Dirigentes discutem gestão acadêmica e administrativa da USP

No encontro, promovido no dia 12 de dezembro, no campus de Piracicaba, também foram discutidas as metas para 2015.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Dirigentes se reuniram, no campus de Piracicaba, para discutir a gestão acadêmica e administrativa da Universidade e as metas para 2015

No último dia 12 de dezembro, dirigentes de Unidades de Ensino e Pesquisa, Institutos, Museus e Órgãos Centrais se reuniram, no campus de Piracicaba, para discutir a gestão acadêmica e administrativa da Universidade e as metas para 2015.

O reitor Marco Antonio Zago deu início ao encontro e explicou que a pauta da reunião foi definida a partir das sugestões encaminhadas antecipadamente pelos próprios dirigentes. A reunião foi dividida em painéis: Avaliação Institucional, Regime de Trabalho e Carreira Docente, Festas e Segurança e Gestão Administrativa e Orçamento.

Antes de dar início à discussão dos temas, o reitor teceu esclarecimentos sobre dois temas recorrentes: a contratação de novos docentes e o aumento da cota-parte do ICMS que a USP recebe do Governo do Estado.

Sobre a reposição de quadro docente, o reitor reiterou que a Universidade não dispõe de verbas orçamentárias para contratações imediatas. Entretanto, duas iniciativas serão desenvolvidas pela Reitoria, voltadas, principalmente, para a pesquisa e para a graduação.

Visando ao mérito dos núcleos de pesquisa e à internacionalização, será assinado um acordo entre a USP e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que concederá 40 a 60 bolsas, com duração de três anos, para fomentar a vinda de docentes do exterior para a USP. Para essa contratação, deverá ser elaborado um edital externo.

No que tange aos cursos de graduação, a partir do primeiro semestre, a Comissão de Claros Docentes e a Pró-Reitoria de Graduação vão desenvolver um estudo detalhado das necessidades de contratação de docentes. Prevê-se que as contratações para reposição tenham início em 2016 e, para expansão dos cursos, a partir de 2017. Não há previsão de contratação de servidores técnico-administrativos nesse período.

Em relação aos repasses do Governo do Estado, o reitor ressaltou que foi solicitado, por intermédio do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp), o aumento da cota-parte do ICMS às Universidades – USP, Unesp e Unicamp.

O reitor conclamou os dirigentes a estabelecerem, em conjunto, as metas da USP para 2015, entre as quais alguns pontos já foram elencados, como capacitação de docentes, regimes de trabalho e carreira docente, capacitação de língua inglesa, divulgação científica e programa USP Digital.

Está prevista nova reunião para o final de fevereiro ou início de março, em que será estabelecida uma lista de prioridades, com os prazos para o cumprimento das metas.

Paineis

A segunda parte da reunião foi dedicada à discussão dos temas dos paineis: Avaliação Institucional, Regime de Trabalho e Carreira Docente, Festas e Segurança, Gestão Administrativa e Orçamento

A segunda parte da reunião foi dedicada à discussão dos temas dos paineis: Avaliação Institucional, Regime de Trabalho e Carreira Docente, Festas e Segurança, Gestão Administrativa e Orçamento.

Em cada um deles, os dirigentes puderam se inscrever para as discussões, o que gerou a participação maciça e a abordagem de inúmeras proposições, que foram sintetizadas pelos relatores.

O primeiro painel foi mediado pelo pró-reitor de Graduação, Antonio Carlos Hernandes, e pelo presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, Raul Machado Neto. As discussões desse painel giraram em torno da participação da USP no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), formas alternativas de ingresso, qualidade dos cursos de graduação, entre outros tópicos.

O presidente do grupo de trabalho sobre atividade docente e professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), Ricardo Ribeiro Terra, foi o expositor do segundo painel, e falou sobre as atividades e as discussões empreendidas pelo GT.

Criado em 30 de abril deste ano, o grupo tem a incumbência de estudar, discutir e apresentar relatório propondo eventuais modificações para modernizar o regime de trabalho docente e os sistemas de avaliação individual na Universidade, bem como sugerir uma política geral nessa área para os próximos anos.

O tema “Festas e Segurança” foi apresentado pela superintendente de Prevenção e Proteção Universitária, Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer, e pela superintendente jurídica, Maria Paula Dallari Bucci.

A realização das festas e do consumo de álcool nos campi foram pontos bastante discutidos entre os presentes, cujas opiniões coincidiram no que tange à implementação de uma regulamentação sobre o tema.

“Esta foi uma reunião muito produtiva, que aponta para a necessidade de termos reuniões de trabalho com maior frequência”, destacou o reitor, ao final do encontro

O reitor reforçou que há legislação estadual sobre a proibição do consumo e venda de álcool nos campi da Universidade e serão concedidos os instrumentos institucionais para que se estabeleça a regulamentação.

No painel Gestão administrativa e Orçamento, o vice-reitor Vahan Agopyan ressaltou que, desde o início da gestão, foi feita uma programação de atividades visando à simplificação dos processos administrativos, que terá continuidade em 2015.

Sobre o Programa de Incentivo à Demissão Voluntária, Agopyan esclareceu que os recursos humanos serão otimizados a partir do cenário que se apresentará após a conclusão das inscrições, que vão até 31 de dezembro. “A Universidade vai se readequar à nova realidade e não vai parar”, destacou. “Temos que ver o PIDV como uma oportunidade de replanejamento da Universidade”, completou.

Encerramento

O reitor encerrou o evento apresentando o embrião do novo portal da Universidade, que deverá ser tema de discussão na próxima reunião de dirigentes.

“Esta foi uma reunião muito produtiva, que aponta para a necessidade de termos reuniões de trabalho com maior frequência. Dos temas discutidos hoje derivaram muitos consensos, em questões que eram tabus na Universidade há algum tempo, como a utilização do Enem como parte do sistema de ingresso, a participação da USP no Enade, regimes de trabalho, segurança, entre outros”, ressaltou.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados