Esclarecimento da USP sobre a fosfoetanolamina – 01/04/16

A Universidade de São Paulo (USP) esclarece que a produção da fosfoetanolamina era feita por um servidor técnico (químico), que foi cedido à Secretaria Estadual de Saúde, a pedido, para auxiliar na produção da substância com a finalidade de realização de testes para possível uso terapêutico.

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

A Universidade de São Paulo (USP) esclarece que a produção da fosfoetanolamina era feita por um servidor técnico (químico), que foi cedido à Secretaria Estadual de Saúde, a pedido, para auxiliar na produção da substância com a finalidade de realização de testes para possível uso terapêutico.

Deve ser destacado que a patente da fosfoetanolamina é de propriedade, dentre outras pessoas, de um professor aposentado da Universidade e do servidor antes mencionado, de modo que a USP não pode produzir a substância, sob pena, inclusive, de responsabilização penal dos envolvidos (artigo 183 da Lei Federal n. 9279/96).

Por fim, ressaltamos que a USP não é uma indústria química ou farmacêutica e não tem condições de produzir a substância em larga escala.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados