FOB reúne seu passado e presente para celebrar jubileu de ouro

Com a presença de professores, alunos e funcionários de hoje e do passado, a Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB), deu início oficialmente, no dia 11 de maio, às atividades comemorativas que serão realizadas ao longo deste ano para celebrar o cinquentenário de fundação da Unidade.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Faculdade inicia comemorações do seu jubileu de ouro com o teatro Universitário Dioracy Fonterrada Vieira lotado de professores, alunos e funcionários, representantes locais, além de ex-diretores, professores aposentados, ex-alunos e ex-funcionários, que contribuíram com a excelência da Faculdade no decorrer destes anos

(esq. p/ dir.) o atual diretor da FOB e os ex-diretores que prestigiaram o evento

Com a solenidade de abertura das comemorações dos 50 anos da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB), realizada na sexta-feira, dia 11 de maio, foi dado início oficialmente às atividades comemorativas que serão feitas ao longo deste ano para celebrar o cinquentenário de fundação da Unidade.

A cerimônia teve início com um breve pronunciamento de abertura feito pelo reitor João Grandino Rodas no qual exaltou a Unidade, lembrando que a realização da solenidade era “para dar júbilo de alegria, lembrar e repensar o que foi e o que será”.

Vídeo e livro – registros de uma história

Logo após, aconteceu a exibição do vídeo: “FOB 50 anos”, que apresenta a história da Faculdade, que teve sua aula inaugural para a primeira turma, composta por 10 alunos, em 17 de maio de 1962, e já formou mais de 2500 profissionais nos cursos de odontologia e fonoaudiologia; fala dos departamentos que compõem a Unidade; as áreas de pesquisa e de extensão; e a infraestrutura que o campus da USP de Bauru proporciona aos docentes, funcionários e alunos.

“Depois de 50 anos, é difícil não encontrar um profissional formado pela FOB em todos os estados brasileiros ou atuando nas diversas faculdades desta área e que fizeram pós-graduação aqui”, ressaltou o diretor da Unidade, José Carlos Pereira, em seu discurso. E aproveitou para reconhecer “o esforço e o espírito acadêmico” de todos que ajudaram a construir e manter a Faculdade com qualidade; além de agradecer as comissões criadas para organizar os eventos em comemoração ao cinquentenário e à Reitoria da Universidade pelo apoio aos projetos da FOB.

O prefeito do campus da USP de Bauru, Ruy Cesar Camargo Abdo, revelou que tem uma relação importante e especial com a FOB e o campus, pois foi aluno na graduação e na pós-graduação, além de ter feito sua carreira acadêmica e administrativa. A superintendente em exercício do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho), Regina Célia Bortoleto Amantini, disse que a comemoração do jubileu de ouro é um momento de olhar para o futuro, através do relato da história; e também aproveitou para ler uma mensagem do superintendente do HRAC, José Alberto de Souza Freitas, conhecido também como “Tio Gastão”, o qual comparou a FOB a uma mãe, “que é generosa, zelosa com sua comunidade”.

O reitor João Grandino Rodas (entre a vice-diretora Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado e o diretor José Carlos Pereira) também foi um dos homenageados da noite

O discurso de lançamento do livro “FOB – 50 anos de história” foi feito pelo diretor da Faculdade na gestão de 2006 a 2010, Luis Fernando Pegoraro, um dos integrantes da comissão para elaboração da obra, “com o objetivo de registrar e não deixar que a história fosse perdida e esquecida”.

Homenagens

A diretora na gestão de 2002 a 2006, Maria Fidela de Lima Navarro, primeira mulher no comando da FOB, fez o pronunciamento em nome de todos os ex-diretores da Unidade. Maria Fidela destacou o fato da FOB ter sido criada como uma Unidade de Ensino da USP, de ter tido como um dos seus diretores Paulo de Toledo Artigas. Ela lembrou também como funcionava as questões burocráticas e o intercâmbio com outros pesquisadores, o que era mais difícil, pois não existia a internet, por exemplo, e, terminou dizendo que o desafio de fazer uma nova história está lançado.

Como forma de reconhecer a dedicação demonstrada à Faculdade, foram homenageados com a entrega do livro sobre a história da FOB todos os primeiros docentes da FOB – que estiveram presentes no evento; os decanos da curso de odontologia e de fonoaudiologia; os professores que são chefes de departamentos, representando todos os docentes em atividades; e os presidentes das comissões criadas para organizar os eventos em comemoração ao cinquentenário.

Também receberam homenagens, aplaudidos de pé pela plateia presente na cerimônia, os funcionários em atividade e os aposentados, e os alunos das primeiras turmas dos dois cursos de graduação da Faculdade.

A tradição da modernidade

As outras Unidades da USP que possuem curso de odontologia, chamadas de coirmãs, Faculdade de Odontologia e Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto, também foram lembradas através dos seus diretores, Rodney Garcia Rocha e Valdemar Mallet da Rocha Barros. A Administração Central da Universidade foi representada pela reitora na gestão de 2005 a 2009, Suely Vilela; pelo reitor João Grandino Rodas; pelo vice-reitor Hélio Nogueira da Cruz; e pelo pró-reitor de Pós-Graduação, Vahan Agopyan.

O professor aposentado Roberto Loureiro Maringoni (no meio) foi homenageado por ser um dos primeiros docentes da FOB

A comunidade de Bauru também foi homenageada através da vereadora Chiara Ranieri, representando a Câmara Municipal da cidade – que fez uma Moção de Aplauso à FOB em sessão solene, em razão do aniversário da Unidade – ao Jornal da Cidade, representado pelo gerente de produtos editoriais João Jabbour.

Além da Moção da Câmara Municipal, outras iniciativas também foram feitas para marcar o jubileu da FOB, como o lançamento de selo personalizado e carimbo comemorativo feito pelos Correios “para registrar a história desta prestigiosa Instituição”, afirmou o responsável pela diretoria regional, Antônio Marques de Matos; e uma placa comemorativa com a data da implantação da Faculdade.

Assim como o discurso de abertura, o de encerramento também foi feito pelo reitor, o qual destacou que assim como é importante para a FOB fazer parte da USP, para a Universidade também é fundamental ter a Faculdade como uma de suas Unidades de excelência. Rodas também falou do Centrinho, dos tratamentos oferecidos ligados ao conhecimento científico da Faculdade. E apesar de ter 50 anos, o que é pouco na história, “a FOB tem a tradição da modernidade”.

Professores e funcionários da FOB cantam hino

O reitor aproveitou a ocasião para falar sobre a implantação de um curso de graduação em medicina no campus de Bauru, explicando que para a implantação de qualquer novo curso na Universidade é preciso ser aprovado nos diversos Conselhos existentes, como os de Graduação e o Universitário, e que acredita ser preciso “fazer uma preparação, uma residência médica primeiro, para que ser for viabilizado o curso, ele não comece do zero e consiga ficar no nível de excelência dos outros de medicina da USP”.

O evento terminou com a apresentação do Conjunto Sônia Berriel e com a exibição de um grupo formado por professores, alunos e funcionários da Faculdade cantando a Canção da FOB.


(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados