Festa do Livro da USP terá participação de 230 editoras

Evento na Cidade Universitária começa nesta quarta-feira, dia 28, e vai até sábado, com entrada gratuita

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=211491
  • 3,4K
  •  
  •  
  •  
  •  
A 17ª Festa do Livro da USP, em 2015, na tenda próxima ao estádio do Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp), local atual do evento – Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

Apesar da crise econômica, que levou ao fechamento de editoras e até grandes livrarias, a tradicional Festa do Livro da USP continua sendo o evento mais aguardado da Universidade, e este ano conta com um número ainda maior de estandes. Organizada pela Editora da USP (Edusp), a festa chega à sua 20ª edição e acontece nos dias 28, 29 e 30 de novembro, estendendo-se para o sábado, dia 1º de dezembro. O evento terá a participação de 230 editoras – contando os selos e editoras integrantes dos grupos editoriais, esse número sobe para 260. Entre elas estão grandes editoras como Companhia das Letras, Boitempo, Editora 34, Record e Edusp, e pequenas, entre elas Attie, Arte & Letra, Ouro Sobre Azul e Veneta, que vão trazer todo o seu catálogo, incluindo os lançamentos, com descontos de no mínimo 50%, podendo chegar a 90%.

A 20ª Festa do Livro, além de ganhar mais participantes – são quase 100 editoras a mais do que em 2017 –, ganhou mais espaço, cerca de 4 mil metros quadrados, e maior integração. Segundo Bruno Tenan, chefe de Marketing da Edusp, a tenda não tem mais divisões, será um espaço contínuo, mantendo somente as cores para identificar os espaços de cada editora. Já sobre a feira se estender para o sábado, ele diz que era um pedido antigo do público. “Nosso propósito sempre foi atender um público da Universidade, objetivo inicial também da Festa do Livro. Ao mesmo tempo, o sábado acaba favorecendo aquele público que é da Universidade mas que não consegue ir durante a semana”, informa, esperando atingir 70 mil visitantes com essa mudança – no ano passado estima-se que 50 mil pessoas visitaram a feira.

Bruno Tenan, chefe de Marketing da Editora da USP: “Neste momento de crise econômica, a Festa do Livro da USP se apresenta como uma alternativa, principalmente para as pequenas editoras” – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

Para Tenan, mesmo neste momento econômico em que duas grandes livrarias passam por um período de crise – Cultura e Saraiva estão inadimplentes com editoras e distribuidoras há vários meses –, a Festa do Livro se apresenta como uma alternativa, principalmente para as pequenas editoras. “Como uma feira de livro que permite a venda direta para o consumidor, a Festa do Livro acaba sendo um ingrediente a mais para as editoras considerarem a participação no evento”, diz. “Nossa estimativa geral é de que foram vendidos 250 mil exemplares por ano nas últimas edições.” Além disso, o custo de participação é apenas um rateio das despesas de montagem, como ele diz, acrescentando que o crescimento se deve à grande procura por parte das próprias editoras – a cada ano é gerada uma lista de espera, que soma-se ao ano seguinte, aumentando consideravelmente o número de editoras.

A Arte & Letra Editora, de Curitiba, participa do evento pela segunda vez. Como afirma o editor Thiago Marés de Souza Tizzot, o resultado da edição passada foi muito bom. “O mercado editorial está mudando, a forma antiga já não funciona mais e é o momento da busca por uma nova forma de divulgar e vender os livros”, analisa. “As dificuldades das pequenas editoras ainda são as mesmas: aparecer, ser lembrada e conseguir espaço em um mercado tão disputado. Participar da Festa do Livro da USP é uma tremenda oportunidade para mostrarmos nosso trabalho e para os leitores conhecerem nossos livros.” A editora apresenta várias novidades, entre elas Contos Azuis, do nicaraguense Rubén Dario, um dos grandes autores de língua espanhola, que estava fora de catálogo há muito tempo no Brasil, e As Lembranças do Porvir, da mexicana Elena Garro, romance inédito no País.

Montagem da 20ª Festa do Livro da USP, que começa nesta quarta-feira, dia 28: mais espaço, mais editoras e um sábado para visitar a feira – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

“A Festa do Livro da USP é a única da qual a Ouro Sobre Azul participa de forma sistemática, há anos – com muito bom resultado, a cada vez –, dadas as afinidades das edições que caracterizam nossa produção com o espírito e os objetivos da feira”, afirma Ana Luisa Escorel, que comanda a editora do Rio de Janeiro. “Num momento de crise das formas de comercialização do livro – no Brasil e no resto do mundo –, as feiras deixam cada vez mais nítida sua função de canal adequado para o escoamento do produto, assim como de ponte privilegiada para atingir o leitor. No caso específico da Festa do Livro da USP, ocorrendo num dos campi universitários de maior prestígio do País, outra característica importante a ser destacada é a qualidade das editoras participantes, que disputam arduamente cada palmo do espaço disponível, garantindo, em consequência, a excelente qualidade média das edições oferecidas.”

Ana Luisa ainda comenta que “gostaria de deixar clara a fé inabalável da Ouro Sobre Azul na permanência do livro impresso, provavelmente o mais extraordinário objeto jamais criado por qualquer tipo de civilização, em qualquer latitude ou período histórico. E partilhar a crença de que a crise pela qual passa o setor tem origem nas formas de comercialização do livro impresso e não nele. Que, ao contrário, tem se mostrado, nos últimos levantamentos feitos, em âmbito planetário, bem mais vital do que a alternativa eletrônica posta em circulação mais recentemente”. Criada em 2001, a editora em um primeiro momento dedicou-se a publicar edições de livros ilustrados, ampliando sua ação a partir de 2004, com a reedição da obra do crítico literário e professor da USP Antonio Candido (pai de Ana Luisa), autor fundamental para os estudos literários no Brasil.

Tenan ainda cita outras pequenas editoras de São Paulo que participam da Festa do Livro. A Veneta iniciou suas atividades em 2006, e é uma editora focada em quadrinhos autorais, cultura pop, ativismo, literatura e ciências humanas. Entre seus lançamentos está o livro Angola Janga – Uma História de Palmares, de Marcelo D’Salete (mestre em História da Arte pela USP e professor da Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da USP), ganhador do Prêmio Jabuti 2018 na categoria História em Quadrinhos. A Attie-Editora foi criada pelo professor de Literatura Árabe da USP Miguel Attie, sendo administrada por sua filha, Paula Attie, e se dedica a publicar obras na área, como A Filosofia Primeira – Al-Kindi, primeiro filósofo de língua árabe. E a Ôzé Editora é especializada em livros infanto-juvenis, incluindo um catálogo de livros pedagógicos.

A história da Festa do Livro

A primeira Festa do Livro da USP aconteceu em 1999, em uma versão limitada, de dois dias e com apenas 31 editoras, no vão do prédio da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. O evento, idealizado pelo professor e ex-presidente da Edusp Plinio Martins Filho, foi um grande sucesso, e já na sua segunda edição ganhou três dias. Segundo Tenan, a proposta, de início, era aproximar as editoras da Universidade. “Ter em seus catálogos livros que fossem parte das bibliografias dos cursos da USP era um dos principais critérios para convidá-las. Vem daí a escolha por chamá-la ‘festa’, em vez de feira”, conta. “Como disse o professor Plinio Martins Filho, para festa somos convidados, e assim acontece com as editoras.”

.

A 12ª Festa do Livro da USP, em 2010, na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH): espaço ficou pequeno com o aumento do número de editoras e público participantes – Crédito: USP Imagens


.
A festa foi ganhando notoriedade e editoras com outros perfis começaram a participar, como aquelas dedicadas a gêneros ficcionais e ao público infanto-juvenil. Até sua 12ª edição, em 2010, o evento permaneceu na FFLCH, mas, com o crescimento do número de editoras participantes e de público, o vão se tornou pequeno e a 13ª edição ganhou um novo espaço, ocupando três prédios da Escola Politécnica – na época, o número de editoras já chegava a 145. Mas, como afirma Tenan, percebeu-se que o evento precisava estar mais conectado. “Os prédios separados podiam diminuir a experiência do público e, além disso, era preciso um espaço no qual se pudesse circular mais livremente.” Assim, em 2015, a Festa do Livro da USP ganhou o local que tem hoje, próximo ao estádio do Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp), e desde 2017 passou a durar quatro dias. E, para comemorar sua 20ª edição, traz mais espaço, mais editoras e um sábado para facilitar o acesso do público aos livros.

A 20ª Festa do Livro da USP acontece nos dias 28, 29 e 30 de novembro (quarta, quinta e sexta-feira), das 9 às 21 horas, e no dia 1º de dezembro (sábado), das 9 às 19 horas, na tenda instalada na Avenida Professor Mello Moraes, travessa C, Cidade Universitária. A entrada é gratuita. A lista das editoras está neste link. Mais informações no Facebook

Cartaz de divulgação da 20ª Festa do Livro da USP – Foto: Divulgação
  • 3,4K
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados