Pesquisador da USP recebe Prêmio Santander de Ciência e Inovação

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A reitora da USP, Suely Vilela, o superintendente Corporativo do Hospital Sírio-Libanês, Gonzalo Vecina Neto, e o pesquisador premiado, Ronaldo Biondo, durante o evento (Crédito: Della Rocca)

Em cerimônia realizada em São Paulo, no dia 18 de novembro, o pesquisador da USP, Ronaldo Biondo, recebeu o Prêmio Santander de Ciência e Inovação, na categoria Biotecnologia, uma iniciativa do Santander Universidades, com o desenvolvimento e a gestão do Universia Brasil. O prêmio tem como objetivo estimular a atitude empreendedora e a pesquisa científica no meio acadêmico, revelando novos talentos que irão beneficar a sociedade brasileira. O pesquisador recebeu R$ 50 mil para investir em seu projeto.

Orientado pela professora Ana Clara Guerrini Schenberg, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), Biondo construiu, por meio de engenharia genética, uma nova bactéria, batizada de Cupriavidus Metallidurans, capaz de retirar do meio em que for aplicada diversos metais pesados, tais como chumbo, cobre, níquel, cádmio, cobalto, manganês, zinco, entre outros.

O projeto de Biondo partiu de uma bactéria naturalmente resistente a metais, a qual teve acrescentada em seu genoma as seqüências gênicas necessárias para que a linhagem final apresentasse, na sua superfície, uma proteína com alta capacidade de se ligar a metais. "A nova bactéria funciona como um verdadeiro "ímã", ficando totalmente recoberta pelos íons metálicos, além de se manter saudável durante o processo. Assim, ao mesmo tempo em que pode ser utilizada para a descontaminação de qualquer efluente contendo metais, a bactéria pode servir para concentrar e recuperar metais perdidos durante a extração de minérios", explica o pesquisador.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail