Vídeo sobre LGBTs no regime militar é premiado no Festival Aruanda

Outras produções da USP para televisão também foram contempladas no evento, ocorrido neste mês na Paraíba

  • 334
  •  
  •  
  •  
  •  
O Fest-Aruanda em sua décima terceira edição premia a série de vídeos LGBTs no Regime Militar, da TV USP de São Paulo na categoria Melhor Interprograma- Foto: Divulgação / Fest Aruanda 2018

A produção da USP para televisão foi destaque na 13ª edição do Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro, que ocorreu entre 6 e 12 de dezembro, em João Pessoa (PB). A série de vídeos LGBTs no Regime Militar, da TV USP de São Paulo, produzida por Marcos Targino, ganhou na categoria Melhor Interprograma. Na mesma categoria, houve menção honrosa para Escavações na Lapa do Santo, também da TV USP de São Paulo, produzido por Tabita Said, do então Núcleo de Divulgação Científica da USP, à época dirigido pela jornalista Mônica Teixeira. A TV USP de Piracicaba venceu na categoria Melhor Interprograma de Animação/Videografismo, com Projeto Hortas Urbanas, de Fabiano Pereira, e recebeu menção honrosa na categoria Melhor Documentário para TV, com O Maravilhoso Universo das Chamadas Frutas Raras, também de Fabiano Pereira. Já a TV USP de Bauru conquistou o prêmio de Melhor Programa de TV, com o Programa 3×4, produzido por Guilherme Bacciotti, Paula Marques e Vitor Oshiro. O prêmio de melhor filme foi para Azougue Nazaré, do cineasta pernambucano Tiago Melo. A cerimônia de entrega da premiação se deu no dia 12, no encerramento do Fest Aruanda.

Em quatro episódios com menos de seis minutos cada, LGBTs no Regime Militar está baseado na tese de doutorado do professor Renan Quinalha, Contra a Moral e os Bons Costumes: a Política Sexual da Ditadura Brasileira (1964-1988), defendida no Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP em 2017. A produção reconstitui aspectos pouco conhecidos do Movimento LGBT, como a primeira passeata contra a repressão aos gays, ocorrida em São Paulo, em 1980, ainda durante a ditadura militar, e os primeiros órgãos de comunicação de grupos ligados a essa causa, como os jornais Lampião da Esquina, que circulou entre 1978 e 1981, e Chanacomchana, que existiu de 1981 a 1987. “LGBTs no Regime Militar deu visibilidade a um segmento da sociedade que ainda hoje sofre discriminação e preconceito”, considera Thales Figueiredo, editor de vídeo da TV USP.

.

Já Escavações na Lapa do Santo é uma produção em cinco vídeos que mostra o trabalho de arqueólogos da USP na caverna de Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). Ali foram encontrados 50 esqueletos, datados de entre 11 mil e 8 mil anos. Os pesquisadores se dedicam a estudar esses fragmentos para reconstituir os hábitos dos grupos que viviam naquela região há milhares de anos. “Desde as primeiras pesquisas na região, no começo do século 19, nunca se tinha percebido que havia uma elaboração das práticas funerárias associada a esses grupos tão antigos”, afirma no vídeo o professor André Strauss, pesquisador do Laboratório de Arqueologia e Antropologia Ambiental e Evolutiva do Instituto de Biociências (IB) da USP. “A primeira coisa que esses esqueletos mostraram foi justamente uma sofisticação funerária que era mediada por uma manipulação do corpo, ou seja, procedimentos como fazer cortes, remover tecidos e ossos.” A produtora do vídeo, Tabita Said, ficou contente com a menção honrosa: “A arqueologia antiga do Brasil é pouco conhecida. Reconstituir informações que revelam as nossas origens me parece uma contribuição muito importante”.

 

.

As produções da TV USP de Piracicaba e de Bauru não são menos instigantes e originais. Projeto Hortas Urbanas, da TV USP de Piracicaba, é uma série de dez vídeos, cada um com cerca de dois minutos de duração, que de forma lúdica e didática – utilizando animação – ensina como fazer pequenas hortas em centros urbanos. Cada episódio é dedicado a um tema específico, como o preparo do local, a escolha das espécies cultivadas, o manejo e rotação de culturas e doenças e pragas. Com 45 minutos de duração, O Maravilhoso Universo das Chamadas Frutas Raras faz parte da série Especiais TV USP, da TV USP de Piracicaba, e dá destaque a pesquisas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP sobre as chamadas “superfrutas” – frutas nativas da Mata Atlântica que têm alto valor nutricional, são ricas em antioxidantes e possuem alta eficiência anti-inflamatória no organismo.

.

.

O Programa 3×4, da TV USP de Bauru, está ligado à área da saúde. Dedicado a divulgar pesquisas realizadas na Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP, o programa tem entre 10 e 30 minutos. Nos vários episódios já produzidos, foram discutidos temas como Doença periodontal em pessoas com síndrome de Down, Atendimento odontológico em hospitais, Reabilitação completa do paciente com fissura e Programa de prevenção de perdas auditivas para músicos.

.

 

 

  • 334
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados