Orquestra de Câmara da USP faz três concertos nesta semana

Apresentações são gratuitas e acontecem nesta sexta-feira, sábado e domingo

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=176222
  • 82
  •  
  •  
  •  
  •  
A Orquestra de Câmara da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP – Foto: Marcelo Macaue / Ocam – USP

.
A Orquestra de Câmara (Ocam) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP realiza três concertos gratuitos nesta semana, em São Paulo. Eles acontecerão nesta sexta-feira, dia 29, às 20 horas, no Teatro do Colégio Santa Cruz; no sábado, dia 30, às 17 horas, na Paróquia São Luiz Gonzaga; e no domingo, dia 1º de julho, às 17 horas, no Instituto Tomie Ohtake.

O programa da Ocam para as apresentações se inicia com a composição Itinerários de Curvelo, de Sílvio Ferraz, que é professor do Departamento de Música (CMU) da ECA. “É uma peça feita com técnica expandida, com elementos da música contemporânea – ruídos e tudo mais”, comenta o maestro Gil Jardim, regente da Ocam. A atualidade da obra também está na alusão que Ferraz faz a Itinerários de Pasárgada, livro de Manuel Bandeira.

A violinista Eliane Tokeshi – Foto: Kátia Kuwabara / Ocam – USP

.
Não por acaso foram escolhidos Eliane Tokeshi, no violino, e Fábio Presgrave, no violoncelo, como solistas convidados. Ambos são especialistas em música contemporânea. “Dessa forma, criou-se uma unidade, uma ideia”, diz Jardim. “Ela é uma artista tremenda, tecnicamente muito bem preparada. A mesma coisa digo do Fábio. São músicos muito experimentados.”

O violoncelista Fábio Presgrave – Foto: Divulgação / Ocam – USP

.
O repertório prossegue com
Sinfonietta nº 1, de Heitor Villa-Lobos, para ser finalizado com a apresentação do Concerto para Violino e Violoncelo em Lá menor, Op. 102, de Johannes Brahms. “É muito interessante fazer uma intervenção hoje, de uma forma competente e consequente, numa obra tão famosa, feita há mais de cem anos”, diz Jardim, referindo-se à interpretação que a dupla de solistas convidados fará da obra de Brahms.

O destaque fica para o concerto da Ocam no Instituto Tomie Ohtake. A apresentação marca a abertura da exposição Histórias Afro-Atlânticas, que será realizada em conjunto entre o Tomie Ohtake e o Museu de Arte de São Paulo (Masp). “Tem sido frequente aproveitar o gancho de uma exposição que está acontecendo e fazer esses links entre artes plásticas e música”, afirma o maestro, sobre a parceria com o Instituto Tomie Ohtake, que vem dando suporte à Ocam nessas apresentações.

A Orquestra de Câmara tem regência de Gil Jardim – Foto: Marcelo Macaue / Ocam – USP

.
Além dessa parceria, Jardim comenta que a Ocam tem se aproximado institucionalmente da USP este ano. A solista convidada Eliane Tokeshi, professora de violino do Departamento de Música da ECA, é um exemplo. Mas outros professores do mesmo departamento e instrumentistas da Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) também participaram do programa passado da Ocam. “Existe uma proximidade muito grande entre essas duas orquestras nesse momento, o que é muito bacana”, avalia.

O Teatro do Colégio Santa Cruz fica na Rua Orobó, 277, Alto de Pinheiros, em São Paulo.

A Paróquia São Luiz Gonzaga fica na Avenida Paulista, 2.378, Cerqueira César, em São Paulo.

O Instituto Tomie Ohtake fica na Rua Coropés, 88, Pinheiros, em São Paulo.

 

 

  • 82
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados