Bem-estar do brasileiro é tema de novo Centro de Pesquisa da USP

Lançado no dia 23 de junho, o Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano é o primeiro Cepid & PITE da Fapesp na área de Humanidades, com o apoio da Natura, cujas pesquisas serão desenvolvidas a partir de dois pilares: psicologia e neurociências.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

As pesquisas serão desenvolvidas a partir da psicologia e de neurociências

No dia 23 de junho, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp), foi realizada a cerimônia de lançamento do novo Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano, que tem sede no Instituto de Psicologia (IP) da USP.

Trata-se do primeiro Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) & Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE), da Fapesp, na área de Humanidades e conta com a parceria da Natura, empresa multinacional brasileira do segmento de cosméticos e produtos de higiene e beleza.

É formado por uma rede de pesquisadores de psicologia e de neurociências de três universidades do Estado de São Paulo – USP, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Universidade Presbiteriana Mackenzie.

mesa cerimônia
(Da esq. p/ dir.) O diretor-científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz; a vice-presidente de Marketing e Inovação da Natura, Andrea Alvares; o presidente da Fapesp, José Goldemberg; o vice-reitor da USP, Vahan Agopyan; e o vice-presidente de Inovação da Natura, Gerson Pinto

A criação do Centro é resultado da chamada de proposta Fapesp-Natura 2013. Inspirado nos Cepids apoiados pela Fapesp – dos quais a USP coordena 11 dos 17 em vigor atualmente –, o projeto contará com investimento de R$ 20 milhões, durante dez anos, divididos igualmente entre a Fundação e a Natura, e com contrapartida equivalente da USP na forma de apoio institucional e administrativo aos pesquisadores envolvidos.

O tema central é a estruturação de uma base sólida para avaliação e promoção do bem-estar da população brasileira. As pesquisas têm como objetivo o desenvolvimento de indicadores de bem-estar, o estudo da expressão emocional e do reconhecimento de emoções e a promoção de bem-estar em contexto individual, familiar e social. Os estudos estarão concentrados em duas áreas principais: psicologia positiva e neurociência cognitiva.

A psicologia positiva tem seu foco no estudo e no desenvolvimento das qualidades humanas, como otimismo, resiliência, cultivo das emoções positivas e autoestima. Já a neurociência cognitiva estuda a atenção, a memória e a linguagem, além da regulação emocional e sua influência nas relações sociais, em questões como raça, gênero e condições sociais.

Parceria

Na abertura da cerimônia, o presidente da Fapesp, José Goldemberg, brincou que as pesquisas do projeto vão muito além de desvendar o que é importante para a área cosmética, pois têm como foco a qualidade de vida dos brasileiros. A vice-presidente de Marketing e Inovação da Natura, Andrea Alvares, destacou que a empresa sempre enfatizou a pesquisa como caminho para entregar bem-estar aos seus consumidores e, por isso, faz parcerias com empresas, comunidades e universidades.

O vice-reitor da USP, Vahan Agopyan, parabenizou a Fapesp pelo “ineditismo e ousadia em implantar programas com empresas, o que ajuda a colocar as instituições de ensino mais próximas da sociedade”.

994X0808
No lançamento do centro de pesquisa, a diretora Emma Otta detalhou os temas que serão estudados, a equipe e os seus desafios

“O nosso Centro tem como meta uma compreensão profunda do povo brasileiro através do desenvolvimento de marcadores e indicadores de bem-estar, percepção e qualidade de vida”, destacou a diretora do Centro e professora do Departamento de Psicologia Experimental do Instituto de Psicologia, Emma Otta, durante a apresentação sobre a motivação e importância desse novo Cepid PITE.

Tecnologia

Os integrantes do Centro têm um histórico de liderança e participação em redes de pesquisa em projetos de pesquisa multicêntricos e de divulgação científica.

Emma coordenará o projeto em conjunto com a vice-diretora e gerente-científica de Ciências de Bem-Estar da Natura, Patrícia Tobo.

Por meio da coordenação de Educação e Difusão do Conhecimento, o Centro visa propor inovações com potencial de melhorar o ensino e a percepção científica da sociedade. A coordenadora dessa área é a professora da Escola de Comunicações e Artes (ECA), Maria Cristina Castilho Costa, e a vice-coordenadora é a pesquisadora da Natura, Ana Azambuja.

Com a responsabilidade de conectar a pesquisa científica com a inovação e a transferência de tecnologia, a coordenação de transferência de tecnologia ficará sob a responsabilidade da vice-coordenadora da Agência USP de Inovação e professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), Luciane Meneguin Ortega, e do vice-coordenador e gerente-científico para Sistemas de Inovação da Natura, Leonardo Garnica.

“Há grande potencial de aplicação do conhecimento produzido por pesquisas em psicologia nas áreas da educação, da saúde, do trabalho e das organizações em prol do desenvolvimento das pessoas e da sociedade, podendo-se diminuir o custo econômico da doença para o governo e a sociedade, na medida em que as pessoas aprenderem como fazer escolhas que promovam seu bem-estar e a sua saúde. O nosso Centro visa manter um canal aberto de interlocução com a sociedade”, ressalta Emma.

Veja, a seguir, entrevista com a professora Emma Otta, em vídeo produzido pela Agência Fapesp.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados