Parque Tecnológico do Estado de São Paulo, com gestão da USP, conclui primeira etapa

O Parque pretende promover a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação tecnológica nas áreas abrangidas, estimulando e dando suporte à cooperação entre instituições de pesquisas, universidades e empresas.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O Parque está instalado na Avenida Engenheiro Billings, 526 – Jaguaré, Zona Oeste da capital paulista, vizinho ao campus da Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira” da USP (ao lado da Portaria 2),  do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), ao Instituto Butantan e ao Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen)

“Este Parque é o maior polo de tecnologia, ciência e inovação da América Latina”, destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI), Nelson Baeta Neves Filho, na abertura da cerimônia realizada na quarta-feira, dia 2 de julho, para assinatura do decreto que dispõe sobre a gestão do Parque Tecnológico do Estado de São Paulo, em evento realizado no seu núcleo.

Em seu discurso (foto), o reitor Marco Antonio Zago, ressaltou que a participação da USP na gestão deste Parque Tecnológico é importante para estender à sociedade o seu conhecimento produzido

Segundo Neves, o documento firmado vai orientar a criação de um Conselho Estratégico para gestão do parque, que deverá ser formado pela SDECTI, USP e IPT. E, na ocasião, também foi firmado um protocolo de intenções com o Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia (Cietec), que prevê a instalação de uma aceleradora de empresas. O subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Cintra, enfatizou que o Estado de São Paulo realiza um velho sonho, da maior cidade do País reunir em um só lugar o conhecimento e desenvolvimento adquirido. “Este Parque está fadado ao sucesso, pois está no melhor ambiente tecnológico e acadêmico, vizinho do campus principal da USP, do IPT, Ipen e Instituto Butantan”, afirmou Cintra.

Os empresários paulistas foram representados pelo presidente da Brasil Ozônio, Samy Menasce, que disse estar honrado como cidadão e empresário de start-up em participar deste projeto. “Este Parque vai ajudar centenas de start-ups a criarem ‘musculatura’ e se tornarem grandes empresas, para contribuir no desenvolvimento tecnológico do Estado e do País”, declarou. Depois, o deputado federal, Rodrigo Garcia, e ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, falou do histórico para implantação dos parques tecnológicos no Estado.

Integração

“É um prazer participar de mais uma inauguração de Parque Tecnológico com parceria da USP”, disse o reitor Marco Antonio Zago na cerimônia, referindo-se ao Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto, instalado no campus da USP na cidade e que teve sua primeira fase do projeto inaugurada em 26 de março deste ano. Zago ressaltou que o ensino e a pesquisa são missões importantes para a Universidade, mas que a relação da USP com a sociedade também se mostra muito importante, pois “o conhecimento que é gerado e desenvolvido na Universidade precisa ser estendido à sociedade”.

O governador do Estado, Geraldo Alckmin, falou da relevância deste Parque, das parcerias e da vizinhança que tem, citando que o perímetro do Parque está contemplado no Plano Diretor Estratégico da cidade de São Paulo, e encerrou a cerimônia falando dos investimentos que o Estado realiza em inovação e tecnologia.

Parque

O reitor e o vice-reitor Vahan Agopyan no Parque que é vizinho à Universidade

Credenciado em 2009 no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec), que integra o Sistema Paulista de Ambientes de Inovação, o Parque Tecnológico do Estado de São Paulo é voltado aos setores de tecnologia da informação e comunicação, saúde, nanotecnologia, novos fármacos e acessibilidade, usabilidade e comunicabilidade para pessoas com deficiências, entre outros. O objetivo é promover a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação tecnológica nas áreas abrangidas, estimulando e dando suporte à cooperação entre instituições de pesquisas, universidades e empresas.

O empreendimento terá área total superior a 200 mil m², contando com terrenos do Governo do Estado (46 mil m²), da USP (40 mil m²) e do IPT (200 mil m²). Na área correspondente ao Governo, já está implantado e equipado o prédio do núcleo, com 6 mil m², que recebeu mais de R$ 18 milhões em recursos para obras e equipamentos. A edificação está preparada para abrigar empresas, centros de inovação, laboratórios de pesquisa, escritórios de financiadoras de projetos, serviços de administração, apoio, disponibilizando ainda espaços para eventos, com auditórios e locais para exposições. Outros R$ 5,4 milhões são investidos no entorno do parque, que compreende jardinagem, paisagismo e estacionamento. As adequações estão em fase de finalização.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados