Escola de Ciência Avançada analisa a importância da diplomacia científica em tempos de pandemia

A Escola São Paulo de Ciência Avançada em Diplomacia Científica e Diplomacia da Inovação acontece entre os dias 3 e 7 de agosto

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=343750
Foto: Erika Yamamoto/Assessoria de Imprensa da USP

O reitor Vahan Agopyan participou da cerimônia de abertura da segunda edição da Escola São Paulo de Ciência Avançada em Diplomacia Científica e Diplomacia da Inovação (São Paulo School of Advanced Science in Science Diplomacy and Innovation Diplomacy – InnScidSP), que acontece entre os dias 3 e 7 de agosto, em formato virtual.

“A pandemia tem sido um desafio enorme para as universidades de todo o mundo, que estão tendo que se adaptar para conseguir cumprir suas missões. Felizmente, estamos conseguindo oferecer mais de 90% de nossas atividades de ensino e, em termos de pesquisa, em pouco tempo conseguimos organizar mais de 200 grupos voltados para o estudo de temas relacionados à covid-19 e atender demandas geradas pela pandemia. Além disso, também nos tornamos uma fonte de informações confiáveis. Dessa forma, nossa integração com a sociedade se fortaleceu e estamos mostrando que fazemos parte da solução”, ressaltou Agopyan na abertura do curso.

Promovida pelo Instituto de Relações Internacionais (IRI), em parceria com o Instituto de Estudos Avançados (IEA) e com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), a Escola reúne especialistas brasileiros e estrangeiros para discutir como a diplomacia científica influencia no desenvolvimento e na inovação de um país, em diversas áreas da tecnologia.

“A InnScidSP é, atualmente, uma de nossas iniciativas mais importantes. Com uma abordagem transdisciplinar, ela se tornou uma referência na constituição de uma rede de intercâmbio na área de diplomacia científica e em inovação. Nesta segunda edição, a InnScidSP mostra como somos capazes de superar as dificuldades impostas pela pandemia e como a Universidade está conseguindo manter suas atividades de ensino de maneira virtual e também avançar em importantes pesquisas, contribuindo para a sociedade de maneira muito eficaz”, explica a diretora do IRI, Janina Onuki.

O diretor do IEA, Guilherme Ary Plonski, lembrou que “os temas da diplomacia científica e da diplomacia da inovação se tornaram ainda mais relevantes nos dias de hoje. Essa é uma oportunidade para pensarmos em tudo o que está acontecendo e nos unirmos, na esperança de promover, por meio de ações coletivas, um mundo melhor para nossos filhos e netos. As universidades têm um papel importante na construção dessa nova era”.

InnScidSP

Criada em 2019, a Escola São Paulo de Ciência Avançada em Diplomacia Científica e Diplomacia da Inovação (InnScid SP) é promovida pelo IRI, em parceria com o IEA e o Centro de Estudos das Negociações Internacionais (Caeni), e conta com o apoio financeiro da Fapesp.

A iniciativa é coordenada pelo professor do IRI e vice-diretor do Museu Paulista, Amâncio Jorge Silva Nunes de Oliveira, e pelo chefe da Divisão de Ciência e Tecnologia da Embaixada Brasileira em Nova Déli, Pedro Ivo Ferraz da Silva.

Entre os temas abordados na edição deste ano da Escola estão a importância da colaboração científica no combate à pandemia, diferentes ecossistemas de inovação, internacionalização de startups, Amazônia e propriedade intelectual.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.