Nova direção da FAU toma posse comprometida com patrimônio e ensino

O novo diretor e a nova vice-diretora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, Marcelo Andrade Romero e Maria Cristina da Silva Leme, tomaram posse no dia 16 de dezembro, em evento realizado no Auditório Ariosto Mila.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O novo diretor e a nova vice-diretora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), Marcelo Andrade Romero e Maria Cristina da Silva Leme, tomaram posse no dia 16 de dezembro, em evento realizado no Auditório Ariosto Mila.

“É preciso preparar os alunos para o mercado de trabalho e os desafios dos últimos tempos”, ressaltou o novo diretor da FAU, Marcelo Andrade Romero

Em seu discurso de posse, Romero fez um panorama sobre a FAU e ressaltou a importância da Faculdade para o desenvolvimento do país. O novo diretor citou, como exemplo, que a taxa de urbanização brasileira está em 81,2%, segundo o Censo Demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) neste ano, e “há déficit de 7 milhões de moradias”.

Por causa dessa realidade, segundo o diretor, “é necessário que os formados estejam preparados para formular políticas públicas e de governo para ajudar [nesta questão]”. E para isso, nos últimos 12 anos, a FAU procurou atualizar a grade curricular dos seus cursos para “preparar os alunos para o mercado de trabalho e os desafios dos últimos tempos”, com a inclusão de temas como a arquitetura versus tecnologia, sustentabilidade, gestão do patrimônio cultural e projetos urbanos, entre outros.

O diretor destacou que a Unidade tem três patrimônios, o físico, formado pelos três edifícios utilizados para ensino, dos quais dois são tombados pelo patrimônio histórico; o cultural que corresponde ao acervo das bibliotecas, “uma das maiores do país referentes a arquitetura, urbanismo e artes visuais”; e às pessoas que compõem a FAU: docentes, alunos e funcionários. “Este é o nosso patrimônio. Sinto-me no dever de zelar por ele”. Ele disse ainda que pretende “dar continuidade à obra de recuperação física de nossos edifícios”, o que inclui também o prédio em que a FAU está instalada dentro da Cidade Universitária do Butantã, desde 1969, e que foi projetado por Vilanova Artigas.

“Esta nova gestão propõe-se a trabalhar de forma articulada”, afirmou a nova vice-diretora da FAU, Maria Cristina da Silva Leme

Maria Cristina disse ter muito orgulho e satisfação em fazer parte desta nova gestão da FAU, pois toda sua formação foi na USP, além de pertencer a uma família de professores da Universidade. Ela lembrou que a sua turma de graduação foi a primeira a estudar no edifício projetado por Artigas, “o que correspondia a um novo projeto pedagógico, que inovou ao unir o ensino de arquitetura e urbanismo”, recordou.

Um dos desafios que a nova direção tem, segundo a vice-diretora, é dar resposta aos problemas da sociedade brasileira, e por isso, “esta nova gestão propõe-se a trabalhar de forma articulada” para conseguir atingir estes objetivos, finalizou.

O reitor João Grandino Rodas enfatizou que a importância da FAU não é só reconhecida fora dos muros da Universidade, pois ela “é fundamental para a USP”, e espera que a Unidade participe da sua renovação arquitetônica também. Rodas enfatizou que a restauração do prédio projetado por Vilanova Artigas, citado pelo diretor e pela vice-diretora, está sendo apoiada pela Reitoria, e que isso é uma satisfação para ele, como reitor, pois conheceu o prédio na sua inauguração, quando ainda era estudante da USP.

FAU em números

Fundada em 1948, originária do antigo curso de engenheiro-arquiteto da Escola Politécnica (EP), tem o segundo curso de arquitetura mais antigo do Brasil. Sua pós-graduação foi criada em 1972 com o curso de mestrado, um dos pioneiros na América Latina, e, em 1980 foi criado o curso de doutorado, que por 20 anos foi o único do país. Nos seus 62 anos de existência, a Unidade formou 5400 arquitetos, 1100 mestres e 741 doutores. A Faculdade recebe 190 alunos de graduação por ano nos dois cursos que oferece, arquitetura e design (a primeira turma teve início em 2007). Possui, atualmente, 2100 alunos de graduação e pós-graduação; 100 alunos estrangeiros; 137 docentes e 194 funcionários.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados