como um polo de conexão com a sociedade, nacional e internacionalmente.

Siblesz, por sua vez, lembrou que, em 2017, comemoram-se os 110 anos da relação entre o Brasil e a PCA, representada pela participação do diplomata e escritor Rui Barbosa na segunda Conferência da Paz, em 1907, como delegado do Brasil. Barbosa se notabilizou pela defesa do princípio da igualdade dos estados e sua atuação lhe rendeu o epíteto “O Águia de Haia”.

O secretário-geral expressou o interesse da Corte no estabelecimento da parceria com a Universidade, principalmente na promoção de atividades científicas, como o desenvolvimento de programas de pesquisa em conjunto.

Também participaram do encontro o consultor jurídico sênior da PCA, Martin Doe; o consultor jurídico e representante da PCA na República de Maurício, Túlio Di Giacomo Toledo; o consultor jurídico do Ministério Brasileiro de Relações Exteriores, George Galindo; a responsável pela Assessoria Especial para Assuntos Internacionais do Governo de São Paulo, Ana Paula Fava; além de dirigentes e professores da Universidade.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn36Print this pageEmail

Textos relacionados