Nota de pesar da EACH pelo falecimento do padre Ticão

Foto: Natália Dourado/Assessoria de Imprensa da EACH

No primeiro dia do ano de 2021, a comunidade da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) recebeu uma triste notícia. O padre Antonio Luiz Marchioni, conhecido carinhosamente por padre Ticão, faleceu aos 68 anos de idade, sendo 48 deles dedicados ao sacerdócio. Ele era pároco da Paróquia de São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, e também foi um importante líder comunitário da zona leste de São Paulo.

Padre Ticão teve uma relação muito próxima com a EACH desde muito antes da sua fundação. Ele participou fortemente da mobilização popular para a criação da escola. Desde então, foi um dos interlocutores mais ativos entre os anseios da comunidade da zona leste da cidade e a EACH. Participou de dezenas de reuniões e atividades na escola, sempre com o objetivo de ajudar no desenvolvimento da EACH e em como ela poderia contribuir para a comunidade.

+ Mais

Por um futuro construído com generosidade

“Foi com muito pesar que a Reitoria da USP recebeu a notícia do falecimento do padre Antonio Luiz Marchioni, conhecido como padre Ticão, neste começo de ano. Como importante liderança religiosa e dos movimentos sociais na região da zona leste, sempre lutou pelos direitos humanos, pela inclusão social e pela diminuição da desigualdade em uma das áreas mais carentes de São Paulo. Com a visão de que a educação pública de qualidade é o principal agente transformador da sociedade, o pároco foi um dos grandes mobilizadores para a implantação do campus Leste da USP que, em 2020, completou 15 anos de existência e tem a EACH, lá instalada e já consolidada, como uma das unidades mais proeminentes de nossa universidade nas áreas do ensino, da pesquisa e da extensão universitária. Em tempos de obscurantismo e negacionismo, o desaparecimento do padre Ticão representa uma perda irreparável para todos nós”, afirmou o reitor da USP, Vahan Agopyan.

De acordo com a diretora da EACH, Mônica Yassuda, “o padre Ticão foi fundamental para a consolidação do programa USP 60+ na EACH, pois apoiava o programa divulgando na paróquia e nas missas a programação do semestre”.

Padre Ticão na inauguração da EACH, em 2005 – Foto: Oswaldo Santos/Jornal da USP

O vice-diretor da EACH, Ricardo Uvinha, destacou o relacionamento do pároco com a escola: “O padre Ticão representa uma figura fundamental para a implantação da USP Leste e esteve conosco em diversos eventos, com atuação marcante e uma liderança social amplamente reconhecida por nossa unidade. A minha primeira oportunidade de contato com ele foi como docente, nos primeiros meses de 2005, quando do início das nossas atividades acadêmicas na EACH. Anos depois, atuei como presidente da Comissão de Cultura e Extensão da EACH e tive a oportunidade de interagir mais diretamente com ele e sua equipe na Paróquia de São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, onde buscamos realizar diversas ações de aproximação entre a comunidade e a nossa universidade. Seu legado deve ser devidamente reconhecido e servir de inspiração para futuras atuações com a comunidade do entorno”.

O assistente técnico de Apoio aos Órgãos Centrais da EACH, Marcos André, comentou sobre a importância de padre Ticão para a criação da escola: “Acredito que a existência da USP Leste também se deve à sua liderança por enxergar a educação como fundamental para a melhoria da comunidade. O padre Ticão era o melhor interlocutor representativo da comunidade, que conhecia as carências e os objetivos das pessoas valorosas da nossa região. Tive a oportunidade de recebê-lo em nosso campus em vários encontros com a nossa comunidade interna. Ele sempre trazia os anseios da população e cobrava intensamente por melhorias para as pessoas”.

“Recebemos com muita tristeza a notícia do falecimento do padre Ticão. Trata-se de uma figura central no processo de extensão da USP para a zona leste. Ele esteve na linha de frente da articulação junto ao Governo do Estado para a instalação da USP Leste. Além do mais, sua longa trajetória foi pautada na luta pela garantia e defesa dos direitos sociais e humanos das periferias. Sem sombra de dúvidas é uma grande perda para a nossa escola e para a região. Em sua memória, gritamos PADRE TICÃO PRESENTE!”, afirmou o representante discente no Conselho Técnico-Administrativo da EACH, Nabi Oliveira.

No ano de 2013, quando a comunidade da EACH comemorava os dez anos do lançamento de sua pedra fundamental, o padre Ticão, orgulhoso, afirmou que “resultado de muitas lutas empreendidas pelos movimentos sociais da região, sobremaneira dos grupos envolvidos diretamente com a questão da educação pública em geral – da creche à Universidade, como diziam as lideranças dos movimentos, a USP Leste é um exemplo de tudo o que pode ser conquistado por uma comunidade organizada”.

Além de participar da mobilização para a criação da EACH, o padre Ticão também contribuiu para a instalação da Universidade Federal de São Paulo na zona leste, do Centro de Convivência para a Melhor Idade e do Centro de Recuperação de Crianças Deficientes. Ele ainda foi um dos líderes do movimento pela criação do Parque Dom Paulo Evaristo Arns e do Hospital de Ermelino Matarazzo.

Assessoria de Imprensa da Escola de Artes, Ciências e Humanidades