Evento discute ameaça de corte nos recursos da Fapesp

Projeto de lei orçamentária do governo do Estado para 2021 prevê redução de 30% no valor repassado à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) – Foto: Eduardo Cesar/Fapesp

Representantes de seis universidades estaduais e federais estarão reunidos virtualmente nesta sexta-feira, 23 de outubro, às 13 horas, para um evento de repúdio ao corte de recursos para a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), previsto no Projeto de Lei 627, do governo estadual paulista.

O projeto, que estabelece o orçamento do Estado para 2021, prevê uma redução de 30% no valor que deverá ser repassado à Fapesp no próximo ano. Na prática, isso significará um corte de R$ 454 milhões nos recursos disponíveis para pesquisa científica e tecnológica no Estado de São Paulo — tanto nas universidades quanto no setor privado. A Fapesp gasta menos de 5% de seu orçamento com sua própria administração e investe mais de 95% dos recursos que recebe diretamente em bolsas e projetos de pesquisa, que fazem do Estado de São Paulo o principal motor do desenvolvimento científico no País.

O orçamento da Fapesp é estipulado e protegido pelo Artigo 271 da Constituição Estadual de 1989, que determina que “O Estado destinará o mínimo de um por cento de sua receita tributária à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, como renda de sua privativa administração, para aplicação em desenvolvimento científico e tecnológico”. Essa vinculação constitucional de 1% nunca foi desrespeitada. 

+ Mais

Desvincular recursos da Fapesp é uma tragédia anunciada

Pelas contas do Estado, esse 1% em 2021 equivaleria a R$ 1,5 bilhão; mas o projeto de lei propõe repassar apenas R$ 1,06 bilhão, o equivalente a 0,7%, usando como argumento a possibilidade de desvinculação de receitas prevista na Emenda Constitucional 93/2016. Uma proposta anterior (prevista no PL 529), que propunha confiscar as reservas financeiras da Fapesp e das universidades estaduais de 2021 em diante, foi retirada pelo governo após forte pressão da sociedade.

Um abaixo-assinado da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (Aciesp) contra o PL 529 recebeu quase 165 mil assinaturas. A academia lançou, agora, um novo manifesto contra o corte na Fapesp: http://chng.it/bGHZ8sFw.

O evento desta sexta-feira é organizado pelas Pró-Reitorias de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal do ABC (UFABC), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Cada instituição terá dois representantes no encontro, que será transmitido ao vivo pelo canal da PRPG USP no YouTube:

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.