Professor Vladimir Safatle lança o álbum “Tempo Tátil”

Produzido pelo Selo Sesc, segundo trabalho do filósofo e músico reúne composições autorais e poesia

Por
Capa dos singles O Amor Vai Desterrar Nossos Corpos e Três Peças para Gestos ao Piano II – Foto: Reprodução

 

Segundo trabalho do professor da USP, filósofo, pianista e compositor Vladimir Safatle, Tempo Tátil (Selo Sesc) está sendo lançado aos poucos, via streaming: O Amor Vai Desterrar Nossos Corpos e o segundo e o terceiro movimentos de Três Peças para Gestos ao Piano já estão disponíveis para o público. Outros três singles serão lançados até o dia 19 de março, sempre às sextas-feiras. O restante – sete canções, que totalizam 13 – virá a público até o final de abril. Segundo o professor, esse formato é uma alternativa às lives que vêm acontecendo durante a pandemia de covid-19. “A ideia é lançar uma música a cada semana e ao final, o CD completo”, afirma Safatle.

Algumas faixas do disco são acompanhadas por vídeos. Um deles, produzido pela videoartista Dora Longo Bahia, pode ser conferido no Youtube (@selosesc). Outros dois artistas também assinam as obras: Anabelle Yole e Junae Andreazza.

O novo álbum traz músicas instrumentais de autoria de Vladimir Safatle – com piano, voz (participação de Valentina Ghiorzi Safatle, filha do compositor), instrumentos de cordas, sopro e percussão – e trechos de obras conhecidas, misturando composições autorais e fragmentos de poemas de autores consagrados, como o poeta, tradutor e ensaísta Paul Celan (1920-70), romeno radicado na França, o escritor, romancista e roteirista norte-americano Scott Fitzgerald (1896-1940) e o poeta francês Paul Eluard (1895-1952). Como diz Safatle, é como se fosse uma referência aos grandes autores, “uma construção de escuta transversal, que remete a outras peças, criando espaços de interferência”.

O professor e músico Vladimir Safatle: “Tempo Tátil traz uma ideia importante: o uso da contemporaneidade para forçar a abertura de outras experiências da temporalidade” – Foto: Divulgação

 

Em Tempo Tátil, Safatle abandona o formato de seu primeiro trabalho, Música de Superfície (Tratore, 2019), uma compilação de músicas dos anos 90 que tinha como característica principal trabalhar os limites da forma-canção. O novo disco, que reúne composições de 2008 e peças mais recentes, traz uma outra forma de organizar estruturalmente a canção, ou seja, há uma liberação do tempo em relação à estrutura. “Em música, você reconhece as estruturas, como em uma sonata, na qual você ouve a primeira parte, a segunda parte, o desenvolvimento e a conclusão. Eu tentei anular essas estruturas”, explica. O disco está dividido em dois eixos de criação: “No primeiro, há decomposições do tempo musical e no segundo, contração do tempo, ou seja, são canções marcadas pela repetição”.

No primeiro single, O Amor Vai Desterrar Nossos Corpos, Safatle executa a peça ao piano acompanhado da soprano Caroline De Comi, uma das mais versáteis cantoras líricas brasileiras da nova geração, e do violinista Renan Vitoriano, atual spalla da GRU Sinfônica. A obra foi criada a partir do poema Er war Erde in Ihnem (Havia terra neles), de Paul Celan, traduzido pelo próprio Safatle, que destaca o comentário do poeta: “Mas ao mesmo tempo são também, em tantos outros caminhos, caminhos nos quais a língua se torna sonora, são encontros, encontros de uma voz com um Tu perceptível, caminhos de criaturas, esboços de existência talvez, um antecipar-se para si mesmo, à procura de si mesmo… Uma espécie de volta à casa”.

Os próximos singles a serem lançados são o primeiro movimento de Três Peças para Gestos ao Piano, completando o ciclo que explora a “gestualidade do piano”, como informa o professor, Instância e Explosão, O Solfejo de Nossas Filhas, Espaço Liso e Quarteto nº 0. Como define o próprio Safatle, Tempo Tátil traz uma ideia importante: “O uso da contemporaneidade para forçar a abertura de outras experiências da temporalidade”.

Antes mesmo de ingressar na USP, Safatle iniciou sua carreira na música, como lembra. Foi aluno do pianista Jay Gottlieb e responsável por trilhas sonoras para peças de teatro. Professor titular do Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, atua também na área de filosofia da música, trabalhando para mostrar o recurso filosófico que a música possui. Como ele diz: “A música também pensa, organiza problemas, desenvolve questões e tenta resolver situações”.

Composições que fazem parte do disco Tempo Tátil, do professor da USP, filósofo, pianista e compositor Vladimir Safatle, estão disponíveis no canal do Selo Sesc no Youtube.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.