Nova gestão da FSP assume com foco nos problemas atuais e no futuro da saúde

O diretor, Victor Wünsch Filho, e a vice-diretora, Patrícia Helen de Carvalho Rondó, tomaram posse na noite desta quarta-feira, dia 16 de abril, no Auditório da Unidade.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A nova direção da Faculdade de Saúde Pública (FSP), formada pelo diretor, Victor Wünsch Filho, e pela vice-diretora, Patrícia Helen de Carvalho Rondó, tomou posse na noite desta quarta-feira, dia 16 de abril, no Auditório Prof. Dr. João Yunes, da Unidade.

Depois da apresentação musical do CoralUSP e dos protocolos de posse, os novos gestores da FSP fizeram seu discurso. Em sua fala, a vice-diretora Patrícia citou o contexto da saúde na qual, destacando as dificuldades sócio-econômicas, ambientais e educacionais com um dos principais problemas da população brasileira. Por isso, segundo ela, “é um desafio gerir uma Unidade voltada ao Ensino, Pesquisa e Extensão na área de saúde pública”.

Patrícia (foto) apresentou dados da Organização das Nações Unidas (ONU), como por exemplo o que diz que a cada unidade monetária investida em saneamento, economiza-se cinco unidades em tratamentos de saúde; e que 80% das doenças em países em desenvolvimento são causados pela falta de água suficiente, para ao final ressaltar a importância da área de saúde pública: “melhorar a vida do ser humano, minorar suas dores e sofrimentos”.

Atuação diversificada

“Sinto-me honrado e feliz com a perspectiva de retribuir à Faculdade de Saúde Pública da USP, mesmo que modestamente, o muito que recebi desta casa durante décadas, desde que aqui ingressei para realizar o curso de Especialização em Saúde Pública, em 1978. Agradeço a confiança em mim depositada pela nossa comunidade, o que permite chegar à etapa final de minha vida acadêmica com a incumbência de dirigir uma das principais escolas de saúde pública da América Latina”, iniciou o diretor Victor Wünsch Filho.

O mandato do diretor vai até 23 de março de 2018; e o da vice-diretora até abril do mesmo ano

Wünsch citou alguns problemas evidenciados nas cidades brasileiras e também no mundo, como a poluição do ar, águas e solo, deficiências no saneamento básico e no transporte público, violência, acidentes, dengue, crack, transtornos psiquiátricos, o envelhecimento populacional, as doenças transmissíveis e as não transmissíveis; e depois lembrou de pesquisas dos docentes da Unidade relacionadas a estes e outros temas. “O corpo docente atua em uma miríade de desafios para a saúde das populações humanas”.

Ao final, o diretor ressaltou que a direção da Faculdade, sem perder a sua missão, deve ter plasticidade suficiente para incorporar as demandas da comunidade acadêmica, bem como aquelas da sociedade. E, ao reitor Marco Antonio Zago, disse que ele pode contar com a gestão para estabelecer uma colaboração profícua para o engrandecimento da FSP e da USP.

Aproveitando o fato da posse ser em uma Unidade voltada à saúde e de ser médico também, o reitor fez um breve comentário sobre doenças e os sistemas de saúde. E, que tem certeza que a Unidade, assim como a USP, continuará estendendo à comunidade a sua expertise e transferência de conhecimentos na área da saúde, sem deixar de lado suas outras atividades fins, como a Graduação e a PósGraduação.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados