Imagem e palavra caminham juntas em exposição na Brasiliana

Biblioteca Mindlin abre exposição “A Imagem e a Literatura Latino-Americana”, no dia 3, às 18 horas

Por - Editorias: Cultura
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Pintura a óleo de André Yassuda – Imagem: Divulgação

.
A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin inaugura nesta quinta-feira, dia 3, às 18 horas, a exposição
A Imagem e a Literatura Latino-Americana, que tem a proposta de apresentar obras de artistas plásticos brasileiros inspiradas pelas produções de escritores latino-americanos.  

Os livros de Gabriel García Márquez, Pablo Neruda, Ariano Suassuna, Carlos Drummond de Andrade e Graciliano Ramos são algumas das obras interpretadas para serem materializadas em forma de arte.

A instalação O Túnel do Tempo, de Alessandra Buffe – Foto: Divulgação

.

Gravura de folhas que caíram nas alamedas do Parque da Água Branca, Perdizes – Foto: Altina Felício

.
Segundo a artista plástica Altina Felício, organizadora da mostra, o público irá encontrar criações feitas a partir de diferentes técnicas, escolhidas de acordo com a preferência de cada artista. Esculturas, pinturas a óleo, aquarelas e fotografias são algumas das manifestações artísticas presentes na exposição.  

Entre os expositores estão Alessandra Buffe, Angela Leite, Maria do Carmo Carvalho, André Yassuda, Gilberto Tomé, o Grupo Água Branca e a própria Altina, também responsável por sugerir para os artistas, conforme o estilo empregado por cada um, os autores que poderiam utilizar em seus trabalhos.
.

Uma boa leitura é sempre uma porta aberta.

.
Encantada pela temática sobre a imagem e a palavra, Altina já havia apresentado essa mesma exposição no Memorial da América Latina, local em que foram selecionados os escritores que fariam parte da mostra.

A artista plástica Altina Felício – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A organizadora avalia que “é muito difícil para o artista, que ainda não tem o nome no mercado, conseguir espaço para mostrar o que faz” e, devido a isso, um de seus objetivos com a exposição é garantir visibilidade para artistas que não fazem parte do circuito comercial.

Além de revelar esses talentos, Altina também visa a incentivar o interesse dos espectadores pela leitura, ao apresentar grandes nomes da literatura latino-americana. Para a artista plástica, uma boa leitura é importante para o crescimento do indivíduo, sendo “sempre uma porta aberta” para o seu desenvolvimento. Quanto à relação entre a leitura e a imagem, “pela leitura a nossa imaginação e criatividade trabalham em sintonia e as imagens surgem espontaneamente”, ela diz.

Com a intenção de instigar esse interesse, todas as obras serão acompanhadas de um pequeno texto sobre o trabalho dos autores que serviram como fontes de inspiração.
.

Obras que fazem parte da exposição

Após observar minuciosamente o Parque da Água Branca, devido às aulas que ministra há anos no local, Altina registrou a marca de folhas deixadas no cimento da calçada. As suas fotografias se transformaram em uma interpretação do poema Canção do Vento e da Minha Vida, de Manuel Bandeira.


.
Além da obra de Altina, entre os trabalhos que o público irá encontrar está uma colagem feita por Maria do Carmo Carvalho para o poema
A Meditação sobre o Tietê, de Mário de Andrade. A instalação de Alessandra Buffe, inspirada na obra Cem Anos de Solidão, de García Márquez, e a pintura a óleo de André Yassuda para o livro Eles Eram Muitos Cavalos”, de Luiz Ruffato. .

Gravura de folhas que caíram nas alamedas do Parque da Água Branca, Perdizes – Foto: Altina Felício

.
A organizadora da mostra afirma que tem interesse em continuar com o projeto, a partir de outros recortes dentro da literatura, utilizando somente escritores brasileiros, europeus e norte-americanos, entre outros.

A exposição A Imagem e a Literatura Latino-Americana abre no dia 3 de agosto, quinta-feira, às 18 horas, na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, na Cidade Universitária, em São Paulo, e fica em cartaz até 23 de setembro, data em que os artistas vão se reunir para uma conversa com o público. A entrada é gratuita, com visitação de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados