Educação básica é a preocupação da nova cátedra do IEA-RP

O professor Mozart Neves Ramos tomou posse como primeiro titular da cátedra

A cerimônia de posse foi realizada no Anfiteatro da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto e contou com a presença do reitor Vahan Agopyan (em pé) – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

“A educação é a minha grande causa. Acredito que, se não vencermos o desafio de oferecer uma educação de qualidade para todos, diariamente, não teremos um futuro. E é preciso ter coragem para tomar as decisões, para romper com alguns hábitos, para avançarmos”, afirmou o educador Mozart Neves Ramos ao assumir como primeiro catedrático da Cátedra Sérgio Henrique Ferreira, do Polo do Instituto de Estudos Avançados de Ribeirão Preto (IEA-RP).

A cerimônia de posse foi realizada no dia 14 de fevereiro, no Anfiteatro da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto.

O reitor Vahan Agopyan ressaltou a importância do primeiro catedrático para estabelecer o sucesso e o bom desenvolvimento de uma cátedra, e elogiou a escolha de Mozart Neves Ramos para o cargo. “As cátedras foram retomadas na USP há oito anos, com a ideia de convidar uma personalidade externa à USP para trazer uma nova abordagem a temas prioritários. Com essa cátedra, o IEA-RP conseguiu captar duas das nossas grandes preocupações, que são: aumentar a interação da Universidade com os municípios e melhorar a qualidade da educação no Brasil”, explicou o reitor.

Para o diretor do Instituto de Estudos Avançados, Paulo Saldiva, “espaços para discussão, colaboração e busca por soluções, como o IEA-RP, são cada vez mais importantes. A USP tem todas as pessoas e competências necessárias para melhorar o País e, claramente, estamos dispostos a enfrentar o maior desafio do Brasil, que é a educação”.

Mozart Neves Ramos é o atual diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

A cerimônia contou com as presenças do vice-reitor Antonio Carlos Hernandes; do presidente do Conselho Nacional de Educação, Luiz Roberto Liza Curi; do secretário executivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Américo Ceiki Sakamoto; do presidente da Fapesp e ex-reitor da USP, Marco Antonio Zago; do representante do Santander Universidades, Luiz Fernando Costa; da viúva do professor Sérgio Henrique Ferreira, Clotilde Ferreira; do atual coordenador do IEA-RP, Antônio José da Costa Filho; e do ex-coordenador Fernando de Queiroz Cunha; além de dirigentes, pesquisadores e representantes dos municípios.

Nova estratégia para a educação

Em seu discurso de posse, o catedrático Mozart Neves Ramos ressaltou que “a Universidade pode fazer muito pela educação básica não só do Estado de São Paulo, mas do País. A Universidade tem que ser o grande carro-chefe da mudança na educação brasileira, mas para isso ela precisa ser humilde e se misturar, conhecer os problemas, entender a realidade”.

A primeira iniciativa da Cátedra será elaborar uma nova estratégia de educação para Ribeirão Preto, que possa servir de referência para outras cidades de médio porte. Entre os principais preocupações estão a necessidade de reduzir a desigualdade das escolas em termos de qualidade, o investimento na formação dos professores, o desenvolvimento de indicadores, a mobilização das pessoas e a comunicação com a sociedade.

“O papel dessa cátedra é transferir parte do conhecimento armazenado nas Universidades para melhorar a qualidade da nossa educação básica. Os problemas do Brasil são os problemas das cidades brasileiras e, por isso, é no município e no seu entorno que devemos dedicar grande parte dos nossos esforços”, defendeu o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira.

Cátedra Sérgio Henrique Ferreira

A Cátedra Sérgio Henrique Ferreira é uma iniciativa do IEA-RP financiada pelo Santander Universidades com o objetivo de buscar formas efetivas de contribuição para políticas públicas de cidades de médio porte.

Com quatro anos de duração total, a Cátedra focará sua atuação inicial na área educacional, integrando instituições e iniciativas locais para a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem em Ribeirão Preto.

Para assumir como primeiro catedrático foi convidado o professor Mozart Neves Ramos, atual diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna. O catedrático é doutor em Química pela Unicamp e tem pós-doutorado em Química pela Politécnica de Milão, Itália. Também foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco, presidente-executivo da organização Todos pela Educação e membro do Conselho Nacional de Educação.

A instalação da cátedra, em dezembro de 2019, celebrou os dez anos de atividades do IEA-RP. Ela recebeu o nome de Sérgio Henrique Ferreira, cientista da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) que, na década de 1960, fez descobertas sobre o veneno da cobra jararaca que deram origem ao anti-hipertensivo mais usado até hoje, o captopril.

[A partir da esquerda] Mozart Neves Ramos, Antônio José da Costa Filho e Fernando de Queiroz Cunha – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.