USP disponibiliza na internet livros da Cátedra José Bonifácio

Obras reúnem mais de 100 artigos de especialistas em temas de interesse da América Latina e da Península Ibérica

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=232520
Os seis volumes produzidos pela Cátedra José Bonifácio da USP: estudos relevantes sobre a economia, a sociedade e a cultura iber0-americana – Foto: Reprodução

Já estão disponíveis gratuitamente em versão digital, no Portal de Livros Abertos da Editora da USP (Edusp), cinco dos seis títulos lançados pela Cátedra José Bonifácio da USP – o sexto volume será lançado logo após a cerimônia de posse do novo titular da cátedra, o ex-ministro do Planejamento da Bolívia Luis Enrique García Rodríguez, que ocorrerá no dia 2 de abril, terça-feira, às 10 horas, no auditório da Biblioteca Guita e José Mindlin, na Cidade Universitária, em São Paulo. Rodríguez substituirá a ex-presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla. Criada em 2013, a Cátedra José Bonifácio é gerida pelo Centro Ibero-Americano (Ciba) da USP. A cada ano sob o comando de uma figura pública de destaque, tem como finalidade sistematizar e disseminar o conhecimento do cenário ibero-americano em diferentes áreas.

“Com a produção e liberação desses livros, a USP disponibiliza todo o repositório de conhecimento que, desde 2013, vem sendo gerado a partir da contribuição das notáveis personalidades do mundo ibero-americano que têm estado à frente da cátedra”, afirma o professor Pedro Dallari, docente do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP, coordenador do Ciba e responsável pela gestão da Cátedra José Bonifácio. Como informa Dallari, a cátedra é um programa de apoio à pesquisa que reúne todo ano pesquisadores da USP em torno de uma grande liderança ibero-americana. “A cada ano, quando encerra seu período como catedrático, ele produz uma coletânea de artigos, feitos pelos pesquisadores da USP que trabalharam com ele e intelectuais convidados”, diz, acrescentando que é um processo de produção “muito intenso”.

Cada livro reúne cerca de 20 artigos sobre a temática abordada pelo catedrático. Os dois primeiros catedráticos, o ex-presidente chileno Ricardo Lagos (2013) e o economista uruguaio Enrique Iglesias (2014), que dirigiu o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), se dedicaram aos estudos da economia política latino-americana. Os títulos são, respectivamente, A América Latina no Mundo: Desenvolvimento Regional e Governança Internacional e Os Desafios da América Latina no Século XXI.

A América Latina no Mundo: Desenvolvimento Regional e Governança Internacional: livro reúne os resultados do primeiro ano da Cátedra José Bonifácio, em 2013, que esteve sob o comando do ex-presidente chileno Ricardo Lagos – Foto: Reprodução
Os Desafios da América Latina no Século XXI: obra traz estudos acerca da economia política latino-americana realizados sob a coordenação do economista uruguaio Enrique Iglesias, que esteve à frente da cátedra em 2014 – Foto: Reprodução

Em 2015, como relata Dallari, “mudamos a inflexão, e escolhemos como catedrática Nélida Piñon, escritora e ex-presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL), que trabalhou com elementos comuns da cultura ibero-americana”, resultando no livro As Matrizes do Fabulário Ibero-Americano. Como explica Dallari, a escolha do catedrático é da USP, com um comitê coordenado pelo próprio Dallari, e com a participação dos catedráticos anteriores. “Por exemplo, Nélida Piñon foi uma sugestão de Enrique Iglesias, e, por sugestão dos três primeiros catedráticos, o quarto catedrático de 2016 foi Felipe González, ex-primeiro ministro da Espanha”, informa.

Dallari destaca a participação de Felipe González na Cátedra José Bonifácio, que escolheu como tema “A Crise da Democracia Contemporânea”, originando o livro Governança e Democracia Representativa. “Foi um espetáculo, porque 2016 foi o ano do plebiscito do Brexit na Inglaterra e da eleição de Donald Trump nos Estados Unidos”, diz o professor. “Felipe González, uma liderança política extremamente experiente, discutiu esses acontecimentos com os alunos da USP em tempo real.”

A catedrática Nélida Piñon, escritora e ex-presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL), trabalhou, em 2015, com elementos comuns da cultura ibero-americana, resultando em As Matrizes do Fabulário Ibero-Americano – Foto: Reprodução
Discussões sobre a crise da democracia contemporânea são os destaques de Governança e Democracia Representativa, de 2016, coletânea dirigida por Felipe González, ex-primeiro ministro da Espanha – Foto: Reprodução

A catedrática seguinte foi a socióloga e diplomata mexicana Beatriz Paredes (2017), ex-presidente do Congresso no México e ex-embaixadora do México no Brasil, uma liderança indígena que, à frente da Cátedra José Bonifácio, se dedicou aos estudos dos povos indígenas da América, como conta Dallari. Ela coordenou o quinto volume da cátedra, O Mundo Indígena na América Latina: Olhares e Perspectivas, que traz reflexões e perspectivas analíticas sobre os povos indígenas na América Latina, sua importância histórica e seu legado.

O sexto volume, que será lançado no dia 2 de abril, Democracia, Liderança e Cidadania na América Latina, apresenta os resultados do ciclo de estudos coordenado em 2018 por Laura Chinchilla, cientista política que presidiu a Costa Rica de 2010 a 2014, após ter ocupado a Vice-Presidência do país no período imediatamente anterior. Cientista política de formação, exerceu mandatos parlamentares e cargos na administração pública costarriquenha. “Ela é uma grande personalidade do mundo latino-americano, e, quando já estava na USP, foi indicada pela Organização dos Estados Americanos (OEA) para chefiar a missão de observação da eleição brasileira, no ano passado. Ou seja, a chefe da missão foi uma professora da USP, já que os catedráticos se incorporam ao rol de professores da Universidade”, conta Dallari.

A socióloga e diplomata mexicana Beatriz Paredes se dedicou aos estudos dos povos indígenas da América, e o resultado está em O Mundo Indígena na América Latina: Olhares e Perspectivas, de 2017 Foto: Reprodução
Democracia, Liderança e Cidadania na América Latina será lançado no dia 2 de abril e traz os resultados do trabalho desenvolvido em 2018 pela ex-presidente da Costa Rica Laura Chinchilla – Foto: Reprodução

A coletânea ainda reproduz uma entrevista feita por Dallari com Laura Chinchilla para a Revista de Estudos Brasileños (REB), do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca, na Espanha, em que fala de sua jornada brasileira. E, como adianta o professor,  o catedrático de 2019, Luis Enrique García Rodríguez, já escolheu o tema, “Infraestrutura e Políticas Públicas na América Latina”, voltando aos temas iniciais de política econômica.

Para Dallari, cada um desses livros se constitui em inestimável contribuição dos catedráticos. “Essa produção científica, muito qualificada e importante, era publicada em livro, somente na versão impressa e com uma tiragem limitada. Com a decisão da Reitoria da USP e da Edusp, a partir deste ano, de produzir a versão eletrônica e de acesso livre, todo o conteúdo ganha alcance mundial. Estamos lançando um conjunto de obras que reúne mais de cem artigos produzidos nos últimos cinco anos”, diz, ressaltando que essa é uma expressiva contribuição da USP para os estudos latinos e ibero-americanos.

Pedro Dallari: uma expressiva contribuição da USP para os estudos latinos e ibero-americanos – Foto: USP Imagens / Cecília Bastos

Os livros lançados pela Cátedra José Bonifácio da USP estão disponíveis no Portal de Livros Abertos da Editora da USP (Edusp).

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.