Festa dos 20 anos da Edusp reúne cerca de 300 convidados

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

(Foto: Ernani Coimbra)

(Da esq. p/ dir) Diretor-presidente da Edusp Plínio Martins Filho; a reitora Suely Vilela;

e os ex-reitores da USP, José Goldemberg, Flávio Fava de Moraes e Adolpho José Melfi.

A solenidade de comemoração dos 20 anos da Editora da Universidade de São Paulo (Edusp) e o lançamento do milésimo título, realizada no Salão Nobre da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), no dia 25 de março, contou com a presença de mais de 300 convidados.

Prestigiaram o evento, além da reitora Suely Vilela, os ex-reitores da USP, José Goldemberg, Flávio Fava de Moraes e Adolpho José Melfi; o 2º vice-presidente da Fiesp, Guilherme Sabino Ometo; o presidente da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Hubert Alqueres; o secretário Municipal de Cultura, Carlos Augusto Machado Calil; o presidente da Comissão Editorial da Edusp e doutor honoris causa da Universidade de São Paulo, José Mindlin; e o organizador do milésimo título da Edusp, o livro Épicos, professor da Escola de Comunicação e Artes (ECA) e da Universidade do Texas, Ivan Teixeira.

Dando início à solenidade, o diretor-presidente da Edusp, Plínio Martins Filho, destacou o papel das editoras universitárias, afirmando que “uma universidade pública não é uma empresa editorial, mas trata-se de uma instituição que deve ter como uma de suas funções fundamentais a atividade editorial, uma vez que o livro continua sendo o suporte privilegiado da transmissão da ciência, da literatura, de todas as áreas do conhecimento e da expressão humana. Por isso, a editora universitária pública é um instrumento fundamental para efetivação desses valores acadêmicos”.

Já o bibliófilo José Mindlin agradeceu o ex-reitor da USP, José Goldemberg, a quem a editora deve sua existência. “Quando se fundou a Edusp, as editoras universitárias eram quase clandestinas. Hoje, existe até uma associação, que permite que as pessoas possam conhecer o que se faz em matéria editorial de norte a sul do país”, disse Mindlin, que completou, brincando: “O livro bonito não custa mais caro que o livro feio. Hoje não preciso dizer mais isso, pois os livros da Edusp estão no nível editorial das melhores universidades do exterior”. Mindlin foi reconduzido recentemente pela reitora Suely Vilela ao cargo de presidente da Comissão Editorial da Edusp.

A reitora Suely Vilela destacou o empenho da Editora em cumprir uma de suas principais metas: a de tornar pública parcela significativa dos conhecimentos gerados pela Universidade por meio da publicação de livros. “O reconhecimento da alta qualidade do trabalho da Edusp, nesses 20 anos de existência, se expressa na premiação substantiva de seus autores, que receberam 55 Prêmios Jabuti, uma das mais altas distinções do mercado editorial brasileiro. Realço, também, que um terço dos mil títulos publicados pela Editora se encontra esgotado. Tal fato comprova que o livro considerado ‘acadêmico’, quando bem elaborado, pode competir com qualquer outro nas estantes das boas livrarias”, disse a reitora. 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail