Na 67ª posição, USP é a melhor brasileira em ranking de empregabilidade

O ranking foi divulgado no dia 10 de setembro, pela consultoria britânica Quacquarelli Symonds

  • 262
  •  
  •  
  •  
  •  

A USP ficou na 67ª posição no QS Graduate Employability Rankings 2019, divulgado no dia 10 de setembro. Três universidades norte-americanas lideram a lista: em primeiro lugar ficou o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), seguido da Universidade de Stanford e da Universidade da Califórnia – Los Angeles (Ucla), empatadas na segunda posição.

Ao todo, seis instituições brasileiras figuram na lista das 500 melhores. Além da USP, foram classificadas a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na faixa entre 251-300. Em seguida, no grupo entre 301-500, ficaram a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Elaborado pela consultoria britânica Quacquarelli Symonds (QS), o ranking avaliou 650 instituições de ensino superior do mundo e classificou as 500 melhores, de acordo com a empregabilidade de seus pós-graduados e a relação entre estudantes e empregadores. O ranking foi publicado pela primeira vez em 2016, avaliando apenas 300 instituições e classificando as 200 melhores. A USP não participou dessa primeira edição, mas na segunda, publicada no ano passado, a Universidade ocupou a 61ª posição.

Cinco indicadores são usados para avaliar as universidades: reputação da instituição entre as empresas (30%), sucesso dos ex-alunos (25%), parcerias com empregadores (25%), presença de companhias (10%) e a taxa de empregabilidade (10%). Quando considerados isoladamente, a USP fica na 26ª posição no indicador sucesso dos ex-alunos e na 55ª posição no indicador reputação entre as empresas.

  • 262
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados