Programas de rádio reconstituem a trajetória de Gisela Ortriwano

Série com 12 episódios aborda a obra de uma das maiores especialistas em radiojornalismo do Brasil

 12/11/2020 - Publicado há 1 ano
Por
A professora Gisela Ortriwano (1948-2003), uma das maiores especialistas em radiojornalismo do Brasil – Fotomontagem: Jornal da USP

Neste domingo, dia 15, às 11 horas, vai ao ar pela Rádio USP (93,7 MHz) o terceiro dos 12 episódios de Vozes Giselistas: As Contribuições de Gisela Swetlana Ortriwano ao Radiojornalismo e à Comunicação, série de programas que reconstitui a trajetória de Gisela Ortriwano, professora da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP e uma das maiores especialistas em rádio do Brasil, que morreu em 2003, aos 55 anos. A série é produzida pelo pesquisador Lourival da Cruz Galvão Júnior, pós-doutorando do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) da ECA, com supervisão do professor Luciano Maluly. Depois de apresentados na Rádio USP, os episódios ficam disponíveis no site do CJE.

“A ideia é produzir e divulgar pelo rádio os estudos sobre rádio que a professora Gisela desenvolveu”, diz Galvão. Os episódios da série são compostos de depoimentos dados por pessoas próximas a Gisela, como amigos, familiares, professores, alunos e orientandos. A professora foi a primeira no País a escrever uma tese de doutorado sobre radiojornalismo. Defendida na ECA em 1990, a tese é intitulada Os (Des)caminhos do Radiojornalismo.

O pesquisador Lourival Galvão Júnior, produtor da série – Foto: Gerson Mário de Abreu Farias

Os dois primeiros episódios da série têm a voz de Rodolfo Wolgang Ortriwano, irmão caçula da Gisela. Ele destaca a vinda da família Ortriwano da Alemanha para o Brasil, o ingresso da professora na USP e o início da sua vida acadêmica. Comenta também a criação do principal livro de Gisela, A Informação no Rádio: Os Grupos de Poder e a Determinação dos Conteúdos, publicado em 1985 pela Summus Editorial.

Até hoje, o livro é usado como referência nas pesquisas sobre rádio. “Ele mudou a minha vida”, diz Galvão a respeito da obra. “Quando cursava Jornalismo, eu conheci o livro da professora Gisela. Graças a ele eu me tornei um profissional, professor e pesquisador em radiojornalismo”, completa.

O sexto programa da série, previsto para ser exibido no dia 6 de dezembro, trará depoimento do professor Ciro Marcondes Filho, da ECA, que morreu no dia 8 passado, aos 72 anos, como noticiou o Jornal da USP. “Talvez tenha sido a última entrevista dada pelo professor”, considera Galvão. No programa, Marcondes diz que ele e Gisela tinham planos de criar uma editora para publicar livros e artigos científicos, projeto interrompido pela morte da professora, no dia 19 de outubro de 2003.

A professora Gisela Ortriwano defendeu em 1990, na USP, a primeira tese de doutorado sobre radiojornalismo do Brasil – Foto: acervo de Rodolfo Ortriwano

Nos episódios 9 e 10, a série terá a participação da jornalista Ligia Trigo, ex-diretora da Rádio USP. A jornalista revela que, pouco antes de morrer, Gisela pensava em reformular algumas das teorias que tinha desenvolvido. Na época, a professora já começava a estudar o rádio na internet. De acordo com Ligia, grande parte da produção acadêmica de Gisela foi referente ao rádio em suas mais variadas abordagens, criando conceituações que os pesquisadores usam até hoje.

Gisela Ortriwano: seu principal livro é A Informação no Rádio, publicado em 1985 – Foto: acervo de Rodolfo Ortriwano

Atualmente, o laboratório de televisão da ECA recebe o nome de Gisela Swetlana Ortriwano. Galvão explica que o fato de o laboratório de TV ter o nome de uma especialista em rádio se deve a que Gisela começou sua carreira na TV Globo e na TV Cultura, em 1970. Na Globo, foi responsável pela implantação do Setor de Pesquisa. “Ela conseguiu pegar todo o aprendizado que teve na TV e transpassar isso para o aprendizado prático do rádio”, completa Galvão.

A série Vozes Giselistas: As Contribuições de Gisela Swetlana Ortriwano ao Radiojornalismo e à Comunicação é transmitida sempre aos domingos, às 11 horas, pela Rádio USP (93,7 MHz). Os episódios ficam disponíveis no site do Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP.

 

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.