Esclarecimento sobre empresas terceirizadas e assistência estudantil

Reitoria divulga nota sobre o trabalho desenvolvido pelas empresas terceirizadas e as ações voltadas aos moradores do Crusp

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=313717

Desde o dia 12 de março, a Reitoria da USP tem divulgado comunicados sobre a pandemia da covid-19 e seus reflexos no dia a dia da Universidade, como a suspensão das aulas presenciais e das atividades de cultura e extensão e a ampliação do isolamento social em função do decreto do Governo do Estado.

Em particular sobre o trabalho desenvolvido pelas empresas terceirizadas, em 20 de março, a Coordenadoria de Administração Geral enviou recomendações aos administradores dos contratos nas Unidades de Ensino e Pesquisa sobre a necessidade dessas empresas serem notificadas a adotarem todos os meios necessários para cumprimento das regras estabelecidas pelas autoridades sanitárias e quanto à readequação e ao remanejamento das rotinas de trabalho dos prestadores de serviços, principalmente nas áreas de segurança e limpeza, tendo em vista a suspensão de atividades acadêmicas e a diminuição na circulação de pessoas.

Também foi recomendada a manutenção das rotinas de fiscalização e de pagamentos relativos aos contratos com essas empresas.

No que tange à assistência estudantil, a Superintendência de Assistência Social (SAS) tem despendido esforços para garantir a saúde e a segurança dos moradores do Conjunto Residencial da USP (Crusp), que não têm condições de retornar às suas casas neste momento.

Uma das primeiras resoluções foi distribuir itens de higiene e limpeza. A entrega do material foi feita para os apartamentos do Crusp em duas fases. No prazo de uma semana, cada apartamento recebeu um frasco de álcool em gel, um frasco de desinfetante de cinco litros, um frasco de limpador multiuso de cinco litros, um pacote com cinco sabões em pedra, um frasco de detergente líquido e um frasco de água sanitária.

O processo de distribuição foi escalonado entre os blocos para evitar aglomeração e os itens mais pesados foram entregues diretamente no bloco das mães.

Foram instalados dispensadores de álcool em gel em locais determinados, segundo normas da Vigilância em Saúde do Município de São Paulo, como, por exemplo, na área de acesso aos elevadores no primeiro pavimento de todos os blocos, no alojamento do Bloco C e no corredor das mães no bloco A.

Para sanar dúvidas e receber orientações sobre a doença, a SAS colocou à disposição um enfermeiro para atendimento a distância por e-mail e whatsapp.

Medida mais recente adotada pela Superintendência, e divulgada no dia 8 de abril, é a realização de ensaios moleculares de detecção do vírus entre os moradores dos oito blocos do Crusp, que será feita pela Plataforma Científica Pasteur-USP.

A SAS também está sempre atenta à saúde mental dos moradores e colocou à disposição os serviços conjuntos do Escritório de Saúde Mental da Pró-Reitoria de Graduação e do Programa Acolhe USP.

Também foi comunicado aos alunos que, por intermédio do professor José Ricardo Ayres, da Faculdade de Medicina da USP, o Centro de Saúde Escola Butantã colocou-se à disposição para atender alunos que necessitem trocar receitas de medicação de uso crônico. O Centro é também uma opção para pronto atendimento, bem como o Hospital Universitário.

Além disso, por questões impostas pelo distanciamento social, as assistentes sociais têm atendido a todas as demandas dos moradores por e-mail, sem exceção.

Quanto ao acesso à rede sem fio, a SAS provê acesso a dez salas Pró-Aluno que se encontram equipadas com monitores e computadores conectados à internet. De maneira emergencial, Unidades de Ensino e Pesquisa disponibilizaram salas e equipamentos de apoio aos moradores. Também foram reforçados os sinais de wifi na área externa dos prédios.

Importante ressaltar que, nesta semana, a USP receberá chips e modems, que podem ser adaptados a celulares e computadores, para serem distribuídos a estudantes que residem nas moradias estudantis da Universidade e aqueles que atendam a critérios socioeconômicos definidos pelas comissões de Graduação das unidades.

Sobre a alimentação, em função das restrições impostas pela pandemia, três dos quatro restaurantes do campus Butantã tiveram de ser fechados. Em caráter emergencial, foi estabelecido o fornecimento gratuito de marmitas em apenas um dos restaurantes do campus Butantã.

As refeições são diariamente supervisionadas por nutricionistas da USP, sendo que o valor calórico da refeição varia de 850 a 950 calorias e seu peso é de, no mínimo, 500 gramas.

A SAS implantou um processo especial de entrega em domicílio, no bloco das mães, das refeições para as crianças, contando, para isso, com o auxílio da Guarda Universitária. As crianças também receberam kits com folhas coloridas, materiais para desenho e pintura e livros. Esses kits foram preparados por iniciativa da Divisão de Creches.

Com relação à segurança, a Superintendência de Prevenção e Proteção Universitária intensificou as rondas e vigilância em todos os blocos do conjunto (todos os comunicados divulgados pela SAS aos moradores do Crusp sobre as medidas adotadas estão disponíveis neste link).

Orientações visando a sanar dúvidas sobre questões sanitárias durante a pandemia e todas as ações da USP relacionadas ao evento estão disponíveis no site USP e a covid-19.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.