Podcast traz análises sobre o livro “As Relações Perigosas”

Obra do francês Choderlos de Laclos, do século 18, é discutida por doutoranda da USP

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=341808
Capa do livro As Relações Perigosas, de Choderlos de Laclos – Foto: Divulgação/instagram da série de podcasts As Madalenas

Publicado pela primeira vez na França em 1782, o livro As Relações Perigosas, de Choderlos de Laclos (1741-1803), é um romance epistolar em que nobres franceses debatem os costumes da época de forma ácida, crítica e inescrupulosa, traçando um perfil da nobreza pré-Revolução de 1789 diferente daquele até então reproduzido na literatura francesa. Contendo 175 cartas trocadas entre os personagens – como os protagonistas Visconde de Valmont e Marquesa de Merteuil -, o livro é considerado uma obra-prima da literatura erótica do século 18.

As Relações Perigosas é tema do terceiro episódio da série de podcasts As Madalenas, produzida por pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Letras Estrangeiras e Tradução (Letra) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Criada em maio passado, a série é dedicada à análise de grandes obras da literatura em língua francesa.

No áudio, o livro de Laclos é analisado por Thaïs Chauvel, doutoranda daquele programa. Ela destaca que os temas abordados na obra são “muito atuais”, a exemplo da preocupação com a reputação das mulheres. Notícias sobre a vida sexual de mulheres e homens ainda são tratadas de maneiras diferentes, como se não tivessem os mesmos direitos e obrigações, compara.

O escritor francês Choderlos de Laclos – Foto: Reprodução

Thaïs leu As Relações Perigosas pela primeira vez aos 15 anos de idade, como ela revelou ao site da FFLCH, em texto assinado por Eliete Viana. Na ocasião, ela ficou impressionada com a obra, mas também frustrada, porque o livro “deixa em aberto” várias questões. “Como assim? Não vai resolver nada?”, ela pensou na época. Porém, justamente por causa das questões em aberto, o leitor fica com vontade de reler o romance, o que Thaïs fez várias vezes ao longo da vida – acrescenta o site.

Proust e Camus

O primeiro episódio de As Madalenas, disponibilizado em maio, abordou o livro Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust, que foi comentado por Fillipe Mauro. O segundo teve como tema A Peste, de Albert Camus, analisado por Raphael Araújo. Mauro e Araújo são alunos de pós-graduação da FFLCH. O próximo episódio, previsto para ir ao ar em agosto, terá como tema o livro Como Fazer Amor com um Negro sem se Cansar, do escritor haitiano-canadense Dany Laferrière, com comentários de Heloísa Moreira.

O nome da série de podcasts As Madalenas é inspirado no romance Em Busca do Tempo Perdido, de Proust. Madalena é o nome de um bolinho de pão-de-ló, que o protagonista come no início do romance e que serve de estopim para que ele relembre episódios da sua vida.

Os episódios da série de podcasts As Madalenas são mensais e disponibilizados nas seguintes plataformas de streaming:

Spotify: https://spoti.fi/2XPAmUr
CastBox: https://bit.ly/3clalA3
Soundcloud: https://soundcloud.com/as-madalenas-podcast/episodio-1

Mais informações sobre As Madalenas (@asmadalenas.podcast) podem ser conferidas pelo Instagram: https://instagram.com/asmadalenas.podcast?igshid=1xnbqy7a8tntw

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.