Jazz Sinfônica comemora 120 anos do Instituto Butantan

Orquestra dará concerto nesta terça-feira, dia 23, às 20 horas, com transmissão ao vivo pelo Youtube

A Orquestra Jazz Sinfônica Brasil – Foto: Joca Duarte / Photopress via TV Cultura

 

Nesta terça-feira, dia 23, às 20 horas, um concerto da Jazz Sinfônica Brasil vai comemorar os 120 anos do Instituto Butantan, fundado no dia 23 de fevereiro de 1901. O evento será realizado no Memorial da América Latina – com convidados restritos – e transmitido ao vivo pelos canais no Youtube do Instituto Butantan, TV Cultura e Memorial da América Latina, que promovem o concerto.

Com regência dos maestros Ruriá Duprat e João Maurício Galindo e participação do cantor Renato Braz, a Jazz Sinfônica Brasil tocará um repertório variado. Na primeira parte do concerto serão apresentadas músicas instrumentais. Na segunda parte, a orquestra exibirá uma seleção de músicas que têm como tema a superação, a cura e a esperança. Entre essas composições está Estão Voltando as Flores, de Paulo Soledade.

A obra de Soledade é executada pela Jazz Sinfônica Brasil e por Renato Braz num clipe lançado no Youtube no dia 15 passado (assista no link abaixo).

O Instituto Butantan – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

 

“Mais do que nunca, os 120 anos do Instituto Butantan são uma celebração à vida. A excelência do centro de pesquisa é reconhecida por todos no Brasil e no exterior. O trabalho exemplar desenvolvido pelo instituto contribui diariamente para a valorização da ciência. Neste momento de pandemia, sua atuação tem sido fundamental”, destaca o presidente do Memorial da América Latina, Jorge Damião, em texto publicado no site da instituição. “O concerto da Jazz Sinfônica Brasil celebra a ciência por meio da cultura, dois pilares essenciais da vida em sociedade.”

O médico Vital Brazil, primeiro diretor do Instituto Butantan – Foto: Instituto Vital Brazil

O Instituto Butantan foi criado pelo decreto assinado em 23 de fevereiro de 1901 pelo então “presidente” do Estado – cargo equivalente ao de governador atualmente – Francisco Rodrigues Alves, que instituiu o Instituto Serumtherapico, depois chamado Instituto Butantan, com sede na Fazenda Butantan, na parte oeste da cidade de São Paulo. “A fundação do Instituto Serumteraphico foi justificada pela necessidade da criação de uma instituição pública capaz de produzir soro antipestoso, em função da epidemia de peste bubônica que assolava o porto de Santos desde o final do século 19”, como explica o site do Instituto Butantan.

O primeiro dos quatro artigos do decreto reza assim, na grafia da época: “O pessoal do Instituto Serumtherapico em Butantan, que ficará a cargo da Directoria do Serviço Sanitario, constará de um director, de um ajudante, de um administrador, de um escripturario, de dois auxiliares para manipulação do serum, de um cocheiro, de cinco camaradas para plantação de forragem e outros empregados, cujos vencimentos e gratificação serão os da tabella junta”. O decreto foi publicado em 27 de fevereiro daquele ano no Diario Official do Estado de São Paulo (veja a capa abaixo). O primeiro diretor da então recém-criada instituição foi o médico Vital Brazil Mineiro da Campanha, um especialista em saúde pública.

Assista no link abaixo ao clipe Estão Voltando as Flores, produzido pelo Instituto Butantan para comemorar os seus 120 anos, completados nesta terça-feira, dia 23.

.

Decreto de criação do Instituto Serumtherapico, depois chamado Instituto Butantan, assinado em 23 de fevereiro de 1901 pelo então “presidente” do Estado – cargo equivalente ao de governador hoje – Francisco Rodrigues Alves e publicado quatro dias depois no Diario Official do Estado de São Paulo – Foto: Reprodução


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.