Programa Nascente está com inscrições abertas

Podem participar estudantes de graduação e pós-graduação da USP; prazo vai de 27 de junho a 27 de agosto

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=176163
  • 17
  •  
  •  
  •  
  •  
Cena de Yerma, trabalho vencedor na categoria Artes Cênicas no 25º Programa Nascente – Foto: Mayara Barbosa / Programa Nascente

.
Com a premissa de revelar novos talentos dentro do universo acadêmico – e já revelou muitos -, o Programa Nascente chega à sua 26ª edição e receberá inscrições a partir de hoje, 27 de junho, até 27 de agosto. Na lista de premiados em edições anteriores figuram nomes como Paulo Sacramento – formado em Cinema pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP –, montador, diretor e produtor paulista, que estreou em 2002 na direção de longa-metragem com o documentário O Prisioneiro da Grade de Ferro, selecionado para o Festival de Veneza e vencedor do festival É Tudo Verdade e do prêmio da crítica no Festival de Gramado.

Outros premiados são Luís Miranda, formado pela Escola de Arte Dramática da USP e vencedor da primeira edição, que atuou em filmes como Meu Nome Não é Johnny e Carandiru, José Roberto Torero (formado em Jornalismo e Letras pela USP), que concorreu com seu trabalho Galantes Memórias e Admiráveis Aventuras do Virtuoso Conselheiro Gomes, o Chalaça, livro que ganharia o Prêmio Jabuti em 1995, e Flávia Junqueira, mestre em Poéticas Visuais pela USP, com obras que constam em acervos do Museu de Arte Moderna (MAM) e do Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo.

Bruno da Silva Ghirardi, um dos vencedores na categoria Música Erudita na edição passada do Programa Nascente – Foto: Mayara Barbosa / Programa Nascente

.
A pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária da USP, professora Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado, reitera essa intenção que é a de “fazer com que grandes talentos da Universidade possam aparecer nas artes e na cultura”. Além disso, a ideia é ampliar também as parcerias com apoiadores. “Já estamos em busca de parceiros e esperamos, para o ano que vem, trazer algumas novidades”, diz a pró-reitora, ressaltando que o Nascente é um programa de êxito da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) e que ele já faz parte da história da USP.

Podem participar estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade de São Paulo, que tenham trabalhos nas seguintes categorias: Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Design, Música Erudita, Música Popular e Texto. Além da premiação, de R$ 4 mil por categoria, os vencedores terão a possibilidade de mostrar o seu trabalho em shows, concertos, apresentações, saraus e exposições promovidos pela curadoria do Programa Nascente. Programados para novembro, os eventos serão gratuitos e abertos ao público e deverão incluir espaços dentro e fora da Cidade Universitária.

A seleção será realizada em duas etapas. Na primeira fase, os trabalhos serão analisados por Comissões Julgadoras para cada categoria – a comissão será formada por dois docentes da Universidade e um especialista no campo artístico. Na segunda fase, os finalistas apresentarão seus trabalhos em versão definitiva nos eventos da mostra (conforme o calendário do regulamento) e passarão por uma nova avaliação, que classificará os trabalhos. A festa de premiação será realizada em novembro.

Trabalho de Arturo Macedo Perez, integrante da exposição Visualidade Nascente, da 25ª edição do Programa Nascente – Foto: Mayara Barbosa / Programa Nascente

.
A história do Nascente

O Programa Nascente foi instituído em 1990 – a primeira edição aconteceu em 1991 –, com a finalidade de mapear e estimular a produção cultural da Universidade. Premiação anual, o Nascente foi idealizado na gestão do professor João Alexandre Barbosa (pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária), com inspiração da professora Ana Mae Barbosa, então diretora do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP. “A ideia inicial era fazer uma prospecção da produção de artes visuais e artes plásticas na época, mas não especificamente do curso de Artes e sim de áreas afins, como arquitetura, por exemplo”, conta o professor de Artes Plásticas Luiz Claudio Mubarac, que havia sido aluno da professora Ana Mae e foi convidado para integrar a primeira comissão julgadora.

Em 2003, o prêmio passou por algumas reformulações. Na época, foi constituída uma Comissão Acadêmica para aperfeiçoar as diretrizes que norteiam o projeto, além de acompanhar a sua aplicação. Desde então, são sete as áreas premiadas. Além disso, a partir de 2006, um dos vencedores é escolhido para desenvolver a sua arte com um tutor – professor especialista da área.

Por volta de 2010, Mubarac foi jurado novamente e pôde observar uma estrutura mais profissionalizada. Com uma visão panorâmica do curso de Artes Plásticas, já que foi aluno nos anos 70, pós-graduando nos anos 80 e se tornou professor a partir de 2003, diz que atualmente o curso se tornou mais completo e complexo e os trabalhos acompanham essa complexidade, tanto teórica quanto prática.

Logotipo do Programa Nascente – Foto: Divulgação / Programa Nascente

.
Há cerca de dois meses, Mubarac assumiu a coordenação acadêmica do Nascente e propõe um pequeno reajuste sobre o papel do prêmio: “Utilizar essa oportunidade anual para fazer uma reflexão sobre essa produção de artes dentro da USP e a produção em geral”. Segundo ele, é importante “pensar o prêmio como uma chance de reflexão constante na formação e na informação sobre as artes e a cultura de maneira mais ampla”.

As inscrições para o Programa Nascente podem ser feitas de 27 de junho a 27 de agosto no site prceu.usp.br/nascente, onde está o regulamento completo. Os candidatos devem preencher o formulário de inscrição e anexar os arquivos solicitados.

  • 17
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados