Mais alunos da rede pública de ensino ingressaram na USP em 2012

Este ano, a porcentagem de ingressantes de alunos da escola pública foi de 28%, registrando aumento de dois pontos percentuais em relação ao ano passado.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Percentual atingiu 28%, três pontos acima do registrado no ano passado; a renda familiar mensal da maior parte dos alunos beneficiados pelo Inclusp está entre três e cinco salários mínimos

Em 2012, mais alunos da rede pública de ensino ingressaram na USP, segundo os dados apresentados pela pró-reitora de Graduação da Universidade, Telma Maria Tenório Zorn, hoje, dia 13 de abril. Este ano, a porcentagem de ingressantes de alunos da escola pública foi de 28%, registrando aumento de dois pontos percentuais em relação ao ano passado.

A pró-reitora de Graduação, Telma Maria Tenório Zorn, apresentou os resultados do Inclusp

Do total de 10.852 vagas oferecidas no Vestibular, 3.038 foram preenchidas por oriundos da escola pública, beneficiados pelo Programa de Inclusão Social da USP (Inclusp).

Em março do ano passado, o Conselho de Graduação aprovou mudanças no Inclusp. O Programa de Avaliação Seriada (Pasusp), uma das mais importantes ações do Inclusp, passou a proporcionar bônus de até 15% aos estudantes que cursaram o ensino fundamental em escola pública e matriculados no 2º ou 3º ano do ensino médio também em escola pública.

Para os alunos do 2º ano, apenas se inscrevendo no Vestibular e fazendo a prova, estes receberam 2% de bônus. Alcançando 40 dos 90 pontos possíveis na prova, receberam os 5% de bônus integralmente e podem carregar esses bônus para o ano seguinte, quando prestarem o vestibular. Quando esse aluno estiver no 3º ano, o teto da bonificação é de 10%, de acordo com o número de pontos alcançados na primeira fase.

Como o novo sistema foi implantado este ano, somente para este vestibular, na prova da primeira fase, os estudantes do 3º ano puderam obter até 15% de bonificação. Essa bonificação foi concedida de acordo com o número de questões acertadas, com o mínimo de 22 pontos  (nota mínima para passar para a segunda fase) e o máximo de 60 pontos para obter os 15% integralmente.

Das 3.038 vagas preenchidas por alunos da escola pública neste ano, 10,5% são de  alunos beneficiados diretamente pelos bônus concedidos pelo Programa de Avaliação Seriada (Pasusp). Esse índice foi comemorado pela pró-reitora, já que são estudantes que tiveram toda sua formação escolar em escola pública – do ensino fundamental ao médio.

“A nossa meta é sempre incluir com qualidade. Queremos que os alunos das escolas públicas ingressem na USP por mérito, com condições de acompanhar o curso e vivenciar plenamente sua vida acadêmica. Isso já está comprovado pelo desempenho que esses alunos têm alcançado”, afirmou a pró-reitora, referindo-se à análise da média global desses estudantes, entre os anos de 2007 e 2010, em comparação ao desempenho do total geral de alunos da Universidade.

Perfil socioeconômico

Todos os cursos de graduação da USP registraram o ingresso de oriundos da escola pública, beneficiados pelo Inclusp

Outros dados apresentados pela pró-reitora referem-se ao perfil socioeconômico dos ingressantes da rede pública, beneficiados pelo Inclusp/Pasusp.

A renda familiar mensal da maior parte dos alunos beneficiados pelo Inclusp — 28% — que ingressaram na Universidade, está entre três e cinco salários mínimos. Projetando esse mesmo dado para os alunos do Pasusp, esse índice chega a 34,8%. Na média geral dos ingressantes na USP, essa porcentagem é de 19,2%.

Quanto ao grau de instrução da mãe dos alunos que optaram pelo Inclusp, 31,9% declararam ter ensino médio completo e 25,2% nível universitário completo. Na média geral da USP, 21,6% das mães tem ensino médio completo e 48% com nível universitário completo.

Dos alunos beneficiados pelo Pasusp, quase a totalidade dos aprovados – 99,1% – prestou o Vestibular da FUVEST pela primeira vez em 2012 e 35,1% também se inscreveram para o vestibular da Unicamp e da UNESP.

Cursos Inclusp

A pró-reitora ressaltou que todos os cursos de Graduação, sem exceção, tiveram ingressantes oriundos de escolas públicas e beneficiados pelo Inclusp. Alguns cursos, entretanto, mereceram destaque pelo maior número de alunos desse segmento e sua relação com o número de vagas oferecidas.

Na área de Humanas, os cursos de Letras (42,8%), Pedagogia (40%), Jornalismo (39%), Ciências Sociais (34,5%) e Direito (21,7%) tiveram a maior porcentagem de ingressantes da escola pública, beneficiados pelo Inclusp.

No campo das Biológicas, os destaques foram os cursos de Farmácia-Bioquímica (45,3%), Enfermagem (33,7%), Medicina Veterinária (27,5%), Ciências Médicas – campus de Ribeirão Preto (22%) e Medicina (17,7%).  Em Exatas, Matemática (51%), Licenciatura em Física (50%) e Bacharelado em Sistemas da Informação (42,5%).

Embaixadores e tutores

Telma também anunciou a expansão da edição 2012 do Programa Embaixadores USP, em que alunos e docentes visitam escolas públicas para relatar suas experiências acadêmicas. Neste ano, alunos de graduação e de pós-graduação, professores e funcionários de toda a Universidade poderão participar do programa, antes restrito aos alunos que ingressaram na USP beneficiados pelo Inclusp.

Outra novidade apresentada pela pró-reitora foi a criação do Programa de Tutoria Científico-Acadêmica, que visa à integração do estudante no ambiente de ensino e pesquisa da Universidade, desde o início de sua entrada na USP.

Serão oferecidas 300 bolsas, no valor mensal de R$ 400, preferencialmente aos alunos ingressantes nos cursos de graduação que tenham renda familiar mensal comprovada no valor de até  cinco salários mínimos, conforme dados do questionário socioeconômico da Fuvest.

Um professor-mentor fará o acompanhamento do alunos, auxiliando a enfrentar seus primeiros semestres na Universidade, levando-o à criação de seu primeiro projeto de pesquisa e a oferecer ao bolsista a oportunidade de realizar atividades práticas experimentais básicas, compatíveis com o primeiro ano de graduação.

Segundo a pró-reitora, o mentor deverá concordar em atuar também como um conselheiro, um guia que auxilie o aluno a integrar-se de modo pleno na Universidade.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados