Cátedra da Faculdade de Direito discute a modernização do Japão

A conferência foi ministrada pelo presidente da Agência de Cooperação Internacional do Japão, Shinichi Kitaoka

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=285001
A palestra foi realizada no Salão Nobre da Faculdade de Direito, no dia 4 de novembro – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

A história da modernização do Japão e sua experiência de desenvolvimento foi o tema da palestra do cientista político, historiador e diplomata Shinichi Kitaoka, atual presidente da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica, na sigla em inglês), para a Cátedra Fujita-Ninomiya da Faculdade de Direito (FD).

Ao saudar o palestrante, o reitor Vahan Agopyan fez questão de ressaltar “a importância da atuação da Jica no Brasil e em especial na USP, desde a década de 1970, que aumentou não só o intercâmbio de alunos e pesquisadores, mas o intercâmbio formal entre as universidades dos dois países. Foi em grande parte graças ao trabalho contínuo da Jica que hoje temos acordos com quase 30 universidades japonesas, sendo que pelo menos quatro são consideradas nossas parceiras estratégicas, colaborando para que a USP esteja entre as universidades de vanguarda”.

“A Cátedra Fujita-Ninomiya é uma oportunidade para estreitar ainda mais a relação entre Brasil e Japão. É uma grande honra para a Faculdade de Direito sediar uma palestra do professor Kitaoka, reconhecido tanto por sua trajetória acadêmica quanto por sua carreira diplomática”, afirmou o diretor Floriano Peixoto de Azevedo Marques Neto.

Modernização do Brasil e do Japão

+ Mais

Faculdade de Direito inaugura Cátedra Fujita-Ninomiya

Kitaoka começou sua palestra falando sobre a recente entronização do novo imperador do Japão e o início da Era Reiwa. Em seguida fez uma pequena introdução sobre a história japonesa e explicou como a Restauração Meiji acabou com 260 de xogunato, transformou a sociedade e fez do Japão o primeiro país do Oriente a se modernizar e a estabelecer relações com outros países.

“O Brasil é muito valorizado pelo Japão por causa do grande número de imigrantes japoneses que foram bem acolhidos aqui e prosperaram. Uma prova disso é a profunda amizade e interesse pelo Brasil demonstrados pela família imperial japonesa”, reforçou Kitaoka.

O presidente da Jica também mencionou a relação de amizade entre ele e os homenageados pela Cátedra, o embaixador Edmundo Fujita e o professor Masato Ninomiya, que se conheceram em 1973, na Universidade de Tóquio.

[Da esq. p/ dir.] Floriano de Azevedo Marques, Shinichi Kitaoka, Vahan Agopyan, Akira Yamada e Yasushi Noguchi – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem
Entre as autoridades que prestigiaram o evento estavam o embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada; o presidente da Agência USP de Cooperação Nacional e Internacional (Aucani), Valmor Alberto Augusto Tricoli; o cônsul-geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi; o presidente do Banco MUFG do Brasil, Makoto Kinoshita; representantes de entidades dos dois países, além de pesquisadores e estudantes.

Cátedra Fujita-Ninomiya

Sediada no Departamento de Direito Internacional e Comparado da Faculdade de Direito, a Cátedra Fujita-Ninomiya tem como proposta fomentar os estudos sobre o direito japonês e sobre os diversos aspectos que unem Brasil e Japão.

A Cátedra é resultado de uma parceria com a Jica e conta com o apoio financeiro do Banco MUFG. Para os próximos anos, são previstos o estabelecimento de uma disciplina sobre o Direito Japonês, a promoção de palestras, o intercâmbio de estudantes e docentes e a realização de pesquisas conjuntas entre a USP e instituições japonesas.

É uma homenagem ao embaixador Edmundo Sussumu Fujita, egresso da FD e primeiro diplomata brasileiro descendente de japoneses, e ao professor do Departamento de Direito Internacional e Comparado, Masato Ninomiya.

A cerimônia de lançamento oficial da Cátedra foi realizada no dia 23 de julho, no Japan House São Paulo.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.