Raiva do poeta grego Arquíloco fez surgir o gênero iâmbico

Poesia iâmbica é explicada por professor da USP em novo vídeo da série “Estudos Clássicos em Dia”

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=362557

No século 7 antes de Cristo, o poeta e soldado Arquíloco de Paros estava para se casar com sua amada Neobule. Porém, o pai dela, Licambes, contrário ao relacionamento entre os dois, impediu o casamento. Irritado, Arquíloco passou a compor poemas denunciando os vícios de Licambes. “A raiva armou Arquíloco com os iambos que lhe são próprios”, disse mais tarde o poeta latino Horácio, um dos grande cultivadores desse gênero poético.

O poeta latino Horácio, um dos representantes da poesia iâmbica, em escultura de Rebeca Matte – Foto: Cristian Quezada Valdés/Bellas Artes

Essa é a origem da chamada poesia iâmbica, tema do mais novo vídeo da série Estudos Clássicos em Dia, produzida pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Nele, o professor Alexandre Pinheiro Hasegawa, do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da FFLCH, fala sobre esse tipo de poesia, suas características e principais representantes. “A matéria propriamente dita do gênero iâmbico é o vício”, diz Hasegawa no vídeo. “Como o poeta está irado, sua linguagem vem carregada desse páthos (paixão, sentimento) e é baixíssima. O poeta invectiva seus adversários com xingamentos, denunciando seus vícios sexuais, sua feiura, que é uma representação física do vício moral, e daí vem a descrição dos atos sexuais de maneira nua e crua, em seus aspectos fisiológicos, com a finalidade de produzir também, mas não só, o riso.”

O recurso cômico, usado para rebaixar os adversários, é um elemento importante do gênero iâmbico, segundo Hasegawa. Sempre com o objetivo de ridicularizar, o poeta se utiliza da figura de animais, que são comparados às pessoas visadas no poema. “Daí a comparação dessa poesia com a fábula, que também usa animais para tirar ensinamentos morais.”

Assista neste link ao vídeo Poesia Iâmbica, com o professor Alexandre Hasegawa. Clique aqui.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.