Nova diretora da FFLCH toma posse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

(Crédito: Ernani Coimbra)(da esquerda para direita) O pró-reitor de Pós-Graduação, Armando Corbani Ferraz; o vice-reitor Franco Maria Lajolo; a diretora da FFLCH, Sandra Margarida Nitrini; a reitora da USP, Suely Vilela; a pró-reitora de Graduação, Selma Garrido Pimenta; a representante da Pró-Reitoria de Pesquisa, Maria Angélica Miglino; e a secretária-geral, Maria Fidela de Lima NavarroA professora Sandra Margarida Nitrini tomou posse, no dia 11 de dezembro, como diretora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), em cerimônia que contou com a presença de alunos, professores e funcionários da Unidade, que lotaram a sala do Conselho Universitário.“Sinto-me feliz e honrada por assumir a direção desta escola. Sua história engrandece a Universidade de São Paulo, sendo desta, como todos sabemos, sua célula mater. Certamente, não se  apresenta mais como seu “umbigo”, como disse o professor Gabriel Cohn, meu prezado antecessor, em seu discurso de posse, mas sem dúvida, constitui uma referência valiosa e imprescindível para a Universidade. As humanidades são importantes na formulação de idéias, de princípios e na articulação de valores para a sociedade”, disse a nova dirigente em seu discurso.A reitora da Universidade, Suely Vilela, também ressaltou a importância histórica da Unidade não só na formação e na visibilidade internacional da USP, mas também no desenvolvimento do país. “Esta Unidade nasceu, há 75 anos, para ser responsável pela formação de pensadores da realidade brasileira e professores do ensino superior e básico. Destaco o papel importante desta Faculdade em conferir visibilidade internacional à Universidade desde a sua fundação. Afinal, esta Unidade agregou como elemento fundamental em sua estruturação a presença de diversos professores estrangeiros, principalmente, integrantes das missões francesa, italiana, portuguesa e alemã. As aulas que ministraram aos seus alunos transmitiam o que se discutia à época na Europa e nos Estados Unidos, contribuição que se revelou decisiva para inserir o Brasil no mapa mundial do desenvolvimento”, destacou.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail