Todo o mundo é um palco

Mesmo que seja virtual. Em tempos de quarentena, assistir a espetáculos teatrais on-line é uma boa alternativa

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=313431
Deborah-Colker – Foto-Divulgação

Desde os tempos da Grécia antiga, os espetáculos teatrais se baseiam na intrínseca relação entre o que acontece no palco e a reação da plateia que assiste ao espetáculo. A simbiose entre público e atores, ao vivo, ali naquele momento, é um dos pilares do teatro como o conhecemos há séculos. Só que em tempos de quarentena por causa do coronavírus, essa relação sofreu uma drástica mudança: os teatros estão vazios e a plateia está – ou deveria estar – em casa. Então, o que fazer? Simples: assistir teatro on-line. Porque existe vida cultural para além do coronavírus e das maratonas de séries de TV.

Orquestra da USP foi fundada em 1975. Teve como primeiro regente o compositor Camargo Guarnieri – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A oferta de teatro, digamos, virtual está cada vez maior e é uma possibilidade real de entretenimento enquanto o vírus não passa. São peças filmadas diretamente do palco, muitas delas com recursos audiovisuais de primeira, além de monólogos, espetáculos de dança e mesmo bate-papo ao vivo com encenadores e autores – neste caso, vantagem para o virtual, já que esta oportunidade é rara no cotidiano teatral.

Ferdinando Martins, professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP – Foto: USP Imagens

“Trata-se de uma excelente oportunidade para as pessoas conhecerem melhor o que está sendo feito no mundo do teatro e também para se ter contato com experiências culturais distintas que, normalmente, o público não teria”, garante o professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP Ferdinando Martins, ex-diretor do Teatro da USP, o Tusp, e jurado do Prêmio Shell de Teatro.

As opções, segundo Martins, são muitas, e vão desde encenações nacionais as mais variadas até oportunidades únicas, como conhecer o teatro e a cultura feitos fora do País, agora disponibilizados on-line. O Espaço Cultural Contigo en la Distancia, do México (contigoenladistancia.cultura.gob.mx), por exemplo, oferece pocket shows musicais ao vivo, espetáculos de teatro e dança, além de um cardápio cultural variado. Já o canal de Teatro Nacional Cervantes, da Argentina, o Cervantes online, disponível no Youtube, oferece peças e debates. Também argentino, o Teatro Timbre 4 (www.timbre4.com) traz ofertas culturais interessantes. “Muitas dessas peças foram previamente gravadas com recursos de audiovisual que dão ao espectador uma interação mais rica”, explica Martins.

Cena brasileira

Mas quem não tem familiaridade com a língua espanhola não precisa se preocupar. As ofertas nacionais são excelentes e ajudam – muito – a vencer a quarentena. O Teatro Alfa (teatroalfa.com.br), por exemplo, disponibilizou virtualmente concertos, espetáculos de ópera, de teatro infantil e de dança. Concertos da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e da Filarmônica de Minas Gerais estão lá, além de espetáculos de dança do Grupo Corpo e da Cia. de Dança Deborah Colker. Para outros paladares, há também encenações do Metropolitan Opera House, de Nova York.

 

Metropolitan Opera House, de Nova York – Foto: Divulgação

Mas há mais. A SP Escola de Teatro (www.spescoladeteatro.org.br) oferece uma série de espetáculos teatrais, entre eles o monólogo Todos os Sonhos do Mundo, apresentado pelo diretor Ivam Cabral. Responsável pelo grupo Os Satyros – que também organiza um festival internacional de teatro durante a quarentena, disponível no mesmo site –, Cabral apresenta seu monólogo como se fosse em um teatro fora da pandemia: às sextas e sábados, sempre às 21 horas – nada como tentar manter a normalidade. “Ele tem a sensibilidade de comunicação com o público, o que torna a apresentação, mesmo virtual, prazerosa”, garante o professor da ECA.

Monólogo Todos os Sonhos do Mundo, da SP Escola de Teatro – foto: Lina Sumizono

Já a Cia. de Teatro Palavra Z (palavraz.com.br) colocou à disposição do público 16 atividades culturais, entre elas música, ópera e espetáculos teatrais infantis e adultos. A ação, intitulada Teatro Online, já conta com mais de 40 mil visualizações e mais de 12 mil horas de exibição.

Para além da encenação virtual, o Teatro da USP também disponibilizou atrações para tornar a vida em tempos de covid-19 mais amena. São vídeos curtos, de no máximo 5 minutos, com artistas coma Maria Tendlau e Janaína Leite lendo passagens importantes de autores como Bertolt Brecht e Augusto Boal. “Sabendo que teatro é ação coletiva, mesmo quando feito a sós, e que a presença física é um dos fundamentos da relação teatral, o Tusp buscou criar ações que estimulem os encontros e diálogos possíveis, passados e futuros, neste período de isolamento”, afirma-se em uma parte do texto de apresentação do Tusp na página da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP (prceu.usp.br/noticia/usp-cultura-em-casa-arte).

 

Peça no Teatro da USP (Tusp): a luta indígena em diálogo com Brecht – Foto: PRCEU

 

Mesmo que seja virtual, que muito do que se sabe sobre assistir teatro não se aplique neste momento, a experiência sociocultural é importantíssima. E instigante. “O corpo pode não estar presente, mas o registro audiovisual e os vestígios daquilo a que se assistiu vão sensibilizar o espectador. Isso tudo torna a experiência muito rica”, garante Ferdinando Martins.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.