Presidente da Microsoft visita USP e ministra palestra à comunidade universitária

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O presidente-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, visitou o campus da USP na Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”,

em São Paulo , nesta quarta-feira, dia 28 de abril, para ministrar a palestra The Cloud: Exciting New Possibilities, a estudantes universitários, docentes e funcionários.  O presidente da Microsoft foi recebido pelo reitor João Grandino Rodas.

O escopo da apresentação refere-se a um dos mais importantes temas da computação em rede, a chamada "computação na nuvem", relacionada à utilização da memória e das capacidades de armazenamento, cálculo de computadores, servidores compartilhados e interligados por meio da internet.

A palestra na USP, realizada no anfiteatro Camargo Guarnieri, foi a única realizada no Brasil por Ballmer, que escolheu o país por ser o local com o maior número de usuários ativos do Windows Live Messenger, e, a Universidade, por sua importância acadêmica.  Tecnologia da informaçãoO reitor da Universidade abriu a conferência abordando a importância das parcerias existentes e futuras entre a Universidade e a empresa, uma das maiores do mundo em geração de produtos e processos em tecnologia da informação. “O fato de a empresa estimular a parceria com universidades do mundo todo aumenta a possibilidade de a Microsoft estar entre os maiores e mais fortes parceiros dos programas de inovações da USP”, afirma Rodas.Durante a palestra, Ballmer (foto) apresentou as novas tecnologias de informação que estão sendo desenvolvidas e serão aplicadas pela empresa, a prévia da nova versão do Messenger, mais conhecido como MSN, serviço de mensagens instantâneas mais popular entre os internautas brasileiros, que vai agregar redes sociais, como Facebook, LinkedIn, MySpace, Twitter, YouTube e Flickr.Ballmer disse que a profissão do futuro está ligada a duas palavras – Tecnologia da Informação (TI), e mostrou um vídeo sobre as novidades nesse segmento nos próximos dois, cinco e dez anos. Depois, respondeu a perguntas da platéia, formada por estudantes da USP, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar); por docentes da USP e funcionários da Coordenadoria de Tecnologia de Informação da Informação (CTI) e Coordenadoria de Computação Eletrônica (CCE) da Universidade. Parcerias futurasAtualmente, a Microsoft mantém parcerias com algumas Unidades da USP – a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), Escola Politécnica (EP), Faculdade de Direito (FD), Faculdade de Medicina (FM), Instituto de Matemática e Estatística (IME) – em projetos de tecnologia de informação, telemedicina, desenvolvimento de softwares, e na publicização e conservação dos acervos da USP, como já está acontecendo com os acervos da Biblioteca Brasiliana. Através da Agência USP de Inovação, segundo seu coordenador, Oswaldo Massambani, está sendo discutido o desenho de uma grande parceria entre a USP e a Microsoft Brasil nos mesmos moldes que a empresa mantém com outras universidades de elite do mundo. Para isso, a Universidade está mapeando suas principais necessidades, já que é parceira do setor empresarial e incubadoras em muitos programas, que demandam desenvolvimento de TI e tecnologia da comunicação.

Para Massambani, a Microsoft pode acelerar os processos e alavancar os projetos já existentes no desenvolvimento de processos de criatividade na área digital, laboratório de criatividade e inovação. “A Microsoft pode ajudar a USP em projetos relacionados com infraestrutura, suporte, educação, sociocultural, servindo como popularização da ciência, inclusão social e digital. As duas podem cooperar para o desenvolvimento de pesquisas, capital intelectual e responsabilidade social”, considera.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail