Fortalecer o compromisso social é uma das diretrizes da Graduação

Na terceira entrevista da série, o Jornal da USP conversa com o novo pró-reitor de Graduação

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Garantir a excelência e a qualidade no ensino e na formação integral dos estudantes deve ser parte do compromisso social da USP como universidade pública e gratuita. Assim, o novo pró-reitor de Graduação, Edmund Chada Baracat, define uma das principais premissas para seu trabalho à frente da área que, segundo ele, o reitor Vahan Agopyan chamou de “vitrine da USP”.

“Essa definição do reitor me marcou muito. A USP tem como missão formar profissionais, em todas as áreas do conhecimento, comprometidos com a sociedade. E esse é um desafio muito grande, pois oferecemos mais de 180 cursos de graduação e temos mais de 60 mil alunos”, considera Baracat, que assume a Pró-Reitoria ao lado da professora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP), Maria Vitória Lopes Badra Bentley, sua adjunta.

Baracat explica que suas diretrizes de trabalho estão baseadas em duas vertentes principais: a consolidação e expansão de projetos da gestão do então pró-reitor e atual vice-reitor Antonio Carlos Hernandes; e a criação e implementação de novos programas norteados pelos princípios da excelência acadêmica, da relação com a sociedade e da valorização dos recursos humanos.

“Vamos incrementar as iniciativas bem-sucedidas nas gestões anteriores e aliar novos projetos, sempre procurando envolver todos os campi, no foco na excelência da qualidade”, destaca.

Diálogo e inclusão

O diálogo e a interação com dirigentes e Comissões de Graduação das Unidades é, para Baracat, um dos avanços conquistados na gestão anterior que deverá ser ampliado no próximo biênio. “Vamos interagir e ampliar o diálogo com os outros pró-reitores, diretores, vice-diretores e presidentes das Comissões de Graduação, coordenadores de cursos e prefeitos dos campi, para ouvir e entender as demandas e para que possamos trabalhar em conjunto”, explica.

Edmund Chada Baracat é pró-reitor de Graduação da USP – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

As primeiras incursões com esses objetivos serão realizadas nos próximos dias 12 e 13 de abril, no campus de Ribeirão Preto.

A modernização dos currículos dos cursos também será privilegiada, com o estímulo ao uso de novas metodologias e ferramentas de ensino. Nos últimos quatro anos, Unidades como a FCFRP, a Faculdade de Medicina (FM), a Escola Politécnica (Poli) e a Faculdade de Direito (FD) já promoveram essa reestruturação curricular.

Outro ponto citado pelo pró-reitor como uma de suas principais metas é a de expandir o processo de inclusão social e acesso à Universidade.

“Vamos buscar uma maior interação com a Secretaria Estadual de Educação para fortalecer o programa Vem pra USP! [iniciativa que visa ao desenvolvimento de ações para incentivar o acesso de estudantes da rede pública de ensino aos cursos de graduação da Universidade]. Neste ano vamos começar o projeto mais cedo, ainda no primeiro semestre. O sistema não deve mudar, mas queremos ter mais estudantes participando, porque esse é um programa com grande potencial”, afirma.

Para 2019, conforme aprovado no Conselho Universitário no ano passado, 40% das vagas de cada curso de graduação da USP deverão ser reservadas para alunos pretos, pardos e indígenas (PPIs) oriundos de escolas públicas.

Comunidade e acolhimento

As atividades de interação entre estudantes de graduação e a comunidade são partes importantes do processo de formação acadêmica do aluno, avalia Baracat. Nesse sentido, a Pró-Reitoria implantará um novo projeto chamado “Aprender com a Comunidade”. “Esta será uma importante frente do desenvolvimento do ensino na Universidade”, completa.

O projeto “Bandeira Científica” realiza atividades interdisciplinares focadas em saúde em municípios carentes do país – Foto: Divulgação

O programa pretende consolidar as iniciativas já existentes na Universidade, como o “Bandeira Científica”, que realiza atividades interdisciplinares focadas em saúde em municípios carentes do país, e estimular a criação de novos projetos que promovam a parceria entre diferentes Unidades.

No aspecto da valorização dos recursos humanos, a capacitação docente será privilegiada com a criação do programa “USP Education Scholarship”, cujas atividades poderão ser realizadas em períodos que vão de dois meses a um ano na própria Universidade ou até mesmo no exterior.

A Pró-Reitoria também participará do Escritório de Acolhimento aos Alunos – iniciativa que está sendo desenvolvida pela Reitoria, em parceria com as demais Pró-Reitorias e que contemplará aspectos sociais e de saúde mental dos estudantes. Além disso, o Escritório de Carreiras e os programas voltados para a qualidade de vida dos estudantes também terão suas atividades fortalecidas nos próximos dois anos.

Quem é 

Edmund Chada Baracat graduou-se em Medicina, em 1976, pela Escola Paulista de Medicina. Defendeu, naquela Instituição, Mestrado, em 1984, e Doutorado, em 1985. Obteve o título de livre-docente em Ginecologia em 1992. Foi pró-reitor de Graduação na Universidade Federal de São Paulo no período de 2004 a 2005.

Desde 2006, é professor titular da Disciplina de Ginecologia do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina (FM) da USP.

Em 2011, assumiu a Presidência da Comissão de Graduação da FM, tendo coordenado a reformulação do currículo do curso de graduação em Medicina. Foi pró-reitor de Graduação adjunto no período de 2014-2015 e, desde 2016, coordena a Câmara Curricular e do Vestibular da Pró-Reitoria.

Além das atividades relacionadas à graduação, desenvolve atividades de pesquisa e na pós-graduação. Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em Obstetrícia e Ginecologia da FM.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados