Orçamento para 2018 é aprovado pelo Conselho Universitário

O orçamento da USP será da ordem de R$ 5,1 bilhões, dos quais R$ 4,99 bilhões referem-se aos repasses do governo estadual

  • 56
  •  
  •  
  •  
  •  
A sessão foi realizada no dia 12 de dezembro – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

O Conselho Universitário aprovou o orçamento da Universidade para 2018, na sessão realizada no dia 12 de dezembro.

O orçamento da USP será da ordem de R$ 5,1 bilhões, dos quais R$ 4,99 bilhões referem-se aos repasses do governo estadual — a Universidade recebe a cota-parte de 5,02% da arrecadação do ICMS do Estado —; R$ 69,4 milhões, a recursos próprios; e R$ 109,1 milhões relacionam-se a recursos vinculados federais.

Do total do orçamento, R$ 4,6 bilhões serão alocados nas despesas com a folha de pagamento, o que corresponde a 92,8% da dotação orçamentária decorrente das transferências do Tesouro do Estado para 2018.

As despesas com outros custeios e investimentos estarão no patamar de R$ 698,4 milhões. Os custos previstos com serviços de limpeza e vigilância, assistência médica e odontológica, restaurantes universitários e serviços de utilidade pública estão baseados nos gastos atuais, acrescidos do valor necessário para cobrir eventuais reajustes de preços e tarifas em 2018.

A dotação da Política de Apoio à Permanência e Formação Estudantil foi priorizada. Os investimentos nessa política serão da ordem de R$ 225,6 milhões, incluindo itens como bolsas e auxílios para alimentação, aquisição de livros, transporte e moradia estudantil, além daqueles incluídos nas alíneas assistência médica e odontológica, restaurantes universitários, estágios, educação física e esportes.

Dentro do programa de bolsas e auxílios, R$ 36 milhões serão destinados especificamente às políticas de inclusão social.

Autonomia

Ao final da sessão, o reitor Marco Antonio Zago lembrou que aquela era a última reunião presidida por ele, já que seu mandato se encerra no próximo mês de janeiro. O dirigente destacou que, nos últimos quatro anos, foram promovidas 36 reuniões do Conselho.

“Durante minha gestão, o Conselho Universitário e os demais órgãos colegiados reassumiram seu papel central no processo decisório da Universidade. Todas as decisões foram aprovadas com maioria ampla de votos: a USP mudou radicalmente com apoio expressivo dos conselheiros”, disse.

Zago também falou sobre os principais projetos e medidas desenvolvidos desde quando assumiu a Administração Central, em 2014, como a reserva de vagas para alunos oriundos de escolas públicas e para os autodeclarados pretos, pardos e indígenas, as ações adotadas para o reequilíbrio financeiro da instituição e a criação do Escritório USP Mulheres, dentre outros. “Deixo este Conselho confiante de que continuará sua missão de mais de 80 anos, vigilante quanto ao futuro e à autonomia da USP”, considerou (clique aqui e leia a íntegra da mensagem do reitor).

  • 56
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados