Grupo de trabalho de Readequação do Ano Acadêmico divulga comunicado sobre novas restrições

Novas restrições começam a vigorar a partir do dia 25 de março e valem até o dia 5 de abril

Por

O Grupo de Trabalho responsável pelo Plano USP de Readequação do Ano Acadêmico (GT PRAA) divulgou hoje, dia 22 de março, um comunicado com novas restrições vinculadas à Fase A, etapa mais crítica de restrição adotada em função do agravamento da pandemia da covid-19 no Estado de São Paulo.

As novas restrições começam a vigorar a partir do dia 25 de março, às 20h, e têm validade até o dia 5 de abril, às 5h. De acordo com o novo documento, ficou definido que:

  1. Os campi devem ter restrição rigorosa de circulação de pessoas e acesso de veículos. No campus Butantã, o acesso será exclusivamente pelo Portão 1 (P1). Portões 2 e 3 permanecerão fechados.
  2. Estão proibidas quaisquer atividades que resultem em aglomeração de pessoas, mesmo em ambiente aberto.
  3. Atividades presenciais, não essenciais, estão proibidas.
  4. Ambientes internos às Unidades, aos Órgãos e nos campi que tenham potencial de aglomeração devem permanecer fechados.
+ Mais

Campi da USP entram em fase de restrição máxima devido ao agravamento da pandemia no Estado

No comunicado, o GT também reafirma decisões adotadas anteriormente:

  • O primeiro semestre letivo do ano acadêmico de 2021 terá início em 12 de abril exclusivamente por meio de aulas remotas.
  • As atividades de pós-graduação e de cultura e extensão devem acontecer por meio remoto.
  • As atividades de pesquisa relacionadas à pandemia podem continuar, desde que se respeite o protocolo de biossegurança e o número máximo de pessoas em ambiente fechado.
  • Atividades de pesquisa experimentais não associadas à pandemia devem ser suspensas, desde que não acarretem prejuízo à Universidade.
  • Atividades essenciais vinculadas à saúde, como Hospital Universitário, Ubas, Centro de Saúde e outros, deverão ser mantidas em funcionamento, sempre respeitando o protocolo de biossegurança.
  • Manutenção de biotérios, de alimentação de animais, de equipamentos especiais podem ser mantidos em funcionamento, desde que tenha a concordância do dirigente.
  • Viagens internacionais podem ocorrer, desde que tenha a concordância do dirigente.
  • A entrega de marmitas e o funcionamento das moradias estudantis podem ocorrer, respeitando-se o protocolo de biossegurança.
  • Obras em andamento e prestação de serviços terceirizados podem ocorrer, respeitando-se o protocolo de biossegurança.

Caberá aos dirigentes manter o mínimo de atividades administrativas, priorizando as atividades remotas e, quando necessária, a atuação presencial, garantindo o rígido respeito aos protocolos de biossegurança.

O GT PRAA é coordenado pelo vice-reitor da Universidade, Antonio Carlos Hernandes, e formado pelos professores André Lucirton Costa, Edson Cezar Wendland, Gerson Aparecido Yukio Tomanari,  Mônica Sanches Yassuda e Tarcisio Eloy Pessoa de Barros Filho.

O GT é responsável pelo desenvolvimento e pela atualização do Plano USP para o retorno gradual das atividades presenciais, que define protocolos, oferece recomendações e apresenta orientações aos gestores e aos membros da comunidade universitária para a viabilização progressiva das atividades acadêmicas e administrativas presenciais nos campi, que estão suspensas desde o dia 17 de março do ano passado, por conta da pandemia da covid-19.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.