Conferência na USP discute o papel dos espaços territoriais em nossa construção psicológica

Conferência realizada na USP contará com pesquisador do programa de estudos de inteligência espacial, que identifica a importância da psicopolítica aliada à cartografia; ele analisará as eleições deste ano no Brasil a partir de uma análise geográfica

 04/10/2022 - Publicado há 2 meses
A conferência pretende mapear o desenvolvimento da cidadania no País procurando entender os espaços do Brasil que cada candidato à Presidência possui nas eleições do primeiro turno de 2022 – Fotomontagem com imagens de Wikimedia Commons por Rebeca Fonseca

 

A Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP promove nesta quarta-feira, dia 5 de outubro, às 17h30, a conferência Psicopolítica e Espaço: Geografias Políticas na Era da Sociedade de Indivíduos. O evento tem o apoio do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP e será gratuito. A transmissão será ao vivo pelo canal do Youtube da FFLCH.

A conferência terá lugar no Auditório Milton Santos, na FFLCH, e está sob organização de Fernanda Padovesi Fonseca, professora do Departamento de Geografia Humana e pesquisadora da relação indivíduo-espaço geográfico na cartografia.

Uma das propostas da conferência é compreender que as nossas sociedades são cada vez mais coletivas porque respeitam as individualidades das pessoas e, quando amparadas pela sociedade, fazem os indivíduos se aproximarem cada vez mais de um ser mais cidadão.

Jacques Lévy recebeu o mesmo prêmio que Milton Santos em 1994 – Foto: Arquivo pessoal

Haverá participação do professor Jacques Lévy, vencedor do Prêmio Vautrin Lud em 2018, que é o prêmio internacional mais importante na área da Geografia, pelo reconhecimento de sua obra. Professor de Geografia e Urbanismo na Escola de Arquitetura, Engenharia Civil e Ambiental da École Polytechnique Fédérale de Lausanne, na França, também é diretor do Laboratório Chôros e do Programa Doutoral em Arquitetura e Ciência da Cidade, na mesma instituição. Aqui no Brasil, o programa é representado por Fernanda Padovesi Fonseca.

Serão debatidos na conferência o papel da cartografia para analisar os resultados eleitorais no mundo, sendo o Brasil o próximo país a ser analisado geograficamente a partir da eleição presidencial do primeiro turno deste ano. Já foram também feitas análises sobre as eleições na França neste ano pelo professor e sua equipe de pesquisadores, sendo alguns desses estudantes da USP ligados à rede do Laboratório Chôros. Elas poderão ser acessadas aqui.

A professora Fernanda Padovesi Fonseca representa o Brasil em um convênio firmado entre a FFLCH e a Chaire Intelligence Spatiale – Foto: Arquivo pessoal

Jacques Lévy juntamente com pesquisadores da USP na conferência analisarão como, na eleição brasileira no primeiro turno deste ano, há uma dimensão geográfica do voto. “Procuramos compreender a importância dos ambientes urbanos (o que chamamos de urbanidade) e a relação que os modos de vida de seus habitantes pode ter com suas opções políticas. Esta relação é agora muito forte na Europa e nos Estados Unidos. Queremos saber até que ponto ela desempenha um papel no Brasil”, diz.

Para os organizadores do evento, as paisagens das nossas sociedades são um bom observatório para questionar os limites da cidadania e entender que não há diferença entre indivíduo e cidadão, mas que ambos se complementam. Sendo assim, para a professora Fernanda, quanto mais você exercer sua individualidade, mais exercerá sua cidadania. “O indivíduo mostra que cada vez mais ele é cidadão: é mais reconhecido nos seus direitos, tem condição de maior participação política na vida social, tem mais presença na vida urbana. Quer dizer: ser um indivíduo forte é ser um indivíduo que possui cidadania consistente e ativa”, diz a pesquisadora.

Para participar da conferência não é preciso inscrição prévia e todos os participantes que possuírem frequência presencialmente receberão certificados de participação, emitidos pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da FFLCH.

Em dia com o Direito #2 Cidadania é fundamento do Estado democrático de direito

Em Dia com o Direito - USP
Em Dia com o Direito - USP
Em dia com o Direito #2 Cidadania é fundamento do Estado democrático de direito
/

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.