Grupo Terceiro Sinal apresenta concerto na USP

Evento acontece no dia 25 de junho, segunda-feira, às 15 horas, na Escola de Comunicações e Artes (ECA)

Por - Editorias: Cultura
  • 65
  •  
  • 2
  •  
  •  

Ouça no link acima entrevista do compositor Newton Carneiro, do grupo Terceiro Sinal, no programa Via Sampa, da Rádio USP  (93,7 MHz), transmitida no dia 21 de junho.

O grupo Terceiro Sinal: Newton Carneiro (viola), Mariô Rebouças (piano) e Luiz Guello (percussão) – Foto: Paulo Rapoport

.
As personalidades musicais do maestro Cyro Pereira e do violista Newton Carneiro ganham destaque no projeto Terceiro Sinal. O resultado é uma experiência sonora híbrida, composta de timbres e texturas ímpares, que podem ser conferidos no espetáculo que acontecerá no dia 25 de junho, segunda-feira, às 15 horas, no Auditório Olivier Toni da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP.

O evento conta com a participação dos músicos Newton Carneiro (viola), Mariô Rebouças (piano) e Luiz Guello (percussão). Logo após a apresentação, haverá uma masterclass sobre música de câmara e a presença da viola no cenário fonográfico contemporâneo.

Além de divulgar o gênero da música de câmara, o projeto visa a difundir a obra póstuma e inédita do maestro Cyro Pereira (1929-2011). “Ele é um dos artistas brasileiros mais completos dentro do cenário musical contemporâneo, grande compositor e orquestrador”, ressalta Newton Carneiro, responsável pelo projeto Terceiro Sinal e integrante do corpo musical da Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) e da Orquestra Jazz Sinfônica.

Newton Carneiro: “A música é uma linguagem, assim como o português e o inglês, com sujeito, verbo, predicado, informação, sedução” – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

.
Segundo Newton Carneiro, sua entrada na Jazz Sinfônica, regida na época por Cyro Pereira, deu início à parceria entre ambos. O Terceiro Sinal nasceu nos anos 2004 e tomou corpo em 2008, mas alguns contratempos o deixaram na gaveta, como relata o músico. Oito anos depois, o projeto foi retomado e finalizado, e conta com o apoio do ProAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

O projeto inclui a produção do álbum homônimo, masterclasses e o lançamento, previsto para julho, do documentário Terceiro Sinal.doc, realizado por Jô Bittencourt, com material inédito captado durante a gravação, cenas dos concertos e depoimentos da filha do maestro Cyro Pereira e de toda a equipe envolvida.

Tanto o álbum quanto o documentário ficarão disponibilizados em plataformas digitais, com o objetivo de democratizar o acesso à música erudita e levá-la para fora da sala de concerto. Baixe o disco agora no Spotify, Deezer, iTunes ou Google Play Music (com download gratuito para três músicas).

“Minha música é melosa, eu sei que é melosa, mas eu sou assim, não vou mudar”, diz o maestro Cyro Pereira em trecho da composição Fala Maestro! – Foto: Divulgação / Orquestra Jazz Sinfônica via Facebook

.
Fala Maestro!

O álbum Terceiro Sinal reúne 11 músicas para viola que apresentam um pouco dos dois compositores, em especial, a inédita Fala Maestro!, em que a voz de Cyro Pereira serve de pano de fundo. Segundo Newton Carneiro, “é uma compilação de uma conversa de mais de duas horas que tive com Cyro no ano de 2008”, acrescentando que no bate-papo ele fala sobre seu trabalho e seu amor pela música, condensado nos quase quatro minutos da composição.

Fala Maestro! é também a bandeira do projeto e surge como uma nova proposta, a de fazer arte, como diz Newton Carneiro. “Hermeto Pascoal fez algo parecido com Osmar Santos, mas a minha ideia era colocar a história de vida do maestro na música, não só a palavra falada como notas musicais”, explica. “Minha tese é de que a música é uma linguagem, da mesma forma que o português e o inglês, com sujeito, verbo, predicado, complemento, informação, falta de educação, carícias, sedução. Enfim é uma linguagem e por isso pode contar uma história.”

Capa do disco – Baixe gratuitamente a música Fala Maestro! no Spotify, Deezer, iTunes ou Google Play – Foto: Divulgação / Terceiro Sinal

Além dela, o álbum traz três músicas de Cyro Pereira, das quais Newton Carneiro tem os manuscritos. Morte do Jegue, composição de sucesso que faz uma brincadeira com a Morte do Cisne, de Camille Saint-Saens, especialmente compilada pelo maestro para viola; Suíte Brasiliana – Samba, Valsa e Choro, originalmente composta para viola e orquestra e convertida para viola e piano, incluindo ainda no primeiro e terceiro movimentos a percussão para dar um “viés de música popular mais intenso”; e Prelúdio e Dança, um solo de viola.

Já as composições de Newton Carneiro são marcadas por uma mistura das linguagens jazzística e erudita. “É a minha vida”, diz. Passados muitos anos, aquelas primeiras músicas escolhidas já não eram inéditas, e foi durante um triste episódio, com a morte de uma amiga violista, que ele reencontrou o maestro Laércio Diniz, da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa, e recebeu uma encomenda: uma composição em homenagem póstuma.

“Eu tinha apenas quatro semanas para compor e concluí a peça, mas não em tempo para que o solista europeu pudesse estudar as partituras. Assim, elas não estrearam naquela época, e agora estão no disco”, relata. São os quatro movimentos de Fantasia Ibytu – Metrópole, Valsa, Choro e Epílogo, em piano, viola e percussão. Há ainda Prelúdio, uma das antigas, que ganhou nova versão em viola e piano.

O álbum, além de Newton Carneiro, Mariô Rebouças e Luiz Guello, conta com a participação de outros três músicos, já que as músicas foram gravadas em várias etapas: Nelton Essi (percussão), Vinicius Barros (percussão) e Lenita Portilho (piano). “O disco é uma espécie de sublimação; o percurso começa com a salsa Fala Maestro!, e vai depurando, depurando até sobrar uma viola solo.”

O concerto do grupo Terceiro Sinal acontece no dia 25 de junho, segunda-feira, às 15 horas, seguido de masterclass, no Auditório Olivier Toni do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP (Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443, Prédio 6, Cidade Universitária, em São Paulo). O espetáculo tem duração de uma hora de duração e é gratuito. Mais informações no Facebook

  • 65
  •  
  • 2
  •  
  •  

Textos relacionados