Escritório USP Mulheres quer debater a igualdade de gênero em sala de aula

A proposta foi apresentada pela coordenadora do Escritório USP Mulheres, Eva Altermann Blay

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Eva Blay. Foto: Cecília Bastos/USP Imagem
“O gênero é a uma construção social, histórica e dinâmica que envolve mulheres, homens e transgêneros, e temos de introduzir a discussão do gênero na Universidade”, afirmou Eva

O Escritório USP Mulheres está desenvolvendo uma proposta para incluir o tema “Igualdade de Gênero” na grade curricular dos cursos da Universidade.

A proposta foi apresentada pela coordenadora do Escritório USP Mulheres, Eva Alterman Blay, no evento Impact University Champions Steering Committee, promovido pelo movimento “ElesporElas” [HeForShe], no dia 22 de março, na Universidade de Leicester, no Reino Unido. “O gênero é a uma construção social, histórica e dinâmica que envolve mulheres, homens e transgêneros, e temos de introduzir a discussão do gênero na Universidade”, afirmou Eva.

No encontro, representantes de universidades, empresas e governos integrantes do projeto discutiram sobre os compromissos assumidos, bem como sobre suas respectivas prioridades para o futuro. De acordo com Eva, no que diz respeito às universidades, cada uma apresentou seus principais problemas e suas peculiaridades. A violência contra a mulher mostrou-se um ponto em comum entre as Instituições.

O Escritório USP Mulheres é uma iniciativa criada pela Universidade para integrar o movimento “ElesPorElas” [HeForShe], desenvolvido pela ONU Mulheres, instituição das Nações Unidas dedicada a projetos na área de igualdade de gêneros e empoderamento das mulheres. A USP foi uma das dez universidades mundiais escolhidas para fazer parte desse movimento, sendo a única universidade latino-americana selecionada.

O HeForShe busca incluir o homem na discussão pela igualdade de gênero. “A ideia é trazer o homem para colaborar, solidariamente, na relação com as mulheres”, disse Eva. “Se você consegue criar uma relação harmoniosa, sem subordinação, você consegue mais bem-estar para cada um.”

(Com informações do Jornal da USP /Foto: Cecília Bastos / USP Imagens)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados