Minissérie mostra as origens do curso de Cinema da USP

Com direção de Ugo Giorgetti, “O Cinema Sonhado” aborda o cinema em São Paulo na segunda metade do século 20

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=227520
Ugo Giorgetti, Malu Oliveira e Guilherme Lisboa (da esquerda par a direita), durante gravação – Foto: Reprodução / SP Filmes

Ao abordar o cenário do cinema paulistano dos anos 1960 até 1990, a minissérie O Cinema Sonhado, de Ugo Giorgetti, evidencia a criação da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP e seu curso de Cinema, responsável pela formação de cineastas que remodelaram a forma de produzir e pensar a sétima arte no Brasil. A minissérie foi produzida para o Sesc TV e está disponível neste link.

Com uma extensa filmografia, Giorgetti, nessa obra, busca recapitular as memórias do período em que começou a viver o cinema. Dividida em quatro episódios, a minissérie tem como ponto de partida o período de crise da indústria nacional, entre os anos 50 e 60, marcado pelo fim da produtora Vera Cruz.

A Vera Cruz foi uma iniciativa de dois estrangeiros, considerados mecenas das artes em São Paulo, Franco Zampari e Ciccillo Matarazzo, que pretendiam fundar um cinema brasileiro tecnicamente competente, que acreditavam não existir, explica o professor Carlos Augusto Calil, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA. Entretanto, segundo ele, a iniciativa expôs a inocência com que Zampari e Matarazzo se lançaram na empreitada. A ausência de cautela ao medir as despesas das produções, o conflito entre a inflação e os preços tabelados das entradas de cinema e a hegemonia dos filmes hollywoodianos, somados ao amadorismo de acreditar que os filmes se pagariam sozinhos no mercado, levaram a companhia ao inevitável fim. “A Vera Cruz faliu de maneira estrepitosa, e isso causou um trauma enorme que sentimos até hoje”, diz Calil..

No segundo episódio da minissérie, Giorgetti, que possui formação prática na área de publicidade, focou seu olhar na Blimp Film, produtora radicada no bairro do Bixiga, em São Paulo, que virou referência no mercado publicitário da época.

Já no terceiro episódio, a obra chega à criação do curso de Cinema da USP e às produções dos primeiros cineastas ali formados. Através de entrevistas com os alunos das primeiras turmas do curso, a minissérie evidencia o engajamento político que permeava aquele meio. “A ECA nasce política. Não se pode esquecer que ela surge logo após a instauração do Ato Institucional Número 5 (AI-5). Então é evidente que sua criação e suas produções estão muito vinculadas ao seu momento histórico”, comenta Giorgetti.

.

O nome do professor Paulo Emílio Sales Gomes, da ECA, é recorrente no depoimento dos entrevistados. Durante o governo de João Goulart, Sales Gomes e outros intelectuais conceberam um curso de Cinema inovador na Universidade de Brasília (UnB). Entretanto, a direção da universidade vigente pós-golpe militar estava em desalinho com as concepções desses professores.

“Houve um conflito entre a filosofia mais liberal da universidade com os novos paradigmas trazidos pela ditadura. Com esse conflito, Paulo Emílio acabou pedindo demissão, e no retorno a São Paulo buscou repetir a experiência. O curso de Cinema da USP é descendente do que se tinha em Brasília”, destaca o professor Carlos Augusto Calil.

O Cinema Sonhado reúne memórias do cinema paulista – Foto: Reprodução / SescTV

O quarto e último episódio da minissérie discute o processo de criação das primeiras produtoras dos alunos de Cinema da USP, localizadas principalmente na Vila Madalena, em São Paulo. “Além da proximidade com a faculdade, o bairro era uma opção viável aos cineastas pelos preços de aluguel. Era um reduto operário, muito diferente do que vemos por lá hoje em dia”, conta Giorgetti.

Ali proliferaram produtoras que se tornaram relevantes no cenário nacional e atuaram na conservação e captação de recursos para manter e modernizar a Cinemateca Brasileira. Mesmo assim, a maioria delas acabou por encerrar suas atividades posteriormente. “A série é também uma história dos grandes fracassos que eu vi acontecer, desde o fim da Vera Cruz até a maioria das produtoras na Vila Madalena”, diz Giorgetti, em tom de brincadeira.

A minissérie O Cinema Sonhado, de Ugo Giorgetti, está disponível na íntegra e em alta definição no site do SescTV. O acesso é gratuito e não há necessidade de cadastro.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.