Parto decorrente de útero transplantado está entre as pesquisas mais comentadas em 2019

O artigo científico que descreve a técnica foi o 43º assunto mais comentado nas redes sociais, segundo ranking

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=298025
Equipe médica do HC que realizou o transplante de útero – Foto: Reprodução via Portal do governo do Estado/SP

O artigo científico sobre a pesquisa que levou à realização bem-sucedida de um parto de uma criança gerada em um útero transplantado foi o 43º assunto com maior repercussão nas mídias sociais em 2019.

A classificação é do ranking Altmetric Top 100, publicado no final do ano passado, pela plataforma Altmetric. O ranking reflete o impacto de artigos científicos em grandes veículos de comunicação, blogs, Wikipedia e redes sociais.

O parto foi realizado em dezembro de 2017, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, e foi o primeiro a ser considerado bem-sucedido em todos os aspectos: o transplante do útero de uma doadora com morte cerebral, a gestação sem rejeição e o parto de uma criança saudável. Casos anteriores falharam pela rejeição do órgão ou resultaram em aborto.

O pesquisador Edmund Chada Baracat, que também é o pró-reitor de Graduação da USP – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

O artigo que descreve em detalhes o procedimento foi publicado na revista médica The Lancet, em abril de 2018, com o título “Livebirth after uterus transplantation from a deceased donor in a recipient with uterine infertili”.

Para o professor da Faculdade de Medicina e diretor da Divisão de Ginecologia do Hospital das Clínicas, Edmund Chada Baracat, “a grande repercussão do artigo mostra a importância de uma boa divulgação científica para o fortalecimento do nosso trabalho. Para que o procedimento fosse bem-sucedido, foram investidos cinco ou seis anos de pesquisas e treinamentos, envolvendo uma equipe multidisciplinar, com médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e diversos outros profissionais”.

Altmetric Top 100

O ranking Altmetric Top 100 é publicado anualmente, desde 2013, e classifica os 100 artigos mais discutidos e compartilhados nas mídias sociais durante o ano, com base nos dados coletados pela plataforma Altmetric.

Para essa edição do ranking foram considerados os trabalhos publicados em 43 revistas científicas, no período entre novembro de 2018 e novembro de 2019.

Os pesquisadores da Universidade de Harvard são os que apareceram com mais frequência na lista, com 11 artigos, e a revista Nature foi a que publicou mais artigos classificados.

O conceito de altmetria tem ganhado força nos últimos anos. Trata-se da utilização de indicadores alternativos – como compartilhamentos em redes sociais, curtidas, citações, downloads e reportagens – que considera a repercussão das pesquisas científicas na sociedade como um todo, e não apenas as citações da pesquisa e de seus autores em publicações voltadas para a comunidade científica.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.