Palestra do reitor da USP marca início do ano letivo na Universidad de Chile

“Os desafios da Universidade na América Latina” foi o tema da palestra, que reuniu autoridades acadêmicas, políticas e universitárias, além de funcionários e estudantes.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
A palestra foi promovida no Salão de Honra da Casa Central da instituição chilena

“Os desafios da Universidade na América Latina” foi o tema da palestra proferida pelo reitor Marco Antonio Zago para marcar o início do ano letivo de 2016 na Universidad de Chile. O evento foi realizado no dia 29 de abril, no Salão de Honra da Casa Central da instituição chilena, e reuniu autoridades acadêmicas, políticas e universitárias, além de funcionários e estudantes.

Universidad de Chile foi estabelecida em 17 de setembro de 1842. É uma instituição estatal e pública  e se constitui em uma das 16 universidades do Consórcio de Universidades Estatais do Chile. Com mais de 39 mil estudantes de graduação e de pós-graduação, possui cinco campi e oferece cursos em todas as áreas do conhecimento.

A presidente do Chile, patrona e ex-aluna da Universidade, Michelle Bachelet, enviou uma saudação à comunidade universitária em que enfatizou que a Casa de Bello, como também é conhecida a Instituição, em homenagem ao seu primeiro reitor, o humanista venezuelano-chileno, Andrés Bello, é “o farol que ilumina a República ao longo de seus mais de 170 anos de história acadêmica. Seus princípios têm ajudado a moldar a alma nacional”.

A ministra da Educação, Adriana Delpiano, também enviou uma mensagem aos presentes, na qual afirmou que este novo ano “começa com uma boa notícia para o ensino superior em nosso país”, referindo-se à implantação da gratuidade no ensino superior chileno, aprovada pelo Congresso no final do ano passado.

Em seguida, o reitor da USP deu início à sua apresentação destacando que “heterogeneidade e complexidade são as palavras que caracterizam a diversidade das universidades latino-americanas”. Zago apontou os desafios comuns às instituições, como a inclusão social, a manutenção de sua qualidade e a excelência na pesquisa.

_P1Z6953
“Heterogeneidade e complexidade são as palavras que caracterizam a diversidade das universidades latino-americanas”, afirmou o reitor

“Três são as estratégias para enfrentar esses desafios: promover a investigação interdisciplinar; fomentar a transferência de conhecimento e a inovação e, finalmente, e talvez a mais importante, a cooperação. No mundo de hoje, as universidades não podem ser mais centros isolados de pensamento e terão cada vez mais importância à medida que estiverem cada vez mais conectadas”, considerou.

Após a palestra do dirigente da USP, o reitor da Universidad de Chile, Ennio Vivaldi, falou sobre as realizações e os desafios da Instituição na área acadêmica, na pesquisa e na extensão e fez um enfático apelo para que se redefina o papel das universidades públicas no país, no âmbito da atual reforma do ensino superior chileno.

Assista, a seguir, a palestra do reitor Marco Antonio Zago, ministrada na Universidad de Chile.

Parceria acadêmica

No Chile, Zago também participou de reunião com o reitor da Universidad de La Frontera, Sergio Bravo Escobar. No encontro, foram discutidas possíveis parcerias acadêmicas nas áreas de agricultura, medicina, engenharia, educação a distancia e farmácia, além da participação da USP no Chile-Japan Academia Forum 2016, que será realizado no período de 7 a 11 de novembro.

A Universidad de La Frontera é instituição pública, criada em 1981, como fusão das sedes, localizadas na cidade de Temuco, ao sul do Chile, da Universidad de Chile e da Universidad Técnica del Estado. Possui cerca de 8.500 alunos de graduação e de pós-graduação.

(Fotos: Felipe Poga / Com informações da Equipe de Imprensa da Universidad de Chile)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados