Projeto apresenta leitura dramática de clássicos do teatro nacional

Resultado de parceria entre a USP e o Sesc, “Liberdade em Cena” apresenta “Morte e Vida Severina” no dia 24

Por - Editorias: Cultura

Ouça no link acima entrevista sobre o projeto Censura em Cena, realizado entre 2015 e 2017 pelo Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura (Obcom) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, e sobre o livro Leituras e Releituras, um dos resultados desse projeto. A entrevista foi realizada no programa Via Sampa, da Rádio USP, no dia 9 de fevereiro de 2018.

Primeira leitura dramática do projeto Liberdade em Cena, no dia 24 de fevereiro, é Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto – Arte: Walter Cruz via SESC

Bimestralmente, com início neste mês, o Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura (Obcom) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, em parceria com o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, realizará a leitura dramática de peças que marcaram o teatro nacional no século 20. O projeto, denominado Liberdade em Cena, tem caráter gratuito e trará neste ano obras como Morte e Vida Severina, Auto da Compadecida, Gota d’Água e O Crime da Cabra.

Segundo Maria Cristina Castilho Costa, professora titular da ECA e coordenadora do projeto, “Liberdade em Cena é o contraponto ao veto”, chegando como resposta ao primeiro projeto da parceria entre Obcom e Sesc — Censura em Cena.

Entre 2015 e 2017, a parceria promoveu o projeto Censura em Cena, que apresentou 14 leituras dramáticas sobre obras que haviam sido censuradas no Brasil. Os eventos reuniram mais de 150 atores, entre profissionais e alunos, e cerca de 30 especialistas responsáveis por apresentar e fomentar um debate acerca dos motivos da repressão. Ao final, os resultados foram reunidos em um livro, Leituras e Releituras, com artigos sobre as peças vetadas (ouça entrevista no link acima).

Censura em Cena apresentou a leitura dramática de 14 peças censuradas na história recente do Brasil – Foto: Reprodução

Agora, o novo projeto tem como objetivo reapresentar peças que não sofreram com a censura na época em que foram desenvolvidas, mas que revolucionaram, de alguma maneira, o teatro brasileiro.

O modelo continua semelhante, com apresentação e debate. A ausência de um palco italiano, comum para espetáculos, não é sentida à frente do auditório do Sesc — local adaptado que permite que a essência do texto teatral ganhe destaque. Além disso, a leitura vem acompanhada de interpretação, música e ambientação, dando complexidade ao trabalho.

“A intenção do projeto é mostrar que liberdade de expressão é algo essencial para o desenvolvimento da arte e da cultura”, explica Maria Cristina. Participante do Obcom há muitos anos, a docente comenta que, em meados dos anos 2000, estudiosos afirmavam que a censura às produções artísticas estava extinta — algo refutado por acontecimentos em 2017, por exemplo. “Nós estamos estimulando as pessoas a pensarem como é boa a liberdade, ainda mais em tempos como estes”, diz.

O elo entre USP e sociedade

Livro é um dos resultados do projeto Censura em Cena – Foto: Reprodução

Liberdade em Cena é um projeto de pesquisa científica”, afirma a professora. Além disso, as leituras despertam o interesse da comunidade externa. “As pessoas que comparecem aos espetáculos, muitas vezes, não têm ligação direta com a USP. É um público interessado em apreciar, ouvir e aprender.”

Apesar do aparente foco nas artes cênicas por conta das peças teatrais, a iniciativa tem caráter interdisciplinar, trazendo textos poéticos — como por exemplo, Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto.

A obra de João Cabral de Melo Neto, publicada em 1955, é responsável por dar início ao projeto. No dia 24 de fevereiro, sábado, às 14h30, será feita a leitura dramática da peça. Após a interpretação, haverá um debate sobre o sofrimento enfrentado por Severino — personagem principal e migrante nordestino em busca de melhores condições na capital pernambucana.

Liberdade em Cena é fruto de uma parceria entre Obcom e Sesc. As apresentações acontecem bimestralmente, no último sábado dos meses de fevereiro, abril, junho e agosto, no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc (Rua Dr. Plínio Barreto, 285, 4º Andar – Bela Vista, São Paulo). Os eventos são gratuitos e têm censura livre, salvo a primeira apresentação, que tem indicação para maiores de 16 anos. Para mais informações, ligue 3091-1607 ou envie um e-mail para obcom@usp.br

Textos relacionados