“Precisamos estar atentos às demandas da sociedade”, ressalta diretor

A cerimônia de posse dos novos diretores da Esalq, Durval Dourado Neto e João Roberto Spotti Lopes, aconteceu no dia 17 de janeiro

  • 58
  •  
  •  
  •  
  •  
Dirigentes da Universidade, políticos, representantes do setor produtivo e da comunidade universitária prestigiaram o evento – Foto: Gerhard Walle/Assessoria de Comunicação da Esalq

Em uma cerimônia que lotou o Salão Nobre da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), no dia 17 de janeiro, Durval Dourado Neto e João Roberto Spotti Lopes tomaram posse como os novos diretor e vice-diretor da Escola.

Prestigiaram o evento o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira; o deputado federal Arnaldo Jardim; o presidente da Câmara de Vereadores de Piracicaba, Gilmar Rotta; vice-reitor Antonio Carlos Hernandes; além de dirigentes da Universidade, políticos, representantes do setor produtivo e da comunidade universitária.

O novo diretor iniciou seu discurso relatando um pouco de sua história, da estrutura e de suas conquistas. Em seguida, fez um resumo do programa de gestão e falou sobre os princípios que conduzirão as ações a serem implantadas. (Clique aqui para ler o discurso na íntegra.)

“As diretrizes de nosso programa de gestão foram norteadas pela demanda da sociedade e objetivam buscar a valorização da instituição e do profissional, a excelência da prestação de serviços referentes às atividades de ensino, pesquisa e extensão, com foco na consolidação da liderança nacional e internacional”, afirmou.

Para concluir, Dourado Neto fez uma reflexão sobre o atual momento histórico que vivemos. Segundo ele, “o papel fundamental da boa universidade é a educação de alto nível, que ensina a pensar. O bom gestor é aquele que busca compatibilizar liberdade e igualdade, enquanto direitos a serem exercidos por cada um e por todos nós. Essa dicotomia de valores significa, na realidade, a pluralidade das mais diversas matizes do pensamento que deve presidir o ambiente universitário. Só assim a Esalq, atenta à sua maior demanda – que é a de transformar conhecimento em riqueza, poderá atendê-la tendo em vista verdadeiramente o bem comum de todos”.

Descerramento do quadro do ex-diretor Luiz Gustavo Nussio – Foto: Gerhard Walle/Assessoria de Comunicação da Esalq

Em seguida, o professor José Roberto Postali Parra fez o discurso de saudação ao ex-diretor Luiz Gustavo Nussio, cujo quadro passará a compor a Galeria de Diretores da Esalq.

Excelência

O reitor Vahan Agopyan ressaltou a importância da posse de novos diretores, que proporciona um momento de reflexão e renovação das expectativas da instituição, e agradeceu aos dirigentes por sua generosidade e dedicação para com a Universidade.

Em seu discurso, Agopyan lembrou que “o Estado de São Paulo teve a felicidade de contar com a liderança de pessoas que, na segunda metade do século XIX, acreditaram que o desenvolvimento de São Paulo só se daria por meio da educação e que as escolas deveriam ser laicas, pois a ciência não poderia ter amarras. A Esalq é resultado dessa visão e esse espírito permanece ainda hoje. Por isso, tenho a certeza de que a Escola continuará mantendo sua excelência”.

Encerrando a cerimônia de posse, o professor Zilmar Ziller Marcos declamou a Ode à Esalq e o Grupo Vocal Luiz de Queiroz apresentou o Hino da Esalq.

Na sequência do evento foi realizada a cerimônia de transferência da titularidade da Cátedra Luiz de Queiroz.

[A partir da esquerda] O vice-diretor João Roberto Spotti Lopes, o diretor Durval Dourado Neto, o reitor Vahan Agopyan, o vice-reitor Antonio Carlos Hernandes e o ex-diretor Luiz Gustavo Nussio

Assista, a seguir, à reportagem produzida pela TV USP Piracicaba sobre a posse da nova diretoria da Esalq:

E confira na íntegra o discurso de posso de Durval Dourado Neto:

Minhas exatas 1.534 palavras deste discurso foram assim estruturadas:
(1ª Parte) apresentação sucinta da Esalq/USP em números, (2ª Parte) resumo do programa de gestão, (3ª Parte) princípios norteadores das ações a serem implementadas, e (4ª Parte) reflexão sobre o momento histórico atual.

(Parte 1) apresentação sucinta da Esalq/USP em números

Desde 1901, em seus quase 118 anos de existência, a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz formou 24.940 profissionais: 15.756 Bacharéis em Administração, Ciências Biológicas, Ciência dos Alimentos, Ciências Econômicas, Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal e Gestão Ambiental, e 9.184 Mestres (5.905) e Doutores (3.279) em 17 programas de Pós-Graduação (Administração, Bioenergia, Ciência Animal e Pastagens, Ciência e Tecnologia de Alimentos, Ecologia Aplicada, Economia Aplicada, Engenharia de Sistemas Agrícolas, Entomologia, Estatística e Experimentação Agronômica, Fisiologia e Bioquímica de Plantas, Fitopatologia, Fitotecnia, Genética e Melhoramento de Plantas, Biologia Celular e Molecular Vegetal [Internacional], Microbiologia Agrícola, Recursos Florestais e Solos e Nutrição de Plantas).

A Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz possui 3.825,4 hectares, contemplando três estações experimentais (Anhembi, Anhumas e Itatinga) com 2.910,9 hectares e o campus Luiz de Queiroz com 914,5 hectares, dois Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT – Engenharia de Irrigação e Semioquímicos na Agricultura), 262.320,23 m² de área construída, 203 Docentes, 466 funcionários Técnicos e Administrativos, 12 departamentos e 130 laboratórios.

A ordem de grandeza do orçamento é de 216 milhões de reais, sendo que cerca de 191 milhões de reais se referem à folha de pagamento (pessoal ativo e inativo), 16 milhões de reais ao orçamento do tesouro e 9 milhões de reais à verba adicional.

(Parte 2) resumo do programa de gestão

As diretrizes do program de gestão foram norteadas pela demanda da sociedade, as quais objetivam buscar a valorização da instituição e do profissional (professores, pesquisadores, extensionistas, funcionários e estudantes) norteada pela excelência da prestação de serviços referente às atividades de ensino, pesquisa e extensão, com foco na consolidação da liderança nacional e internacional.

No âmbito da governança e das comissões dministrativas (Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa, Cultura e Extensão Universitária e Relações Institucionais), destacam-se as seguintes ações: (1) criação do Comitê de planejamento estratégico composto pelos respectivos Presidentes das Comissões Administrativas, (2) criação do Conselho Consultivo composto por ex-diretores, pelo Titular da Cátedra e profissionais externos, (3) elaboração do Plano Esalq/USP 2030, (4) elaboração do planejamento estratégico contemplando política de reposição e treinamento de pessoal, manutenção de áreas consolidadas de excelência, e estabelecimento de áreas estratégicas emergentes, (5) Consolidação e apoio à implementação do projeto acadêmico da unidade (constante adequação para melhor representar os valores da Unidade – Esalq – em consonância com as Diretrizes da Instituição estabelecidas pela Comissão Permanente de Avaliação – CPA, composta pela Comissão Plenária – CP, Câmara de Avaliação Institucional – CAI – e Câmara de Atividades Docentes – CAD), (6) informatização de atividades visando a otimização de recursos humanos, (7) fortalecimento do Serviço de atividades internacionais, (8) Apoio à consolidação da Cátedra Luiz de Queiroz, (9) consolidação do Centro de Inovação Agrícola e Tecnológica China-Brasil com a Hainan University e China Agricultural University, (10) Apoio às iniciativas que visam a liderança internacional, como a consolidação da aliança (A5) com as cinco melhores universidades na área de ciências agrárias: Wageningen University and Research (WUR), University of California, Davis (UCDavis), Cornell University, China Agricultural University (CAU) e Universidade de São Paulo (USP), por intermédio da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq), bem como a criação e manutenção dos acordos de Cooperação Internacional com Universidades de excelência e (11) Apoio às iniciativas de manutenção e criação de infraestrutura de ensino, pesquisa e extensão no campus Luiz de Queiroz. Informações adicionais sobre o programa de gestão estão apresentadas no folder alusivo a este evento.

Assim, o programa de gestão contempla ações e metas nas áreas de ensino (graduação e pós-graduação), pesquisa, extensão e administração com ênfase na liderança nacional e internacional e manutenção e criação de infraestrutura. O programa de gestão, referente ao Quadriênio 2019-2022, foi elaborado em consonância com as diretrizes da instituição, plano de metas e projeto acadêmico da Unidade norteado pela sua visão, missão e valores.

(Parte 3) Princípios norteadores das ações a serem implementadas

No cotidiano da Diretoria, ter-se-ão diariamente ações a serem implementadas, cujas decisões serão norteadas pelos seguintes princípios: (1) a prova quádrupla, adotada pelos Rotaryanos, proposta por Herbert J. Taylor em 1932, baseada no princípio da razoabilidade, traduzida em mais de 100 idiomas, e (2) a teoria tridimensional (Fato, Valor e Norma) proposta por Miguel Reale inspirada nos filósofos Icilio Vanni, Giorgio Del Vecchio e Adolfo Nova.

A Prova Quádrupla adaptada é um guia para nortear as ações a serem implementadas caso as seguintes quatro perguntas sejam verdadeiras: (1ª. pergunta) É verdade? (2ª. pergunta) É justo para todos os interessados? (3ª. pergunta) Criará boa vontade e melhores resultados? e (4ª. pergunta) Será benéfico para todos os interessados (no nosso caso específico: Esalq e Sociedade)?

Já a teoria tridimensional foi consagrada no Direito, especialmente, no Brasil, por Miguel Reale em suas obras “O Direito como experiência” e “Teoria Tridimensional do Direito”, escritas concomitantemente em 1968, que afirmava que o Direito se compõe da conjugação harmônica dos três aspectos básicos e primordiais: (FATO) o aspecto fático, ou seja, o seu nicho social e histórico; (VALOR) o aspecto axiológico, ou seja, os valores buscados pela sociedade, como a Justiça; e (NORMA) o aspecto normativo, ou seja, o aspecto de ordenamento do Direito.

Essa Teoria, a rigor, é aplicável em outras áreas do conhecimento, desde Administração de Empresas a Agricultura. Essa teoria é importante porque para administrar é preciso aplicar regras, normas jurídicas. Parece-me imprescindível esses nortes diante do momento atual em que vivemos.

(Parte 4) reflexão sobre o momento histórico atual

Segundo Francisco Narcélio Ribeiro e Arnaldo Vasconcelos:
“Metafísica e Física, essência e existência, ser e dever-ser, mundo ideal e mundo dos fatos, inteligível e sensível, todas são características ou denominações para dois grandes campos do conhecimento, quais sejam, a Filosofia e a Ciência. As correntes tridimensionais do direito são exemplos categóricos da contínua interação desses dois campos. Filosoficamente, valorar é um ato inteligente de se realizar escolhas. Dessa forma, na medida em que os fatos se impõem pelos fenômenos históricos, econômicos, psicológicos, geográficos, religiosos, entre outros, provocam no ser humano uma análise, geradora de reação. É nesse momento que o homem valora os fatos e realiza suas escolhas. Há, portanto, uma constante interação de fato com valor, e disso resulta a norma. Assim, é imperioso afirmar que as escolhas devem ser pautadas tendo-se por medida o valor justiça, haja vista que este é a finalidade do Direito. Para Platão, a justiça tem origem na própria alma humana, é algo inato ao ser humano. Toda a elaboração do “estado perfeito” na obra “República” repousa sobre uma educação que tem como fundamento a justiça.”

Mas, há nisso, um grande desafio, que é exatamente definir o que seja a Justiça. Em especial no momento atual em que vivemos no Brasil e no mundo. O debate vigoroso que hoje ocorre entre os pensamentos de esquerda e os de direita parecem debater seu significado mais profundo. A esquerda na defesa do Justo pela ideia da igualdade; a direita na defesa do Justo pela ideia da liberdade. Igualdade que reclama um Estado maior para equilibrar as forças individuais, o que muitas vezes ocorre em detrimento da liberdade; e, por outro lado, a liberdade, que reclama um Estado menor a fim de favorecer as liberdades individuais, o que, não raras vezes ocorre em detrimento da igualdade.

Dentro desse imbróglio, a Justiça talvez seja um ponto de encontro entre estes dois valores. A Justiça, nesse sentido, poderia significar, então, um objetivo bifronte, aquele que deve desafiar o gestor, e que me desafia a partir de agora à frente da Esalq/USP, que é o de alcançar, para cada um de nós e para todos ao mesmo tempo, aplicando os princípios norteadores das ações que precisarão ser implementadas, a igualdade e a liberdade amalgamadas, de mãos dadas, numa nova realidade assente com esses valores que se impõe a toda nossa comunidade.

É, então, como um aprendiz da docência que digo: a consciência da limitação, da complexidade e, a rigor, da impossibilidade da definição do valor pleno de Justiça, só pode ser obtida com Educação, e Educação de alto nível. Educação que ensine a Pensar. Pensar o “em razão de que estamos juntos?”. Este é o papel fundamental da boa Universidade. Nesse contexto, o bom gestor será aquele que busca, ainda que utopicamente, compatibilizar Liberdade e Igualdade enquanto direitos a serem exercidos por cada um e por todos, nessa dicotomia de valores que significa, em realidade, a pluralidade nas mais diversas matizes do pensamento, que deve presidir o ambiente universitário. Só assim a Esalq, atenta à sua maior demanda, que é a de transformar CONHECIMENTO em RIQUEZA, poderá fazê-lo tendo em vista, verdadeiramente, o bem comum de todos.

Sendo assim, apresento minhas Considerações finais:
Enfim, a 1ª Parte apresentou a grandiosidade da Esalq em números.
A 2ª Parte: o resumo do programa de gestão.
A 3ª Parte: os princípios norteadores das ações a serem implementadas.
E, finalmente, a 4ª Parte: a Tese de que o melhor entendimento sobre o momento histórico atual propicia um melhor convívio.

 

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 58
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados