Livro de filosofia do direito aborda os desafios contemporâneos

Com artigos de 18 autores de 12 países, obra será lançada nesta quinta-feira, dia 28, em São Paulo

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=232605
Detalhe da capa do livro Filosofia do Direito – Diálogos Globais, Temas Polêmicos e Desafios da Justiça, que será lançado nesta quinta-feira, dia 28, em São Paulo – Foto: Reprodução/Quartin

.
Um livro que reúne artigos de 18 autores de 12 países – entre eles, Brasil, Alemanha, Itália, França e República Tcheca – para tratar dos graves desafios do mundo contemporâneo, como o aquecimento global, a digitalização da economia, a crise da democracia, o terrorismo, o aumento das injustiças sociais e as fake news, entre outros.

Assim pode ser definido Filosofia do Direito – Diálogos Globais, Temas Polêmicos e Desafios da Justiça, coordenado pelo professor Eduardo Bittar, da Faculdade de Direito da USP, que será lançado nesta quinta-feira, dia 28, às 18h30, na Livraria da Vila (Alameda Lorena, 1.731, Jardim Paulista, em São Paulo). A publicação é da Editora Quartier Latin.
O livro busca promover o “pensar coletivo” sobre as complexidades do mundo contemporâneo, como afirma o professor Eduardo Bittar no texto de apresentação da obra. “A filosofia do direito se vê instada a pensar as novas fronteiras abertas pela informatização da sociedade, pela globalização, pela mudança do cenário em torno da democracia, com a crise da representação política e em direção às questões que se põem em nossos tempos, em torno de esforços por justiça”, escreve Bittar. “Daí a importância de transpor as fronteiras nacionais e as barreiras dos arquétipos científicos locais para pensar as questões globais, indo ao encontro dos saberes transfronteiriços, tornando-se com isso possível instaurar um pensar cosmopolita.”
O livro coordenado pelo professor Eduardo Bittar, da Faculdade de Direito da USP – Foto: Reprodução

Esse “pensar cosmopolita” é claramente visível em Filosofia do Direito, que traz artigos escritos em seis línguas – português, francês, inglês, italiano, alemão e espanhol.  Um desses artigos, “Les enjeux de la justice prédictive” (“Os riscos da justiça preditiva”), é assinado pelo secretário geral do Institut des Hautes Études sur la Justice, de Paris, na França, Antoine Garapon. O professor Rainer Forst, da Universidade Johann Wolfgang Göethe de Frankfurt, na Alemanha, escreve sobre “Transnational Justice and Democracy: overcoming three dogmas of Political Theory” (“Justiça transnacional e democracia: superando três dogmas da teoria política”) e Carla Faralli, da Universidade de Bolonha, publica “Donne e diritti. Un’introduzione storica” (“Mulheres e direito. Uma introdução histórica”). Outros artigos publicados no livro são “Contribuciones para un concepto de terrorismo en el derecho penal”, de Myrna Villegas Díaz, da Universidad de Chile, “Zeit und Verfassung” (“Tempo e Constituição”), de Peter Häberle, da Universidade de Bayreuth, na Alemanha, e “L’invention du sujet de droit” (“A invenção do sujeito de direito”, de Yves Charles Zarka, da Universidade Sorbonne, de Paris. 

“O espírito deste livro é tornar possível uma frente de possibilidades reflexivas e de alternativas possíveis, pensadas numa perspectiva que une esforços da filosofia do direito, compreendida como campo privilegiado para o desenvolvimento da teoria da justiça, em parceria com campos de trabalho a ela vizinhos, como a filosofia política, a sociologia, a antropologia e a ciência política”, escreve Bittar.

O livro Filosofia do Direito – Diálogos Globais, Temas Polêmicos e Desafios da Justiça, de Eduardo Bittar (coordenador), será lançado nesta quinta-feira, dia 28, às 18h30, na Livraria da Vila (Alameda Lorena, 1.731, Jardim Paulista, em São Paulo). Entrada grátis.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.