Museu da Imagem e do Som traz filmes e conversas ao vivo

Museu oferece nesta semana uma extensa programação cultural, que aborda cinema, vídeos e fotografia

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=326878
O Museu da Imagem e do Som, em São Paulo: fechado por causa da pandemia de covid-19, instituição oferece várias atividades culturais pela internet – Foto: Divulgação

O Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo realiza a cada semana uma extensa programação cultural. Através do projeto #misemcasa, filmes, debates, bate-papos e podcasts estarão à disposição nos próximos dias, com o objetivo de ajudar as pessoas a permanecer em casa nesta época de pandemia.

Uma das atividades do MIS ligadas à sétima arte é a Mostra Cinema de Acervo – Um Brasil de Artistas, evento inédito que divulga filmes pertencentes ao acervo do museu, tanto curtas como médias-metragens. Desta quinta-feira, dia 4, até domingo, dia 7, sempre às 20 horas, a mostra vai exibir três obras, uma após a outra: Semeador de Alegria, dirigido por Paulo Sá Vieira (1981, 13 minutos), Teatro Passarela, de Rosina Leser Schwarz (11 minutos) e Brasil ou Aquarela do Brazil, com direção de Abrão Berman (1973, 12 minutos). Os filmes estarão disponíveis na página do MIS no Youtube.

Conforme explicam as sinopses fornecidas pelo MIS, Semeador de Alegria mostra a contradição personificada num mágico de rua – que expressa ao mesmo tempo a alegria espalhada nos espaços públicos e a miséria consequente da desigualdade social que caracteriza o Brasil -, Teatro Passarela documenta o carnaval na época em que a maior festa popular do Brasil ocupava o seu espaço preferencial, a rua, e Brasil ou Aquarela do Brazil traz a vida e as dificuldades dos atores e atrizes brasileiros.

Na sexta-feira, dia 5, e também no domingo, dia 7, sempre às 20 horas, acontece o Bate-Papo ao Vivo com a pesquisadora Valquíria Prates, curadora da exposição virtual Moventes, uma parceria do MIS com o Google Arts & Culture, que traz imagens de situações de deslocamento em diferentes tipos de trabalho itinerante. A mostra conta com fotografias e vídeos de artistas como Sebastião Salgado e Helena Tassara, entre outros. A conversa com a curadora também ocorrerá na página do MIS no Youtube.

O MIS também disponibiliza uma série de podcasts intitulada Isso só acontece em novela, que analisa as telenovelas mais populares no Brasil e seu impacto na sociedade. Nesta quinta-feira, dia 4, estará disponível mais um episódio da série. Nele, o pesquisador e roteirista Lucas Martins Néia e o jornalista e crítico Raphael Scire vão abordar três telenovelas da década de 2000: O Clone, Senhora do Destino e Vidas Opostas. A série pode ser acessada no perfil do MIS na plataforma Spotify (neste link).

No domingo, dia 7, às 17 horas, também na página do MIS no Youtube, acontece o #CineCiência, uma live sobre a ficção científica A Chegada, do diretor norte-americano Denis Villeneuve, que será debatida com o professor de Física da USP Luis Carlos Meneses e o professor de Comunicação e Semiologia da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo Marcus Bastos, com mediação do professor José Luiz Goldfarb, também da PUC, especialista em História da Ciência. O filme não será exibido.

Ainda no domingo, dia 7, desta vez às 20 horas, haverá um bate-papo com o fotógrafo Robério Braga, autor da exposição Luz Negra, composta de fotos feitas na África, que ficou em cartaz no MIS em 2014. Na conversa, o fotógrafo vai falar sobre a experiência de produzir a série Luz Negra, que exigiu várias viagens ao continente africano. “O trabalho faz uma leitura poética e jornalística de diversos aspectos estéticos e antropológicos de inúmeros signos culturais presentes na cultura de África desde os primórdios de suas civilizações”, segundo texto de divulgação do MIS. O bate-papo acontecerá na página do MIS no Youtube.

Mais informações sobre o MIS e o projeto #misemcasa estão disponíveis no site do museu.

 

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.