Dirigentes aprovam moção de apoio à Reitoria em defesa da autonomia

Documento foi aprovado na Reunião de Dirigentes da Universidade; no encontro, também foram discutidas questões relativas à retomada das atividades presenciais

 17/12/2020 - Publicado há 9 meses  Atualizado: 22/12/2020 as 11:57
Por

A reunião foi realizada de forma remota e transmitida da sala do Conselho Universitário – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Os diretores e vice-diretores das Unidades de Ensino e Pesquisa, institutos, museus e centros especializados da USP aprovaram uma moção de apoio à Reitoria da Universidade em que expressam a “preocupação sobre a perda da autonomia universitária, garantia inexcedível da nossa reconhecida excelência em ensino, pesquisa e extensão”.

O documento foi elaborado e divulgado durante a Reunião de Dirigentes, realizada no dia 17 de dezembro. A iniciativa foi da professora titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e coordenadora do Escritório USP Mulheres, Maria Arminda do Nascimento Arruda, e foi aprovada por unanimidade pelos mais de 130 participantes do encontro.

Logo no início da reunião, o reitor Vahan Agopyan expressou sua preocupação quanto à aprovação, pela Assembleia Legislativa de São Paulo, da Lei Orçamentária Anual (LOA), ocorrida na madrugada do dia 17, que prevê a retirada de R$ 454 milhões do orçamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) a partir da desvinculação de 30% da receita prevista. O reitor classificou o fato como um “ataque à autonomia das universidades e à ciência paulista”. “O apoio da nossa comunidade tem sido imprescindível para coibir esses ataques”, reiterou Agopyan.

Leia, a seguir, a íntegra da manifestação.

“Os dirigentes da Universidade de São Paulo, reunidos no dia 17 de dezembro de 2020, manifestam, enfaticamente, total apoio à Reitoria, em especial ao Magnífico Reitor, Professor Vahan Agopyan, e ao vice-reitor, Antonio Carlos Hernandes, por sua firme e digna condução à frente da Instituição. Os presentes expressam, outrossim, seu desconforto em relação às incertezas criadas por decisões erráticas tomadas pelos órgãos governamentais do Estado de São Paulo, dificultando a construção de políticas racionais de gestão, a exemplo do planejamento das atividades correntes. Os presentes expressam, também, preocupação sobre a perda da autonomia universitária, garantia inexcedível da nossa reconhecida excelência em ensino, pesquisa e extensão”.

Aulas de graduação e de pós-graduação

Na mesma reunião, também foram discutidas questões relativas à retomada das atividades presenciais na Universidade, principalmente no que tange às aulas de graduação e de pós-graduação.

O pró-reitor de Graduação, Edmund Chada Baracat, explicou que as “aulas teóricas que não necessitem de interação com os estudantes poderão ser ministradas de forma remota, utilizando as plataformas e os recursos digitais disponíveis na Universidade, como o Google Meet, o e-Disciplinas e o e-Aulas”. As atividades presenciais, segundo ele, deverão ser reservadas essencialmente para aulas práticas.

Em relação à pós-graduação, o pró-reitor Carlos Gilberto Carlotti Junior afirmou que o calendário da área é mais flexível e que, no primeiro semestre de 2021, as disciplinas deverão continuar sendo ministradas de forma não presencial. “Em janeiro e fevereiro, a realização das bancas de Mestrado e de Doutorado continuará sendo 100% remota, o que pode ser prorrogado para os meses seguintes em função da evolução da pandemia”, considerou.

O vice-reitor da Universidade, Antonio Carlos Hernandes, que coordena o grupo de trabalho responsável pelo desenvolvimento do Plano USP para retomada das atividades presenciais, ressaltou que o GT tem acompanhado e monitorado a evolução da pandemia junto ao Centro de Contingência do Coronavírus, ligado ao Governo do Estado, cujas informações têm embasado as atualizações do documento. Uma nova atualização deverá ser divulgada no mês de janeiro.

Outro assunto apresentado durante a reunião foram as melhorias realizadas pela Superintendência de Assistência Social (SAS) voltadas aos moradores do Conjunto Residencial da USP (Crusp), tais como a instalação da rede de internet em todos os blocos que compõem o conjunto e o fornecimento diário de alimentação no período de suspensão das atividades presenciais. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.