Orquestra de Câmara da USP lança dois CDs

Os novos trabalhos da Ocam, que trafegam entre o popular e o erudito, foram apresentados na Rádio USP pelo maestro Gil Jardim

Ouça nos links abaixo a íntegra da entrevista do maestro Gil Jardim, diretor artístico e regente titular da Orquestra de Câmara (Ocam) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, no programa Via Sampa Estúdio, da Rádio USP (93,7 MHz), transmitida ao vivo no dia 16 de dezembro de 2019.

A Orquestra de Câmara (Ocam) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP acaba de lançar dois CDs, intitulados Segredos de Vera Cruz – Música Popular Brasileira para Gaita e Orquestra e Sons sobre Tons – Criações Musicais sobre Ideias Visuais. O lançamento antecipa as comemorações de 25 anos da orquestra, a serem completados este ano. A Ocam foi criada em 1995 pelo maestro e compositor Olivier Toni (1926-2017), um dos fundadores do Departamento de Música da ECA.

O maestro e arranjador Gil Jardim, diretor artístico e regente titular da Ocam, apresentou os dois novos CDs no programa Via Sampa Estúdio da Rádio USP (93,7 MH), transmitido ao vivo no dia 16 dezembro. Ouça nos links acima a íntegra do programa.

Segredos de Vera Cruz -Foto: Divulgação Ocam

Em Segredos de Vera Cruz, a Ocam interpreta nove composições, entre elas clássicos da música popular brasileira, como Flor de Lis, de Djavan, Beatriz, de Edu Lobo e Chico Buarque de Holanda, e As Rosas Não Falam, de Cartola. Nele, a orquestra é acompanhada pelo gaitista italiano Gianluca Littera. “Esse virtuose possui uma flexibilidade admirável. Conhece música como poucos”, afirma Jardim.

Sons Sobre Tons Foto: Divulgação Ocam

Orquestra e Sons sobre Tons reúne obras de cinco compositores: Valéria Bonafé, Alexandre Lunsqui, Paulina Luciuk, Yugo Sano Mani e Wellington Gonçalves. Os dois primeiros são profissionais com carreira consolidada. Os outros três são jovens músicos ganhadores do Concurso de Composição Musical Tomie Ohtake de 2019, que criaram obras inspiradas em trabalhos dessa artista plástica nipo-brasileira. Nesse CD, Gil Jardim conta com a colaboração dos regentes assistentes Filipe Fonseca e Enrico Ruggieri, formados em Música pela ECA. “O instituto, na figura do seu diretor Ricardo Ohtake, tem sido um parceiro assíduo da Ocam”, revela Jardim.

A Ocam

Às vésperas de completar 25 anos de atividades, a Ocam possui atualmente um corpo artístico formado por 45 músicos, que são selecionados entre alunos do Departamento de Música da ECA e instrumentistas latino-americanos ligados a cursos de extensão da escola.

Graças à renovação anual do seu quadro de músicos – que chega a 50% do conjunto -, cerca de 700 jovens músicos já integraram a Ocam desde 1995 até hoje. “A Ocam possui algumas características peculiares: todo ano muda de pele, reinventando-se”, diz Jardim, que atua na orquestra desde sua fundação, em 1995, tornando-se regente titular em 2001.

O maestro Gil Jardim, diretor artístico e regente titular da Orquestra de Câmara (Ocam) da USP – Foto: Marcelo Macauê

Autor do livro O Estilo Antropofágico de Heitor Villa-Lobos, de 2006, Jardim já lançou os CDs O Soprador de Vidro (1999), escrito para o Balé do Teatro Castro Alves, em Salvador, na Bahia, e Villa-Lobos em Paris (2006). Entre sua produção constam ainda direções, arranjos e regência de espetáculos com artistas como Milton Nascimento, Gilberto Gil, Naná Vasconcelos, Gilberto Tinetti e Léa Freire, entre outros.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.