Museu de Zoologia celebra o aniversário de Charles Darwin

Nesta semana, atividades gratuitas marcam os 210 anos do autor da teoria da evolução

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=223828
  • 2,7K
  •  
  •  
  •  
  •  
Cartaz da Semana Darwin no Museu de Zoologia da USP – Ilustração a partir dos subsídios gráficos de divulgação / Museu de Zoologia

Desta terça-feira, dia 12, até domingo, dia 17, o Museu de Zoologia da USP promove a Semana Darwin, que ocorre anualmente em comemoração ao aniversário do naturalista inglês Charles Darwin, autor da teoria da evolução das espécies, que nasceu em 12 de fevereiro de 1809 – portanto, há exatos 210 anos. Nos seis dias do evento, haverá diversas atividades gratuitas, como palestras, jogos, oficinas e mesas-redondas, desde a manhã até a noite. 

As mesas-redondas serão realizadas sempre à noite, das 19h às 21h30. Elas também são gratuitas, mas é preciso fazer inscrição prévia. A primeira delas, que acontece nesta terça-feira, dia 12, tem como título Origem 160, em referência ao aniversário de publicação de Sobre a Origem das Espécies, de Darwin. Confirmaram presença os professores Pedro Paulo Pimenta, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, que falará sobre As Muitas Línguas da História Natural, e Nélio Bizzo, da Faculdade de Educação da USP, um dos maiores especialistas em Darwin do Brasil, que abordará as traduções da obra original na fala 514 Tons de Cinza: Notas de uma Traição?. A mediação fica por conta do diretor do Museu de Zoologia, professor Mario de Pinna. Para essa mesa-redonda, as vagas estão esgotadas. É possível ficar em fila de espera, através deste link.

Todos os públicos são contemplados pelas atividades da Semana Darwin – Foto: Museu de Zoologia

Na quarta-feira, dia 13, a discussão terá como tema Seleção Sexual. A professora Jaroslava Varella Valentova, do Instituto de Psicologia da USP, participará do encontro com a fala Homossexualidade – Um Mistério para o Pensamento Darwinista? e o professor Marco Antonio Varella, também do Instituto de Psicologia da USP, discutirá o tema Seleção Sexual e as Manifestações Artísticas em Humanos e Outros Animais, com a mediação da doutoranda Letizia Migliore, do Museu de Zoologia (inscrição em fila de espera neste link).

Evolução: Genes e Cultura é o assunto da mesa-redonda que ocorrerá no dia 14, quinta-feira. Os participantes serão os professores Diogo Meyer, do Instituto de Biociências da USP, que falará sobre Diversidade Genética de Humanos, e Eduardo Ottoni, do Instituto de Psicologia da USP, que abordará o tema Cultura, Biologia e Evolução. A mediação será de Bruno Ziberman, do Museu de Zoologia (inscrição em fila de espera neste link).

A última mesa-redonda, no dia 15, será sobre Evolução da Cultura e Cognição. Sob a mediação de Fábio Nascimento, do Museu de Zoologia, a professora Ana Luiza Navas, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, falará sobre o assunto com foco na temática da Evolução Cultural: Evidências a Partir do Desenvolvimento da Linguagem Oral e Aprendizagem de Leitura. Já a professora Patrícia Izar, do Instituto de Psicologia da USP, participará com a fala Cultura Ampliando a Biologia: o Uso de Ferramentas por Macacos-Prego. As inscrições ainda podem ser feitas neste link.

Crianças

As crianças também poderão se divertir, durante a Semana Darwin, com diversas oficinas preparadas para elas. Uma delas será a Oficina de Desenho e de Máscaras, previstas para os dias 16 e 17, das 10h30 às 12 horas, e também a Caçada no Museu, que ocorre dos dias 13 a 17, também das 10h30 às 12 horas. “Para o Dia de Darwin, queríamos que fosse um evento que pudesse agregar os interesses dos pais, dos filhos e de todo mundo que vier ao museu”, afirma a professora do Museu de Zoologia da USP Maria Isabel Landim, coordenadora da Semana Darwin. “Como ele sempre ocorre próximo ao Carnaval, a gente faz uma brincadeira tradicional, que é a de colorir as máscaras de Charles Darwin e de Emma, a esposa dele. Além disso, fazemos sempre essa Caçada no Museu, espalhando tarefas ao longo do espaço para que os visitantes cumpram os desafios propostos.”

Haverá ainda palestras sobre assuntos variados relacionados às teorias darwinianas, assim como sobre a pesquisa científica na atualidade. Os youtubers e idealizadores do portal Colecionadores de Ossos estarão presentes no sábado, das 15h às 17h, e discutirão a respeito das transformações da ciência na modernidade, através da exposição Caiu na Rede é Peixe? Os Desafios da Divulgação Científica na Internet.

As crianças podem aprender sobre a teoria evolucionista através de brincadeiras preparadas pela equipe do Museu de Zoologia – Foto: Divulgação / Museu de Zoologia

Neste ano, as homenagens ao naturalista inglês não serão restritas a uma semana apenas. O Museu de Zoologia realizará atividades em todos os meses de 2019, motivado pelo fato de que, neste ano, o livro Sobre a Origem das Espécies completa 160 anos de publicação. A decisão de alongar o período de atividades se deu também em função do crescente conservadorismo observado no cenário nacional, acrescenta a professora Maria Isabel. “Precisamos conversar com o público sobre a pesquisa científica, sobre a teoria da evolução, porque é o único caminho que temos para cumprir de forma eficaz a nossa principal missão, que é a preservação da biodiversidade.”

O objetivo da Semana Darwin é fazer o visitante pensar sobre a espécie humana e sobre a importância dos estudos sobre a evolução, destaca Maria Isabel. O evento é um prolongamento de uma celebração mundial, o Darwin Day, que ocorre em várias instituições acadêmicas desde os anos 1990, motivado pela crescente onda de negação das teorias evolucionistas e expansão do criacionismo. Maria Isabel lembra a origem dessa comemoração no Brasil, em 2005: “Em 2004, a então governadora do Estado do Rio de Janeiro declarou aos jornais que não acreditava na teoria da evolução. A partir disso, alguns alunos de pós-graduação decidiram que aquele acontecimento não poderia passar em branco. Então, eu e outros estudiosos do assunto fomos ao Rio de Janeiro, num sábado de carnaval, e falamos sobre a lógica do pensamento evolutivo para o público de uma livraria. Foi um evento grande, com mais de 300 pessoas e ampla cobertura dos jornais do Rio e de São Paulo. A partir disso, a cobrança em fazer um Darwin Day também em São Paulo cresceu, e assim surgiu essa tradição no Museu de Zoologia da USP”.

A Semana Darwin é promovida pela Divisão de Difusão Cultural do Programa de Pós-Graduação em Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade do Museu de Zoologia e do Núcleo de Apoio à Pesquisa em Educação, Divulgação e Epistemologia da Evolução Biológica (Edevo-Darwin) da USP.

A Semana Darwin ocorre no Museu de Zoologia da USP, localizado na Avenida Nazaré, 481, Ipiranga, em São Paulo. A programação completa está disponível na página do Museu de Zoologia da USP no Facebook. Mais informações no site do Museu de Zoologia da USP.

Leia mais

Nova edição de “A Origem das Espécies” traz Darwin mais “radical”

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 2,7K
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados