Docentes da USP recebem Prêmio Trajetória pela Inovação

A iniciativa premia professores que se destacaram na produção de inovações científicas, tecnológicas ou culturais

  • 160
  •  
  •  
  •  
  •  
Esta foi a primeira edição do Prêmio USP Trajetória pela Inovação, que homenageou seis professores da Universidade – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

No dia 23 de agosto, uma cerimônia no auditório do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) marcou a entrega do Prêmio USP Trajetória pela Inovação, concedido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e pela Agência USP de Inovação.

A iniciativa premia professores da Universidade que se destacaram, ao longo de suas atividades acadêmicas, na produção de inovações científicas, tecnológicas ou culturais, contribuindo assim para a excelência do resultado institucional e para o desenvolvimento socioeconômico do País.

Nesta primeira edição do prêmio, cinco professores foram homenageados: Glaucius Oliva, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC); Ismar de Oliveira Soares, da Escola de Comunicações e Artes (ECA); Kazuo Nishimoto, da Escola Politécnica (Poli); José Roberto Postali Parra, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq); e Marcelo Britto Passos Amato, da Faculdade de Medicina (FM).

Também foi outorgado, por indicação do reitor Vahan Agopyan, o Prêmio USP Trajetória pela Inovação in memoriam para o professor do IFSC, Horácio Carlos Panepucci.

A escolha dos laureados foi feita por uma Comissão do Conselho de Pesquisa da USP a partir de uma lista com 43 nomes propostos pelas unidades, museus e institutos especializados, cujas indicações foram aprovadas pelas respectivas Congregações ou Colegiado.

“A maior riqueza da USP são seus recursos humanos. Essa diversidade e qualidade são basicamente a confluência de trajetórias individuais. Com este prêmio, reconhecemos essas trajetórias notáveis”, destacou o coordenador da Agência USP de Inovação, Antonio Carlos Marques.

O pró-reitor de Pesquisa da Universidade, Sylvio Roberto Accioly Canuto, falou sobre a ideia da criação do prêmio. “Estamos premiando pessoas com carreiras de destaque, que são modelos a serem seguidos por aqueles que almejam alcançar essa excelência”, afirmou.

Para o reitor da USP, Vahan Agopyan, “inovação não deve ser apenas uma palavra da moda. Na USP, é uma proposta de trabalho. Este prêmio é o coroamento dos resultados de nossas pesquisas colocados à disposição de sociedade. Os laureados têm logrado êxito em democratizar esse conhecimento com a sociedade”.

Glaucius Oliva (à dir.) recebeu o prêmio das mãos do diretor do IFSC, Vanderlei Bagnato. Oliva é professor titular do IFSC e coordena o Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos. Seus principais interesses de pesquisa estão centrados em biologia estrutural e química medicinal aplicadas ao planejamento e desenvolvimento de novos fármacos, com particular ênfase em doenças infecciosas endêmicas brasileiras.
O diretor da Esalq, Luiz Gustavo Nussio, e o premiado José Roberto Postali Parra (à dir.), que é professor titular do Departamento de Entomologia e Acarologia da Esalq. Tem experiência em Entomologia Agrícola, atuando principalmente nas áreas de Biologia, Controle Biológico e Manejo Integrado de Pragas. Seu tema central de pesquisa é Técnicas de criação e nutrição de insetos para programas de Controle Biológico.
A diretora da Poli, Liedi Légi Bariani Bernucci, e o professor Kazuo Nishimoto, que atua na integração de diversos conhecimentos de engenharia e ciências básicas como coordenador geral do Tanque de Provas Numérico (TPN), principalmente nos seguintes temas: Simulação Numérica de Dinâmica de Sistemas Oceânicos, Desenvolvimento de Novos Sistemas Oceânicos, Método de Partículas para Dinâmica do Meio Contínuo.
O pró-reitor de Pesquisa, Sylvio Roberto Accioly Canuto (à esq.), e o professor da ECA, Ismar de Oliveira Soares, que é professor titular sênior da ECA. Em 1999, recriou o neologismo Educomunicação para designar um campo emergente de intervenção social na interface comunicação/educação. Promoveu, em 2002, o Projeto Educom.TV, primeiro curso on-line da USP, destinado à formação de dois mil professores do Estado de São Paulo, sobre o emprego da linguagem audiovisual na escola. Promoveu, entre 2001 e 2004, o Projeto Educom.rádio para a formação de 11 mil professores e alunos da rede municipal de ensino de São Paulo.
O diretor da Faculdade de Medicina, José Otávio Costa Auler Junior (à esq.), entregou o prêmio ao professor Marcelo Britto Passos Amato, professor da FM e pneumologista do Hospital das Clínicas. Sua principal contribuição refere-se a uma inovadora tecnologia nacional – tomografia de impedância elétrica, que monitora em tempo real a condição dos pulmões.
O reitor Vahan Agopyan (à esq.) entregou o prêmio in memoriam ao filho do professor Horácio Carlos Panepucci, Carlos Panepucci. Horácio Carlos Panepucci foi professor titular do IFSC e se especializou na área de Espectroscopia, principalmente ressonância paramagnética eletrônica e ressonância magnética nuclear, investigando aspectos básicos da matéria condensada. Mais tarde, enveredou pelas aplicações médicas da física, com Imagens e Espectroscopia por Ressonância Magnética (IRM). Em ambas as áreas, seu trabalho é reconhecido como pioneiro no Brasil e na América Latina.
  • 160
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados