O Muro, entre a realidade e a ficção

Veja livros e filmes que falam de vários aspectos do Muro de Berlim e da vida na Guerra Fria

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=285903

Para muitos, a queda do Muro de Berlim é memória. Para outros, bem mais jovens, é história. De qualquer forma, saber mais sobre essa enorme peça de concreto e arame farpado que separou muito mais que uma cidade é quase que obrigatório para todos que queiram entender uma parte importante da segunda metade do século 20. Nesse caso, ficção e realidade podem se misturar e se completar. Veja abaixo uma lista de alguns livros e filmes que têm o Muro de Berlim como protagonista.

LIVROS

Berlim: 1961,

de Frederick Kempe.

Trad. Hoildegard Feist.

Companhia das Letras

.

O livro narra de forma jornalística o período que antecedeu à criação do muro e as situações que se seguiram à sua construção. Como afirma o autor em seu trabalho, em junho de 1961, o então secretário geral do PCUS Nikita Krushev chamou Berlim de “a cidade mais perigosa do mundo”. Ter levantado o muro não ajudou em nada a mudar essa perspectiva.

Os túneis,

de Greg Mitchell.

(Trad. Carolina Caires Coelho).

Ed. Vestígio.

.

Esta é a história nunca contada de um grupo de jovens da então Alemanha Ocidental que, em 1962, se arriscou para salvar amigos em Berlim Oriental. A estratégia? Escavar túneis debaixo do muro que possibilitasse a fuga.

1989, o ano que mudou o mundo,

de Michael Meyer.

(Trad. Pedro Maia Soares).

Ed. Zahar

.

O autor era chefe da sucursal da revista americana Newsweek no Leste Europeu quando o muro veio abaixo.  A partir dos fatos que assistiu bem de perto, como a própria queda do Muro de Berlim e o fuzilamento do ditador romeno Nicolae Ceaucescu, Meyer faz um relato que ajuda muito a entender melhor este ano emblemático, que marcou o fim da Guerra Fria.

.

FILMES

.

Adeus, Lenin (2003), de Wolfgang Becker. Em 1989, uma mulher comunista, que vivia em Berlim Oriental, entra em coma. Ao se recuperar, já em 1990, a Alemanha Oriental não existia mais e seu filho faz de tudo para ocultar dela a nova realidade. Entre a comédia e o drama, este talvez seja um dos mais emblemáticos filmes sobre o período.

.

.

Um amor além do muro (2006), de Dominik Graf. O filme se passa no verão de 1961, pouco antes de o muro ser erguido, e conta a história de um jovem de 20 anos que se muda para Dresden, para tentar a sorte. Lá conhece uma jovem poeta e seu marido, reprimidos pela polícia política da Alemanha Oriental. Isso não os impede de conhecer o rock, proibido pelo regime.

.

.

Alameda do Sol (1999), de Leander Haussmann. Passado na década de 1970, a história conta a vida de um grupo de amigos que mora na Alameda do Sol, uma das poucas ruas que começavam no lado ocidental de Berlim e atravessavam o muro até o lado oriental. Com bom humor, fala das visitas do grupo a amigos do outro lado do muro e a vida dos guardas da fronteira.

 

 

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.